Silent Hill 2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Silent Hill 2
Capa da versão norte-americana.
Produtora Konami Computer Entertainment Tokyo (KCET)
Team Silent
Creature Labs (PC)
Editora(s) Konami
Plataforma(s) PlayStation 2
Xbox
PC
Data(s) de lançamento PlayStation 2:

Xbox:

Microsoft Windows:
Gênero(s) Survival Horror e
Terror Psicológico
Modos de jogo Single Player
Classificação Permitido para maiores de 15 anos BBFC (Reino Unido)
Inadequado para menores de 17 anos i ESRB (América do Norte)
Média DVD-ROM
3x CD-ROM
Requisitos mínimos Processador de 300 MHz Pentium, 64 MB de RAM, DirectX 8.1, 8 MB DirectX compatível com placa aceleradora 3D, DirectX compatível com placa de som, 1.8 GB de Disco Rígido[1]
Controles Controle de PlayStation 2/Xbox ou teclado.
Este artigo trata de um jogo lançado para PlayStation 2, Xbox, e PC. Se deseja ver a sequência do filme de mesmo nome, vá à Silent Hill 2 (filme)

Silent Hill 2 é o segundo jogo da série de jogos de terror Silent Hill. O jogo foi lançado no final de 2001 para o PlayStation 2, mais tarde para o Xbox e ainda para o PC, no ano seguinte.

Contrariando o que todos achavam, Silent Hill 2 não é uma sequência direta ao primeiro Silent Hill, do qual mudou desde os personagens, até a parte da cidade onde o jogo se baseia. O primeiro jogo teria referências apenas em Silent Hill 3.[2] O personagem dessa vez se chama James Sunderland, que entra na cidade após receber uma carta de sua ex-esposa Mary, dizendo que o esperava em seu "lugar especial" em Silent Hill.

O jogo recebeu excelentes críticas e foi um sucesso de vendas[carece de fontes?]. Após este, houvever mais duas sequências, cada uma com características diferentes na série.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogo ocorre na perspectiva em terceira pessoa, com diversos ângulos de câmera para diferentes lugares do mapa. Em alguns casos, a câmera simplesmente fica posicionada atrás da visão do personagem. A tela principal não informa nada ao jogador, que é obrigado a verificar a sua energia ou munição através do inventário. Também não há nenhum mapa em nenhum canto da tela, o que, conseqüentemente, faz o jogador selecionar constantemente a função de ver o mapa. Os mapas são coletados em vários pontos de várias localidades, assim como os outros itens, e não podem ser lidos em áreas escuras ou com luz insuficiente. James irá escrever no mapa coisas como portas trancadas (ou abertas), obstruções, etc. James também irá escrever o conteúdo de todos os acontecimentos em um bloco de notas, para referências futuras.

A maior parte do jogo consiste em andar por toda a cidade, sem a necessidade de matar os inimigos para dar mais importância em achar chaves e outros itens para avançar em portas, antes bloqueadas, e áreas de difícil acesso. Ocasionalmente irão aparecer quebra-cabeças, que serão representados, dependendo do nível de dificuldade do mesmo, para que o jogador os interprete. O nível de dificuldade dos inimigos e dos quebra-cabeças são determinados independentemente, dando a oportunidade aos jogadores de escolherem inimigos fáceis e quebra-cabeças difíceis ou vice-versa.

Como o jogo original, James mantém um rádio consigo para alertá-lo da presença de inimigos através de um chiado que aumenta gradativamente à medida que se aproxima deles, o que é muito útil quando se está no escuro ou na intensa neblina da cidade. O som e a intensidade do som irão mudar de acordo com o número de inimigos próximos e à distância que estiver deles. Há um total de seis armas disponíveis, três armas de mão e três armas de fogo, e outras duas secretas que são destravadas ao completar o jogo uma vez. O "Wooden Plank" (Pedaço de Madeira) é obtido automaticamente numa área em construção, o "Steel Pipe" (Cano de Ferro) é encontrado no capô de um carro, a "Great Knife" (Grande Faca) pode ser encontrada dentro do labirinto numa sala onde, provavelmente, o Pyramid Head reside. Uma "Handgun" (Pistola) é encontrada dentro dos apartamentos, num carrinho de compras, uma "Shotgun" (Espingarda) é encontrada num armário no hospital, e um "Hunting Rifle" (Rifle de Caçada) é encontrado na prisão. As armas especiais são a "Chainsaw" (Motoserra) e o "Spray Can" que causam danos diferentes aos inimigos dependendo do nível que o jogador recebe ao completar o jogo. Como o combate não é necessário no jogo, há seis reais inimigos. Quase todos os inimigos atacam de perto, sejam com canos, com ácido ou até com borboletas, como o chefe final.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

