Silent Hill 3

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Silent Hill 3
Capa da versão norte-americana.
Produtora Konami Computer Entertainment Tokyo (KCET)
Team Silent
Editora(s) Konami
Plataforma(s) PlayStation 2
PC
Data(s) de lançamento PlayStation 2:

Microsoft Windows:
Gênero(s) Survival Horror e
Terror Psicológico
Modos de jogo Single Player
Classificação Permitido para maiores de 15 anos BBFC (Reino Unido)
Inadequado para menores de 15 anos i CERO (Japão)
Inadequado para menores de 18 anos i DEJUS (Brasil)
Inadequado para menores de 17 anos i ESRB (América do Norte)
Inadequado para menores de 18 anos i PEGI (Europa)
Média DVD-ROM
5x CD-ROM
Requisitos mínimos Processador de 1 GHz Pentium III, 256 MB de RAM, DirectX 8.1b, placa de vídeo GeForce 3Ti/Radeon 8500 32 MB, DirectX compatível com placa de som e 4.7 GB de Disco Rígido[1]
Controles Controle de PlayStation 2 ou teclado

Silent Hill 3 é o terceiro jogo da série de jogos de terror Silent Hill. O jogo foi lançado em meados de 2003 para o PlayStation 2, e mais tarde para o PC.

O jogo é uma seqüência direta ao primeiro Silent Hill, baseado dezessete anos após este.[2] Este jogo conta a história de uma jovem chamada Heather Mason que teve um sonho bizarro sobre Silent Hill, o que leva ela à cidade para conhecer mais do seu passado. Heather acaba descobrindo que ela faz parte dos planos do culto da cidade.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Após jogar durante um curto período de tempo num sonho da protagonista no parque de diversões de Silent Hill, o jogador é apresentado à Heather Mason no restaurante "Happy Burger", que localiza-se dentro de um shopping. Antes de conseguir sair, ela encontra um investigador chamado Douglas Cartland, que diz ter uma informação sobre o seu passado. Heather foge dele, escapando pela janela de um banheiro feminino. Porém, ao chegar à outra parte do centro comercial, ela descobre que ele está totalmente abandonado e infestado de monstros estranhos. Em seu caminho, Heather encontra uma sacerdotisa do culto de Silent Hill, que se identifica como Claudia, dizendo a Heather para "lembrar-se dela, e de sua verdadeira forma". Ela menciona também que está lá para "liderá-los" ao Paraíso "com mãos manchadas de sangue". De repente, Heather sente uma insuportável dor de cabeça, que a faz entrar em uma versão alternativa do centro comercial. Ela retorna ao "mundo real" após confrontar-se com uma criatura chamada de "Split Worm" (o chefe do shopping). Ela encontra Douglas novamente, que confessa que foi mandado por Claudia para achá-la.

Heather vai embora, em direção ao metrô para casa. Por lá, ela encontra outros monstros e uma outra dimensão alternativa, enquanto tenta achar uma forma de entrar no metrô. Ela também encontra um homem chamado Vincent, aparentemente com alguma afiliação com Claudia (apesar de seus depoimentos), mas vai embora ao não conseguir nenhuma informação sobre o que está acontecendo. Quando ela finalmente chega em casa, Heather descobre que seu pai foi assassinado por um monstro a pedidos de Claudia. Os motivos porque Claudia mandou matar o pai de Heather foram por "uma vingança de dezessete anos atrás", para "encher o coração (de Heather) de ódio". Claudia também diz a Heather que ela "irá dar a luz ao Deus e construir o Paraíso eterno". A sacerdotisa vai embora antes de Heather começar a lutar contra o chefe (um missionário). Em sua despedida, Claudia diz à Heather que "estará a esperando no lugar onde tudo começou, a cidade de Silent Hill". Consequentemente, Heather decide ir à Silent Hill, por vingança. Ela tem a intenção de matar Claudia e aceita a oferta de Douglas ao dar uma carona até lá.

