Sistema de informação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
EAI: um exemplo de sistema de informação.

Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange pessoas, máquinas e/ou métodos organizados para coletar, processar, transmitir e disseminar dados que representam informação para o usuário e/ou cliente.

Todo Sistema de informação que manipula dados e gera informação, usando ou não recursos de tecnologia em computadores, pode ser genericamente considerado como um sistema de informação. Por exemplo, o sistema de informação organizacional pode ser conceituado como a organização e seus vários subsistemas internos, contemplando ainda o meio ambiente externo.[1]

Para Laudon e Laudon [2] um sistema de informação pode ser definido como um conjunto de componentes inter relacionados trabalhando juntos para coletar, recuperar, processar, armazenar e distribuir informações com a finalidade de facilitar o planejamento, o controle, a coordenação, a análise e o processo decisório em organizações.

Conceito do MEC[editar | editar código-fonte]

Segundo definição adotada pelo Ministério da Educação Brasileiro[3] , os cursos que estudam a Computação são Ciência da Computação, Licenciatura em Computação, Sistemas de Informação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas (diferente de Sistemas de Informação), Engenharia da Computação e Engenharia de Software. Cada um dos cursos com um foco:

  • Ciência da Computação - modelos teóricos matemáticos que fundamentam a Computação
  • Licenciatura em Computação - foco no ensino-aprendizagem de computação, informática e tecnologia da informação e sistemas de informação
  • Sistemas de Informação - aplicação da Computação nas organizações
  • Engenharia da Computação - aplicação da física e eletricidade na solução dos problemas da automação industrial

Atividades envolvidas[editar | editar código-fonte]

"Combinação de recursos humanos e computacionais que inter-relacionam a coleta, o armazenamento, a recuperação, a distribuição e o uso de dados com o objetivo de eficiência gerencial (planejamento, controle, comunicação e tomada de decisão) nas organizações. Podem também ajudar os gerentes e os usuários a analisar problemas, criar novos produtos e serviços e visualizar questões complexas" (MEC-98/SBC)

O tipo de trabalho previsto para um Bacharel em Sistemas de Informação abrange a administração do fluxo de informações geradas e distribuídas por redes de computadores dentro de uma organização. Suas responsabilidades em uma empresa podem abranger o planejamento e organização do processamento, armazenamento, recuperação e disponibilização das informações presentes nos sistemas computacionais. Este trabalho também abrange funções relacionadas a suporte aos usuários e infraestrutura tecnológica. É abrangente em áreas de Ciência da Computação-Software e Engenharia da Computação-Hardware.

No âmbito do desenvolvimento de sistemas (software), o trabalho do Bacharel em Sistemas de Informação inclui gestão de projetos, levantamento de requisitos, análise, especificação, projeto/desenho (no sentido de design) do sistema, programação, testes, homologação, implantação e acompanhamento dos sistemas solicitados pelos seus usuários/clientes.

Evolução histórica[editar | editar código-fonte]

O Século XX é considerado aquele do advento da Era da Informação. A partir de então, a informação começou a fluir com velocidade maior que a dos corpos físicos. Desde a invenção do telégrafo elétrico em 1837, passando pelos meios de comunicação de massa, e até mais recentemente, o surgimento da grande rede de comunicação de dados que é a Internet, o ser humano tem de conviver e lidar com um crescimento exponencial do volume de dados disponíveis.

O domínio da informação disponível é uma fonte de poder, uma vez que permite analisar fatores do passado, compreender o presente, e principalmente, antever o futuro. Os sistemas de informação surgiram antes mesmo da informática.

Evolução - Sistemas de Informação[editar | editar código-fonte]

Antes de 1940[editar | editar código-fonte]

Antes da popularização dos computadores, os sistemas de informação nas organizações se baseavam basicamente em técnicas de arquivamento e recuperação de informações de grandes arquivos. Geralmente existia a figura do "arquivador", que era a pessoa responsável em organizar os dados, registrá-los, catalogá-los e recuperá-los quando necessário.