No início do jogo, o jogador é introduzido ao personagem principal, James Sunderland, que veio à Silent Hill após receber uma carta de sua esposa, Mary, ignorando o fato de que ela morreu vítima de uma doença incurável há três anos. Assim que James entra em Silent Hill, ele imediatamente percebe que essa não é a mesma bela cidade na qual ele e Mary passavam as suas férias. Sons estranhos são ouvidos no caminho, uma névoa interminável dificulta a visão, a cidade inteira parece ter sido abandonada há anos. Há também monstros bizarros nas ruas, em becos entre prédios e em baixo de carros esperando para atacar James. Como o caminho para a seu primeiro destino, o Parque Rosewater, está bloqueado, James acha uma chave pela qual ele entra num apartamento tentando achar um novo modo de chegar até o suposto "lugar especial" que Mary descrevia na carta.

Já dentro dos apartamentos, James acha uma jovem mulher que estava na cidade procurando pela sua mãe, Angela Orosco, com uma faca na mão. Aparentemente para se suicidar. James, percebendo que ela está em pânico resolve ficar com a faca para si para a segurança dela. Em outro quarto, James conhece um jovem homem gordo chamado Eddie Dombrowski vomitando em uma privada localizada dentro de um banheiro de um quarto do prédio. Eddie é comumente visto perto de cadáveres, embora ele sempre negue que os matou. Eddie fugiu para a cidade logo após matar um cachorro e o dono do cachorro só porque olhou "estranho" para ele. Mais tarde, James conhece uma garotinha chamada Laura que aparentemente é imune aos efeitos da cidade (ela não vê nenhum monstro na cidade[3] ) e inexplicavelmente conhecia James, talvez por ter recebido uma carta de Mary que falava que James era uma boa pessoa. A "pessoa" mais medonha que James encontra na cidade, é, sem dúvida, o Pyramid Head (literalmente Cabeça de Pirâmide), um humanoide que usa uma pirâmide de metal na sua cabeça e que James iria enfrentar em duas partes diferentes do jogo.

Quando James finalmente chega ao Parque Rosewater, ele conhece uma mulher que lembra a sua falecida esposa, só que com roupas mais provocantes e diferentes atitudes. Ela se chama Maria. Durante uma parte do jogo, Maria acompanha James em sua busca para achar o seu segundo suspeito "lugar especial": o Hotel Lakeview. No caminho até lá, eles encontram Eddie e Laura dentro de um boliche, e logo após a menina sair de lá, Maria diz ter avistado Laura indo para um caminho que leva ao Hospital de Brookhaven. Lá, James acha Laura que fica irritada ao dizer que esteve com Mary no ano passado, em boas condições, contrariando a ideia de que ela morreu à três anos atrás, pensada por James. Laura também tem outra carta enviada por Mary, e é nesse pretexto que ela o tranca numa sala cheia de monstros, enganando-o, dizendo que havia deixado a carta lá. Depois de matar os monstros, o hospital não é mais o mesmo. Depois de uma drástica mudança, James re-encontra Maria, irritada com James por ter deixado ela para trás. Antes de sair do hospital, ambos seguem um caminho para o elevador, porém Pyramid Head mata Maria antes que ela entre no mesmo. Agora, abalado pela morte de Maria, James encontra a chave da porta da frente do hospital, ao mesmo tempo que vê Laura correndo pelas ruas, agora escuras, de Silent Hill. Seguindo o seu caminho, James chega à Sociedade Histórica de Silent Hill, que é o único caminho possível para chegar ao hotel, através de um barco.