Antes dos dois chegarem, Vincent deixa uma mensagem a Douglas, dizendo que era para procurar por um homem chamado Leonard Wolf e Heather lê um documento deixado por seu pai antes de morrer. O documento conta novamente a história de Silent Hill e revela que Heather é uma segunda Cheryl Mason mais velha. Isso define que Harry Mason, seu pai, fez o final "Good" (Bom) no primeiro Silent Hill, o que explica que Claudia está procurando por Heather, pois Heather é a reencarnação do Deus do culto de Silent Hill (ela é a reencarnação de Alessa Gillespie do primeiro jogo).

Assim que ela chega em Silent Hill, que parece estar mais abandonada e com uma neblina mais forte, Heather vai até o hospital Brookhaven, em busca de Leonard Wolf. Ela fala com ele através de um telefone, onde ele revela que é o pai de Claudia. Ele desaprova as atitudes de Claudia para o renascimento de Deus, como Heather, e começa a concordar em ajudá-la, oferecendo o uso do artefato mais tarde conhecido como "Seal of Metatron" (Selo de Metatron). Entretanto, quando os dois se conhecem, Leonard toma a forma de um monstro e tenta matar Heather, após descobrir que ela não é um membro do culto. Seguindo a sua morte, Heather adquire o selo e deixa o hospital até encontrar Douglas de novo. Ao encontrar novamente Vincent, ele revela à Heather que é um rival de Claudia quanto a liderança do culto, e recebe instruções ditas por Douglas para ir à igreja, que fica no caminho do parque Lakeside Amusement para achar Claudia.

No mesmo momento que Heather entra no parque de diversões, ela retorna ao mundo alternativo de Silent Hill, que é exatamente igual ao do seu sonho, no início do jogo. Após escapar de um carrinho de uma montanha russa, que quase a mata, ela atravessa uma mansão mal-assombrada, e encontra Douglas, machucado pelo último encontro com Claudia. Então, Heather decide continuar sozinha. Quando ela finalmente entra na igreja, Heather começa a discutir com Claudia sobre seus planos, fingindo estar completamente sob influência da personalidade de Alessa e de suas memórias, até que Heather começa a sentir dores pelo nascimento do Deus. Vincent, que também a levou à igreja, avisa a Heather que ela estará segura carregando o Selo de Metatron, para prevenir o nascimento de Deus. Porém, em seu confronto final, Claudia diz que o Selo é inútil e crava uma pequena faca no coração de Vincent, aparentemente matando-o.

Para progredir no jogo, o jogador deve usar um pingente, dado a Heather por Harry, que contém uma pequena quantia de Aglaophotis. Heather engole o líquido e acaba vomitando o Deus. Horrorizada, Claudia pega o feto de Deus para si e o engole, para fazer com que ele nasça em si própria. A partir daí, começa a última batalha entre Claudia e Heather.

Finais[editar | editar código-fonte]

  • O final padrão de Silent Hill 3, e o único disponível pela primeira vez que se joga, é o "Normal". Heather volta ao parque de diversões e encontra Douglas sentado num banco. Ela brinca que está possuída e diz que precisa matá-lo para acabar com tudo isso. Ela insiste para que volte a chamá-la pelo seu verdadeiro nome, Cheryl. Este é o único final discutido no guia da Konami Book of Lost Memories.[3]
  • Após o jogo ter sido terminado no mínimo uma vez, este final se torna disponível. O jogador tem que coletar pontos o suficiente matando inimigos (10 pontos cada), levando dano (1 ponto por ataque) e perdoando a pessoa no confessionário na igreja (1000 pontos). Assim que conseguir 4000 pontos, o final "Possessed" (Possuída) estará disponível. Ele revela que Heather aparentemente assassinou Douglas.
  • Após adquirir a arma "Heather Beam" (Raio da Heather) e matar no mínimo 30 monstros com o final "Revenge" (Vingança), o último final estará disponível. Este final é uma continuação dos dois últimos finais "UFO", dos jogos passados. Nele, Heather chega em casa e encontra Harry Mason (dessa vez vivo) bebendo chá com alguns alienígenas, enquanto o protagonista do Silent Hill 2, James Sunderland, se esconde atrás de uma cortina. Heather conta a Harry o que está acontecendo e os dois protagonistas anteriores começam a brigar, enquanto diversas naves espaciais vão à Silent Hill e explodem a cidade. Assim os créditos começam a rodar.
Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Reação[editar | editar código-fonte]