Esse método, apesar de simples, exigia um grande esforço para manter os dados atualizados bem como para recuperá-los. As informações em papéis também não possibilitavam a facilidade de cruzamento e análise dos dados. Por exemplo, o inventário de estoque de uma empresa não era uma tarefa trivial nessa época, pois a atualização dos dados não era uma tarefa prática e quase sempre envolvia muitas pessoas, aumentando a probabilidade de ocorrerem erros.

1940 - 1952[editar | editar código-fonte]

Nessa época os computadores eram constituídos de válvulas eletrônicas (eram componentes grandes e caros), era uma técnica lenta e pouco durável. Nessa época os computadores só tinham utilidade cientifica, para poder fazer cálculos mais rápidos (algumas vezes a mais que nossa capacidade de calcular). A mão de obra utilizada era muito grande para manter o computador funcionando, para fazer a manutenção de válvulas e fios (quilômetros), que eram trocados e ligados todos manualmente. Essas máquinas ocupavam grandes áreas, como salas ou galpões. A programação era feita diretamente, na linguagem de máquina. A forma de colocar novos dados era por papel perfurado.

1952 - 1964[editar | editar código-fonte]

Período destacado pela origem dos transistores e grande diminuição de cabos e fios, diminuição de tamanho das máquinas e aumento da capacidade de execução de cálculos em relação à geração anterior. O começo da comercialização dos computadores foi marcado, eram vendidos para as grandes empresas.

Foi utilizada a técnica de integração em que em uma pequena cápsula continha vários transistores, chegando a milhares em um espaço menor que uma unha. É o começo do microprocessador, a linguagem de programação sendo feita por mnemônicos (comandos abreviados). A linguagem dominante era ASSEMBLY e nessa época os cálculos estavam na casa dos milionésimos de segundo. Surgiram formas de armazenamento cada vez maiores: as fitas e tambores magnéticos (para uso de memória).

1964 - 1971[editar | editar código-fonte]

Uma nova técnica de Circuito Integrado foi criado, o SLT (Solid Logic Technology) e uma técnica de microcircuitos. Com isso foi possível fazer processos simultâneos, dando um grande salto de processamento, ainda tendo novas evoluções para técnica de integração SSI (integração em pequena escala) e MSI (integração em média escala). As técnicas de integração evoluíram de SSI (integração em pequena escala), LSI (integração em grande escala) e VLSI (integração em muito grande escala). As linguagens utilizadas na época eram linguagens orientadas (linguagem universal, assemelhando-se cada vez mais com a linguagem humana). Esses processos chegaram a bilionésimos de segundos.

1971 - 1981[editar | editar código-fonte]

Nessa geração surgiram os microprocessadores, e com isso a redução dos computadores (microcomputadores). Também o surgimento de linguagens novas de alto nível, bem como a transmissão de dados entre computadores através de rede.

1981 - atual[editar | editar código-fonte]

Com a nova geração em que estamos vivendo, surgiu com VLSI, a Inteligência artificial, com altíssima velocidade (com um ou mais núcleos por processadores, grande frequência e transferência de dados entre os componentes do computador), programas com alto grau de interatividade com o usuário e a grande rede mundial (Internet). Tudo isso impulsionou mais ainda a informática.

Vantagens de um Sistema de Informação[editar | editar código-fonte]

Em um Sistema, várias partes trabalham juntas visando um objetivo em comum. Em um Sistema de Informação não é diferente, porém o objetivo é um fluxo mais confiável e menos burocrático das informações. Em um Sistema de Informação bem construído, suas principais vantagens são: Redução de custos operacionais e administrativos e ganho de produtividade; Mais integridade e veracidade da informação; Mais estabilidade; Mais segurança de acesso à informação.

Otimização do fluxo de informação permitindo mais agilidade e organização; Informações de boa qualidade são essenciais para uma boa tomada de decisão.

Observações: Um Sistema de Informação não precisa ter essencialmente computadores envolvidos, basta ter várias partes trabalhando entre si para gerar informações.