A sociedade histórica se torna uma exploração dividida em dois níveis que não estão localizados no mapa da cidade: uma prisão abandonada e um labirinto que, aparentemente, é onde o Pyramid Head reside. No segundo nível, James, inexplicavelmente, encontra Maria atrás das grades, viva. Ela o provoca com ilusões de Mary e provocações. Por enquanto, James não pode salvá-la. Ele precisa encontrar uma nova rota para chegar até ela. E quando ele chega, Maria está morta (provavelmente por Pyramid Head, de novo). Também é neste nível que encontramos Angela e Eddie. Eles revelam porque foram "chamados" por Silent Hill. Os dois casos com o mesmo motivo: assassinato. Angela matou o seu pai por abusos, enquanto Eddie matou um cachorro e atirou num jogador de futebol (que provavelmente era o dono do cachorro) na perna após anos de insultos verbais (pela questão de seu peso). Os dois inimigos principais dessa parte são o "Papai Abstrato" de Angela e, mais tarde, o conturbado Eddie.

Finalmente James chega ao seu "lugar especial" (o Hotel Lakeview) através de um barco, aonde ele encontra Laura outra vez. Ela lhe dá a carta que havia recebido de Mary. Nela dizia que Mary queria adotar uma garota no ano passado. A verdade vem à tona quando James assiste à uma fita de uma visita passada que havia encontrado no hotel, vista na televisão do quarto 312 (quarto aonde ele e Maria passaram as suas férias). O vídeo gravado no hotel, mostrava James sufocando a sua esposa com um travesseiro na época que ela estava doente. Após assistir o vídeo, James, já sem esperanças de que Mary ainda estaria viva e desolado por saber da verdade a qual ele havia esquecido, escuta o seu rádio chiar novamente. Dessa vez, ele escuta perfeitamente a voz de Mary o enviando a mesma mensagem que ele havia ouvido, cortada, no início do jogo. Mary está perguntando a ele, aonde ele está e diz que está esperando por ele. James, mais confuso, começa a explorar o resto do hotel, que agora sofre a mesma transformação trágica do hospital. Durante isto, ele encontra com Angela em uma escada que está pegando fogo (que, segundo o mapa, não existe). Angela revela a ele que para ela é sempre assim, desde que matou o seu pai. Como se estivesse a viver por toda a eternidade no inferno.

O clímax do jogo acontece quando James acha Maria ressuscitada, sendo torturada sem misericórdia por dois Pyramid Head. Ao pedir ajuda, Maria é morta por eles. James finalmente percebe que Maria e Pyramid Head não são nada mais do que ilusões criadas pela cidade e que estariam lá para punir ele. Após lutar contra os dois Pyramid Head, eles cometem suicídio ao se atacarem com suas lanças. Depois disso, James sobe uma imensa escada de incêndio que o leva ao topo. Após chegar ao "topo" (que parece mais com outro andar do hotel em ruínas, com grades de metal no chão), James encontra com uma mulher, que seria Mary (sua localização e reação depende do final realizado) e a última luta do jogo começa.

Finais[editar | editar código-fonte]

Diversos finais podem ser obtidos dependendo da ação de cada jogador, como em todos os outros jogos da série. Silent Hill 2 não tem um final correto, embora em Silent Hill 4: The Room revele que James e Mary nunca retornaram de sua viagem a Silent Hill, mas as circunstâncias de que eles tenham morrido não foram especificadas.

As indicações oficiais da Konami mantiveram a veracidade do final ambíguo, indicando que não só alguns, mas todos os finais podem ser considerados "reais" dependendo da interpretação de cada jogador quanto a história.[4] [5] A versão final do jogo tem um total de seis finais possíveis, três podem ser obtidos da primeira vez que terminar o jogo e mais três após ter completado o jogo uma vez.

Os finais "Leave" (Partida) e "In Water" (Na Água), começam com uma mulher num quarto, que é Maria vestida como Mary, ela fala com James e pergunta-lhe se ele a queria ver ou não. No fim da conversa ela perdoa James ou não (dependendo do final que o jogador recebeu)e vira um monstro similar aos monstros pendurados no hospital, transformando-se no chefe final. Após derrotá-la, no final Leave, James conversa pela última vez com Mary, que está morrendo. Ele confessa que a matou para poder retornar a sua vida normal. Mary o perdoa, entregando-o a carta completa que ele não recebera em parte alguma no jogo. James pode ser visto saindo da cidade através do cemitério com Laura, enquanto a carta é lida na tela. O final In Water é idêntico ao final Leave até a parte que Mary morre durante a conversa com James. Ele pega o corpo de Mary e o leva até o carro, jogando ambos no Lago Toluca e se matando. Um final especial, chamado "Rebirth" (Renascimento), que só é disponível após completar o jogo uma vez, também termina com a morte de Maria, mas na cena final mostra James em um barco com o corpo de Mary, planejando revivê-la usando os itens secretos que o jogador coleta através do jogo.