Silent Hill 3 recebeu análises positivas na sua chegada ao PlayStation 2, recebendo uma porcentagem de avaliação de 84% na "GameRankings"[4] e 70% para a versão de PC.[5]

Entretanto, a PlayStation Magazine deu a Silent Hill 3 nota 7, o que significa "bom". Os seus artigos em Setembro de 2003 falavam sobre a fidelidade à história original do jogo e que havia apenas alguns pequenos "pontos comprometedores", como ângulos "inoportunos" em horas "inoportunas".

A primeira vez que eles jogaram, demoraram apenas quatro horas, o que eles acharam desapontador, dizendo que a história era muito curta para a série. Eles disseram que o jogo estava mais imprevisível e desafiador e que redefinia a série no PlayStation. Eles também disseram que era "…um jogo para quem era mesmo fã da série e do gênero".

Seqüências[editar | editar código-fonte]

Em 2006, uma seqüência para a série foi anunciada, assim como também sairá um novo jogo em 2008 para PlayStation 3 e Xbox 360.

O primeiro jogo da série a ser tratado antes dos outros jogos foi um lançamento para o PlayStation Portable.

Influências[editar | editar código-fonte]

  • Como todos os jogos da série Silent Hill, Silent Hill 3 também faz referências ao filme "Alucinações do Passado" em termos de física e efeitos psicológicos de terror (alucinações, luzes vermelhas, etc).
  • Em uma das partes do jogo, Heather atravessa um corredor e encontra uma cadeira de rodas vazia no fim. Isto é uma referência ao filme de terror "Session 9", do qual os criadores do jogo eram fãs.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Em Silent Hill 2,em determinada parte do apartamento,o protagonista James Sunderland enfia a mão na privada suja de um dos banheiros,para pegar uma carteira com um código.Silent Hill 3 faz uma referência a isso: Se houver pelo menos 1 arquivo de "save point" de Silent Hill 2 no seu computador,quando Heather estiver no banheiro do shopping,fugindo de Douglas,ela poderá abrir a porta de uma das cabines do banheiro,e depois,se você escolhe explorar a privada,acontecerá a seguinte cena: Heather se abaixa e se aproxima lentamente da privada,depois imediatamente recua dizendo:"Não,isso é muito nojento!" Depois se levanta, vira para a câmera e diz: "Quem seria louco o suficiente pra fazer algo tão repulsivo?"

Participações[editar | editar código-fonte]

  • Heather Morris - Heather Mason/Cheryl Mason
  • Richard Grosse - Douglas Cartland
  • Lenne Hardt - Claudia Wolf
  • Clifford Rippel - Vincent
  • Matt Lagan - Leonard Wolf
  • Mike Matheson - Guia da Mansão Borely
  • Thessaly Lerner - Lisa Garland (embora o seu nome não aparecesse nos créditos)

A música "You're Not Here" (Você Não Está Aqui), que é tocada na introdução do jogo, foi incluída na versão de PS2 do jogo Dance Dance Revolution Extreme. Ela também está no disco de mídia de Silent Hill Experience e nos créditos da adaptação do jogo para os cinemas.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora original de Silent Hill 3, composta por Akira Yamaoka, foi lançada no Japão no dia 16 de Julho de 2003 e foi catalogada com o número KOLA-038.

Referências

  1. Silent Hill 3 Konami da Europa.
  2. [1]. Livro: Book of Lost Memories (traduzido por Translated Memories). Konami, 2003. Pág. 8-9, "História da Alessa".
  3. [2]. Livro: Book of Lost Memories (traduzido por Translated Memories). Konami, 2003. Pág. 70-71, "Finais de Silent Hill 3".
  4. Análise de Silent Hill 3 versão de PS2. GameRankings.
  5. Análise de Silent Hill 3 versão de PC. GameRankings.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]