Francis Crick

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Francis Crick Medalha Nobel
Biologia molecular, biofísica, neurociência
Nacionalidade Reino Unido Britânico
Nascimento 8 de Junho de 1916
Local Northampton
Morte 28 de Julho de 2004 (88 anos)
Local San Diego
Atividade
Campo(s) Biologia molecular, biofísica, neurociência
Alma mater University College London, Universidade de Cambridge
Orientador(es) Max Perutz
Conhecido(a) por DNA
Prêmio(s) Prêmio Charles-Leopold Mayer (1961), Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1962), Medalha Real (1972), Medalha Copley (1975)
Assinatura
Francis Crick signature.svg

Francis Harry Compton Crick OM, FRS (Northampton, 8 de Junho de 1916San Diego, 28 de Julho de 2004) foi um biólogo molecular, biofísico e neurocientista britânico, mais conhecido por co-descobrir a estrutura da molécula de DNA, em 1953, com James Watson. Ele, Watson e Maurice Wilkins foram outorgados com o prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1962 "por suas descobertas sobre a estrutura molecular dos ácidos nucleicos e seu significado para a transferência de informação em material vivo".[1] [2] No entanto, as imagens de alta qualidade da molécula de DNA que fez essas descobertas só foram possíveis graças a Rosalind Franklin, usadas por Wilkins, sem a sua permissão.

Crick foi um importante biólogo molecular teórico e desempenhou um papel crucial na investigação relacionada com a revelação do código genético. Ele é amplamente conhecido pelo uso do termo "dogma central" para resumir a ideia de que o fluxo de informação genética em células possui essencialmente um sentido único, a partir do DNA para o RNA à proteína.[3]

Durante o restante de sua carreira, ele ocupou o cargo de J.W. Kieckhefer de professor investigador emérito do Instituto Salk para Estudos Biológicos em La Jolla, Califórnia. Sua pesquisa mais tarde centrou-se em neurobiologia teórica e tentou avançar o estudo científico da consciência humana. Ele permaneceu no cargo até sua morte, "ele foi a edição de um manuscrito em seu leito de morte, um cientista até o amargo fim" de acordo com Christof Koch.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Modelo de DNA de Crick e Watson construído em 1953, foi reconstruído em 1973 e doado ao Museu de Ciências de Londres

Formou-se em física pelo University College, em Londres. Com a deflagração da Segunda Guerra Mundial foi trabalhar na Royal Navy, interrompendo a sua pesquisa de doutorado. À época fazia estudos de campo em minas. Após o término da guerra e refletir sobre aspectos relativos à vida, mudou seu "objeto" de estudo. Quando retornou à pesquisa, optou pela biofísica, investigando dois temas: a natureza da consciência e a diferença entre os vivos e os não-vivos. Mudou-se para Cambridge, onde, no Laboratório Cavendish da Unidade do Conselho de Pesquisas Médicas de Max Perutz (autoridade no assunto à época) iniciou o estudo da formação das proteínas e o trabalho com cristalografia dos raios X.

Em 1953, em parceria com o biólogo norte-americano James Watson, baseados no trabalho experimental dos britânicos Maurice Wilkins e Rosalind Franklin, propuseram a estrutura da famosa molécula de dupla hélice denominada ácido desoxirribonucleico (ADN), constituinte dos cromossomos e responsável pela transmissão das características hereditárias dos seres vivos. Esse trabalho foi publicado em 25 de abril de 1953 na revista "Nature"; inicialmente ignorado, foi ganhando aos poucos reconhecimento do mundo científico, tendo Crick conquistado o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1962, dividido com James Watson e Maurice Wilkins. Rosalind Franklin já havia morrido.

Antes da publicação do artigo sobre (ADN), Watson e Crick não passavam de meros pesquisadores. tinham de correr contra o tempo, pois sabiam que Pauling, desfrutando de imenso prestígio científico, estava prestes a propor um modelo de cadeia tripla para o (ADN). Como o modelo de cadeia dupla se ajustava adequadamente aos dados cristalográficos de preparações de Rosalind Franklin, Pauling imediatamente desistiu de seu modelo.

Após a publicação, Watson continuou seus estudos nesta área precursora da Biologia Molecular, razão pela qual aparece mais frequentemente associado a esse assunto.

Até que chegaram a esse modelo, Crick e Watson passavam horas analisando, pensando e trocando idéias sobre como os dados poderiam se encaixar num modelo. Dos dois, Crick era, de longe, o mais extrovertido da dupla. Segundo Watson, se sabia se Crick estava ou não no laboratório pelas suas risadas, audíveis do outro lado do corredor.

Crick dedicou a maior parte da sua vida à neurociência. Uma de suas linhas de pesquisa mais notáveis (e controversas) no campo foi uma proposta sobre a função biológica do sono REM, a chamada "Hipótese da Aprendizagem-Reversa".[5] O seu último livro publicado foi "The Astonishing Hypothesis".

Morreu em 28 de Julho de 2004 de câncer, aos 88 anos, em San Diego, Califórnia.[6] Em 11 de abril de 2013 sua medalha do Prêmio Nobel foi leiloada em Nova Iorque por 2,23 milhões de dólares.[7]

Referências

  1. The Nobel Prize in Physiology or Medicine 1962 (em inglês) Fundação Nobel. Nobelprize.org. Página visitada em 28 de julho de 2013.
  2. Rich, A.; Stevens, C. F.. (2004). "Obituary: Francis Crick (1916–2004)" (em inglês). Nature 430 (7002): 845–847. DOI:10.1038/430845a. PMID 15318208.
  3. Ridley, Matt. Francis Crick: discoverer of the genetic code (em inglês). Ashland, OH: Atlas Books, 2006. p. 192. ISBN 0-06-082333-X
  4. Shermer, Michael (30 de julho de 2004). Astonishing Mind: Francis Crick 1916–2004 (em inglês) Skeptics Society. Página visitada em 28 de julho de 2013.
  5. de Sá, J. F. R., & Rossi, T. R. A. (2012). "Sonhar para esquecer: uma introdução à hipótese da "Aprendizagem-Reversa"". Ciências e Cognição, 17(2). Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  6. Francis Crick, Co-Discoverer of DNA, Dies at 88 (em inglês)
  7. Nachlass von Francis Crick: Nobelpreis für 2,2 Millionen Dollar versteigert (em alemão)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Georg von Békésy
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1962
com James Watson e Maurice Wilkins
Sucedido por
John Eccles, Alan Hodgkin e Andrew Huxley
Precedido por
Percy Edward Kent, Max Perutz e Gerhard Herzberg
Medalha Real
1972
com Wilfrid Bennett Lewis e Derek Barton
Sucedido por
Edward Abraham, Rodney Porter e Martin Ryle
Precedido por
William Vallance Douglas Hodge
Medalha Copley
1975
Sucedido por
Dorothy Crowfoot Hodgkin


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) biólogo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.