O final "Maria", entretanto, é radicalmente diferente dos outros três citados acima. Se o jogador ficar bastante tempo com Maria, não a ferir, etc, Mary não perdoou James por ter a matado, independentemente das ações do jogador. Ela irá se tornar o mesmo monstro que nos outros finais, e após a sua morte, James pensa que ela era só mais uma alucinação. Então, ele descobre Maria, que ressuscitou novamente e inexplicavelmente, e sai da cidade com ela tendo nas mãos o que aparentemente é a carta completa. Após a carta ter sido lida, na cena final, Maria começa a se sentir mal e a tossir, o que implica que ela tenha a mesma doença incurável que Mary sofria e que fez com que James fosse a cidade. O que significa que James possa novamente voltar à Silent Hill.

Há também dois finais que são considerados brincadeiras, que só estão abertos após o jogo já ter sido completado, pelo menos uma vez. O primeiro, "Dog" (Cachorro), termina com James descobrindo que todas aquelas anormalidades eram feitas por um Shiba Inu, que aparentemente está controlando todos os eventos que aconteciam na cidade através de um imenso computador. O segundo, "UFO" (OVNI), é uma continuação ao final UFO do primeiro jogo, adicionado na versão de Xbox, na qual James é abduzido pelo grupo de extraterrestres que haviam abduzido também o protagonista do jogo anterior, Harry Mason.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Influências e design[editar | editar código-fonte]

A atmosfera de Silent Hill 2 é muito similar a atmosfera do primeiro jogo, incluindo o visual abandonado e/ou em decomposição da cidade e a névoa persistente que encobre cada rua. Todo esse conjunto serve para perturbar mais a mente do jogador. Um exemplo disto é a carta que James recebeu de Mary que vai desaparecendo durante o jogo, sugerindo (conforme a Konami anunciou mais tarde) que a carta não era real, era só mais uma das alucinações de James.[3] Isso é explicado ao passo que James começa lentamente a entender o que fez, e as ilusões da cidade começavam a desaparecer. Isso também poderia ser a explicação da transformação do hotel. Quando James entra, o hotel está quase intacto, mas depois dele ver a fita de vídeo e entender o que se passava, saber da verdade, o hotel fica com uma aparência de ter sido incendiado.[6] Outras influências psicológicas encontradas no jogo é a roupa de Mary que veste um manequim (o mesmo que carregava a lanterna) e um corpo morto com uma roupa igual a que James usa.[7]

Os monstros do jogo são reflexos da mente conturbada de James.[8] No mínimo, duas criaturas são parte dos desejos sexuais de James. O monstro chamado "Mannequin" (Manequim - composto apenas por partes baixas) representa os pensamentos de James sobre Mary, e as enfermeiras chamadas de "Bubblehead Nurses" (literalmente Enfermeiras cabeça-de-bolha) representam a forma com qual as enfermeiras tratavam Mary no hospital, o que implica que James sentia falta de sexo durante o período de doença de Mary.[7] [8] Pyramid Head é conhecido por ser baseado no executor de uma história fictícia da cidade e por ser a pessoa que deve punir James por seus atos.[8] Duas exceções deste tema são o "Abstract Daddy" (Papai Abstrato), uma reflexão do subconsciente e memórias de Angela sobre o seu pai, e os "Creepers", que também são vistos no primeiro jogo.[8]

Silent Hill 2 também incorpora algumas referências aos eventos da vida real. Os criadores disseram que o nome "Mary" vem de "Mary Ann Nichols", uma vítima de Jack, o estripador.[3] A crítica britânica descobriu que a roupa de Mary havia sido copiada de uma roupa que Christina Aguilera usou em 1999 durante o Teen Choice Awards.[9] O nome de Eddie Dombrowski foi copiado do nome de Eddie Murphy durante a época que os produtores sugeriram que Eddie seria um personagem otimista.[3] O nome de Angela Orosco foi derivado do nome de Angela Bennett, a protagonista do filme The Net, e Laura de uma novela chamada No Language But a Cry (Nenhuma Língua Além do Choro) do autor Richard D'Ambrosio.[3] Também há suspeitas de que o aspecto da cidade de Silent Hill foi baseado na cidade de San Bruno, Califórnia.[10] [11]

