Ricardo Miledi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ricardo Miledi
Neurociência
Nacionalidade México Mexicano
Nascimento 1927 (87 anos)
Atividade
Campo(s) Neurociência
Prêmio(s) Medalha Real (1998)

Ricardo Miledi (México, D.F., 1927) é um neurocientista mexicano, professor da Universidade da Califórnia e laureado por vários prémios internacionais.

Miledi graduou-se em medicina pela Universidade Nacional Autónoma do México e, mesmo antes de graduar-se, em 1955 começou a trabalhar no Instituto Nacional de Cardiologia. O seu trabalho científico, que continuou na Austrália, Reino Unido, Itália e Estados Unidos da América, está relacionado com os mecanismos de transmissão dos impulsos nervosos entre as sinapses e com os músculos, assim como com a forma como as drogas e outras substâncias tóxicas afetam essa transmissão[1] .

Desde 1980 é membro da Real Sociedade de Londres e, em 1986, da Academia Americana de Artes e Ciências (EUA). Em 1992 foi-lhe atribuído o doutorado honoris causa pela Universidade do País Basco; desde 1995 é membro honorário da Academia Nacional de Medicina do México. Em 1998, recebe a Medalha Real (da Real Sociedade)[2] e, em 1999, o Prémio Príncipe das Astúrias de Investigação Científica e Técnica.

No ano 2000, a equipa de investigação do Dr. Miledi recebeu um financiamento para estudar o funcionamento dos “neuroléticos atípicos”, que tinham recentemente passado a ser usados no tratamento da esquizofrenia, para testar a sua eficiência no tratamento do tabagismo[3] .

Em 2007, Miledi recebe o Doutoramento Honoris Causa pela Universidade Nacional Autónoma do México.

Referências


Precedido por
Geoffrey Eglinton, John Maynard Smith e Donald Hill Perkins
Medalha Real
1998
com Edwin Southern e Donald Charlton Bradley
Sucedido por
John Frank Davidson, Patrick David Wall e Archibald Howie