Lançamentos[editar | editar código-fonte]

Silent Hill 2 foi lançado inicialmente para o PlayStation 2 no final de 2001. A edição original europeia também incluía um segundo disco: um DVD com o making of. Lá eram exibidos trailers, galeria de arte e um documentário sobre o jogo.[12]

A versão de Xbox foi lançada mais tarde naquele ano, em 20 de Dezembro, e a versão para PC saiu em Dezembro do ano seguinte.[13] [14] Cada região recebeu um subtítulo diferente: a versão de Xbox foi subtitulada Saigo no uta (最期の詩, A última canção?) no Japão, Restless Dreams (Sonhos Agitados) na América do Norte e Inner Fears (Medos Internos) na Europa.[15] [16] A versão também continha um material adicional: um sexto final para o modo de jogo de James e um novo modo intitulado "Born from a Wish" (Nascida por um Desejo). Este modo mostrava a perspectiva de Maria, que explicava como ela chegou a conhecer James até o jogo principal.

Esta versão foi revisada e lançada para o PS2 e para o PC com o nome de "director's cut" que foi para a lista de maiores sucessos da Sony ou a versão de platina dependendo da localização.[15] [17]

Versão de PC[editar | editar código-fonte]

A versão para PC de Silent Hill 2 foi lançada em 31 de Dezembro de 2002, feito pela Creature Labs e publicada pela Konami. A edição de PC era equivalente as versões "Restless Dreams" ou "Inner Fears", que incluíam o modo de jogo de Maria e o final extra. A versão geralmente recebia péssimas críticas quando aos controles, que eram apenas no teclado, com ajudas do mouse, entretanto, o jogo suportava um controle através do USB. Uma outra adição era poder salvar em qualquer lugar, chamado de quicksave e quickload, e um menu para ver os trailers de Silent Hill 2 e de Silent Hill 3, porém, não existia nenhum vídeo que mostrasse ao jogador qualquer parte do jogo novo.[18]

Reação[editar | editar código-fonte]

A reação do jogo, quanto a mídia, foi, na sua totalidade, favorável. Sites como "GameRankings" deram a Silent Hill 2 uma classificação alta de 86%, na versão original de PS2,[19] e 82% na versão expandida (Restless Dreams) do Xbox[20] e 90% do PS2.[21] A "MetaCritic" deu uma porcentagem de avaliação de 89% a versão original de PS2,[22] e de 84% na versão expandida do Xbox.[23] A "GameSpot", do Reino Unido, avaliou as versões de PS2 e de Xbox, respectivamente, em 7.7[24] e 7.9[25] de 10. Uma análise crítica feita para o site IGN dizia, para a versão original de PS2, ser "o jogo mais assustador já lançado até aquela época".[26]

As versões de PC, tipicamente, receberam avaliações mais baixas do que nos consoles. A versão original de PC recebeu uma avaliação de 72% na GameRankings[27] enquanto a sua versão expandida recebeu 6.2 na GameSpot,[28] com notas baixas em algumas categorias, como em jogabilidade.[29] Em 2003, uma análise feita na "GameSpy" dizia que alguns dos problemas na versão para PC era a dificuldade de controlar o personagem, especialmente nas partes em que o ângulo da câmera mudava.[30] Uma reclamação parecida foi feita na IGN em Dezembro de 2002, sugerindo que o jogo "poderia ser jogado no teclado, mas não era aconselhado".[31]

Mas no fim de Outubro de 2001, a Konami anunciou que milhões de cópias de Silent Hill 2 já haviam sido vendidas.[32] Desde então, Silent Hill 2 foi incluído na lista de grandes sucessos da Sony.[33] Em 2006, a G4TV da X-Play declarou que Silent Hill 2 era "o jogo mais assustador de todos os tempos".[34]

Conexões com outras mídias[editar | editar código-fonte]

Jogos[editar | editar código-fonte]

Silent Hill 3 contém várias referências ao jogo anterior, destravadas se um cartão de memória com o arquivo salvo de Silent Hill 2 estiver sendo usado. Em uma das cenas, Heather (a protagonista) descobre algo num banheiro, similar ao que James descobriu. Enquanto James colocaria a mão dentro da privada, Heather recusa e se vira para a câmera, perguntando que tipo de pessoa faria isso.[35] O mesmo arquivo salvo também criaria um poster com Maria nele no bar Heaven's Night no qual Heather o verá se entrar nele. No final UFO de Silent Hill 3 aparece James e Harry Mason (o protagonista de Silent Hill) após a sua abdução no final UFO de Silent Hill 2.

Silent Hill 4: The Room faz várias referências à Silent Hill 2. O principal antagonista do jogo, Walter Sullivan, foi originalmente mencionado em um jornal que James acha no lixo de um dos apartamentos e em um dos túmulos de Silent Hill, perto do túmulo aberto com o nome de James do qual ele pula dentro dele para continuar no jogo. É também um dos personagens envolvidos no final "Rebirth". O pai de James, Frank,[36] também é mencionado num pequeno papel no apartamento do superintendente, e o protagonista do jogo, Henry, menciona que Frank teve seu filho e sua nora desaparecidos na cidade de Silent Hill há anos atrás. O que provavelmente significaria que James se matou junto com Mary, o que resultaria no final "In Water". Vários finais de Silent Hill 2 envolvem James retornando ao "mundo real", mas Silent Hill 4 não aponta nenhum final real, deixando a situação de James incerta.

Pyramid Head aparece no jogo da Konami para arcade Silent Hill: The Arcade e também no New International Track & Field, outro título da Konami.[37] [38] Muitas cenas do jogo Silent Hill: Ørigins são similares às cenas de Silent Hill 2, como as cenas em que o Butcher aparece, que lembram muito o Pyramid Head.

Filme[editar | editar código-fonte]

A adaptação do filme de Silent Hill 2, entre as criaturas da cidade, existe uma versão modificada do Pyramid Head. Desta vez, seu capacete foi redesenhado com uma ponta a menos do que na versão original do jogo e há boatos de que o personagem principal do jogo, James Sunderland, não aparece no filme.[39]

Já foi confirmado que o filme "Silent Hill 2" está sendo planejado, mas ainda não foi confirmado se ele se baseará na continuação do primeiro filme, na história do segundo ou se simplesmente terá uma história totalmente nova.[40]

Participações[editar | editar código-fonte]

  • Guy Cihi faz a voz de James Sunderland
  • Monica Horgan faz a voz de Maria/Mary Shepherd-Sunderland
  • Donna Burke faz a voz de Angela Orosco
  • David Schaufele faz a voz de Eddie Dombrowski
  • Jakey Breckenridge faz a voz do apresentador do concurso do rádio
  • Dominic Allen faz a voz do Pyramid Head
  • Dennis Falt faz as vozes adicionais
  • Ward E. Sexton faz a voz de Ernest Baldwin (Versão: Restless Dreams)
  • Florence Minowa faz a voz de Laura/Amy Baldwin (Versão: Restless Dreams)

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora original de Silent Hill 2 foi composta por Akira Yamaoka e foi lançada no Japão em 3 de Outubro de 2001.[41] A banda alemã Unfounded Truth fez duas músicas relacionadas à Silent Hill 2, chamadas "Our Special Place" e "Reminiscence Of Mary".

Referências

  1. Silent Hill 2 GameSpy.. Visitado em 5 de Agosto de 2007..
  2. Livro: Book of Lost Memories (traduzido por Translated Memories). Konami, 2003. Pág. 8-9, "História da Alessa".
  3. a b c d e Livro: Book of Lost Memories (traduzido por Translated Memories). Konami, 2003. Pág. 46-47, "Comentário dos Personagens de Silent Hill 2".
  4. Livro: Book of Lost Memories (traduzido por Translated Memories). Konami, 2003. Pág. 50-51, "Análise dos Finais de Silent Hill 2".
  5. E3 2001: entrevista de Silent Hill 2 IGN.. Visitado em 21 de Janeiro de 2007..
  6. Livro: Book of Lost Memories (traduzido por Translated Memories). Konami, 2003. Pág 4-5, "Mapa de Silent Hill"
  7. a b Produtores do jogo mostram o making of de Silent Hill 2 em um DVD Bônus lançado apenas na Europa em 2001.
  8. a b c d Livro: Book of Lost Memories (traduzido por Translated Memories). Konami, 2003. Pág. 48-49, "Comentário das Criaturas de Silent Hill 2".
  9. Silent Hill 2 copia a roupa de Christina Aguilera UK Resistance.. Visitado em 28 de Dezembro de 2006..
  10. Silent Hill: Muito Perto de Casa? IGN.. Visitado em 31 de Janeiro de 2007..
  11. Letter from Silent Heaven (Carta do Céu Silencioso) Agony - I Gor A Letter.. Visitado em 9 de Fevereiro de 2007..
  12. Edição especial de Silent Hill 2 na Europa PS2 Fantasy.. Visitado em 23 de Janeiro de 2007..
  13. Silent Hill 2 para PC MetaCritic.. Visitado em 31 de Dezembro de 2006..
  14. Silent Hill 2: Restless Dreams GameSpot.. Visitado em 31 de Dezembro de 2006..
  15. a b Silent Hill 2: Greatest Hits IGN.. Visitado em 20 de Abril de 2007..
  16. Análise de Silent Hill 2: Inner Fears EuroGamer.. Visitado em 20 de Abril de 2007..
  17. Notícias sobre Silent Hill 2: Versão Director's Cut PlayStation.. Visitado em 14 de Janeiro de 2007..
  18. Análise de Silent Hill: Inner Fears ActionTrip.. Visitado em 20 de Abril de 2007..
  19. Silent Hill 2 - PS2 GameRankings.. Visitado em 20 de Janeiro de 2007..
  20. Silent Hill 2: Restless Dreams - Xbox GameRankings.. Visitado em 20 de Janeiro de 2007..
  21. Silent Hill 2: Restless Dreams - PS2 GameRankings.. Visitado em 20 de Janeiro de 2007..
  22. Silent Hill 2 - PS2 MetaCritic.. Visitado em 7 de Fevereiro de 2007..
  23. Silent Hill 2: Restless Dreams - Xbox MetaCritic.. Visitado em 7 de Fevereiro de 2007..
  24. Análise de Silent Hill 2 para PS2 GameSpot.. Visitado em 21 de Janeiro de 2007..
  25. Análise de Silent Hill 2: Restless Dreams para Xbox GameSpot.. Visitado em 21 de Janeiro de 2007..
  26. Silent Hill 2 IGN.. Visitado em 26 de Janeiro de 2007..
  27. Silent Hill 2 para PC GameRankings.. Visitado em 20 de Janeiro de 2007..
  28. Análise de Silent Hill 2: Director's Cut para PC GameSpot.. Visitado em 21 de Janeiro de 2007..
  29. Sistema de Avaliação GameSpot.. Visitado em 25 de Janeiro de 2007..
  30. Análise de Silent Hill 2 para PC GameSpy.. Visitado em 20 de Janeiro 2007..
  31. Análise de Silent Hill 2 IGN.. Visitado em 26 de Janeiro de 2007..
  32. Silent Hill 2 - Milhões de Cópias Vendidas IGN.. Visitado em 23 de Janeiro de 2007..
  33. Silent Hill 2: Greatest Hits para PS2 PlayStation.. Visitado em 21 de Janeiro de 2007..
  34. Os Dez Jogos Mais Assustadores DivX: Stage 6 - G4TV.. Visitado em 20 de Abril de 2007..
  35. Curiosidades sobre Silent Hill 3 Internet Movies Database.. Visitado em 21 de Janeiro de 2007..
  36. Guia de Personagens de Silent Hill 4: The Room IGN.. Visitado em 22 de Agosto de 2007..
  37. Prévia de Silent Hill: Arcade 1UP.. Visitado em 22 de Agosto de 2007..
  38. LGC07: New Track & Field no Nintendo DS celebra 25 anos de competição Pro Game News.. Visitado em 22 de Agosto de 2007..
  39. Notícias sobre o filme "Silent Hill 2" Sony Pictures.. Visitado em 25 de Janeiro de 2007..
  40. Filme "Silent Hill 2 confirmado" GameSpot.. Visitado em 25 de Janeiro de 2007..
  41. Trilhas Sonoras de Silent Hill 2 Soundtrack Collector.. Visitado em 23 de Janeiro de 2007..

Ligações externas[editar | editar código-fonte]