Ele pode ser tanto manual quanto baseado em TI, ou uma mescla dos dois. Acontece que um Sistema de Informação grande, dificilmente sobrevive atualmente sem estar informatizado, o que por si só,não elimina o fator humano no processo. É a interação dos componentes da TI com o componente humano que faz com que um Sistema de Informação tenha funcionalidade e utilidade para a organização.

Sistema de Informação nas empresas[editar | editar código-fonte]

À escala das organizações, a informação é um fator decisivo na gestão por ser um recurso importante e indispensável tanto no contexto interno como no relacionamento com o exterior. Quanto mais viável, oportuna e exaustiva for essa informação, mais coesa será a empresa e maior será o seu potencial de resposta às solicitações da concorrência. Alcançar este objectivo depende, em grande parte, do reconhecimento da importância da informação e do aproveitamento das oportunidades oferecidas pela tecnologia para orientarem os problemas enraizados da informação.

A revolução da Informação exige, assim, mudanças profundas no modo como vemos a sociedade na organização e sua estrutura, o que se traduz num grande desafio: aproveitar as oportunidades, dominando os riscos inerentes ou submeter-se aos riscos com todas as incertezas que acarretam.

Na chamada Sociedade de Informação, esta possui um efeito multiplicador que dinamizará todos os sectores da economia, constituindo, por sua vez, a força motora do desenvolvimento político, económico, social, cultural e tecnológico.

O acesso à informação e a capacidade de, a partir desta, extrair e aplicar conhecimentos, são vitais para o aumento da capacidade concorrência e o desenvolvimento das actividades comerciais num mercado sem fronteiras. As vantagens competitivas são agora obtidas através da utilização de redes de comunicação e sistemas informáticos que interrelacionam empresas, clientes e fornecedores.

Sistemas de Informação na Saúde[editar | editar código-fonte]

Os Sistemas de Informação em Saúde devem incluir todos os dados necessários aos profissionais de saúde e utilizadores dos sistemas, com o objectivo de desenvolverem e protegerem a saúde das populações. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o investimento nestes sistemas de informação possui vários benefícios, como ao nível do auxilio aos tomadores de decisão, no controle e detecção de problemas de saúde endémicos, na monitorização de progressos e metas pré-estabelecidos e na promoção da equidade e da qualidade dos serviços[4] .

Classificação de Informação Operacional(TI)[editar | editar código-fonte]

(SIO)''': tratam das transações rotineiras da organização; Comumente encontrados em todas as empresas automatizadas

  • Sistemas de Informação Gerencial (SIG): agrupam e sintetizam os dados das operações da organização para facilitar a tomada de decisão pelos gestores da organização;
  • Sistemas de Informação Estratégicos (BI - Business Intelligence): integram e sintetizam dados de fontes internas e externas à organização, utilizando ferramentas de análise e comparação complexas, simulação e outras facilidades para a tomada de decisão da cúpula estratégica da organização.
  • Sistemas de Informação Comerciais/Negociais (CRM- Customer relationship management): referem-se ao processo de coleta, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte à gestão de negócios de uma organização, tanto em relação ao comércio e colaboração com outras empresas, como ao atendimento direto com o cliente.

Funcionamento de um SI[editar | editar código-fonte]

SI Function Interpress[editar | editar código-fonte]

Como qualquer outro sistema, o SI inclui a entrada (input)que envolve a captação ou coleta de fontes de dados brutos de dentro da empresa ou de um ambiente externo. O processamento envolve a conversão dessa entrada bruta em uma forma mais útil e apropriada. A saída (output) envolve a transferência de informação processada às pessoas ou atividades que a usarão (processa os inputs e produz outputs, que são enviados para o usuário ou para outro sistema).Pode conter também um mecanismo de feedback que controla a operação.[5]

Um SI pode ser dividido em 3 partes:

Entrada que recebe todos os problemas e dados da empresa, como dados, informações,regra de negócios, todos eles podem ser interno ou externo (jornais, revistas, pesquisa) (este se enquadra como um SI de BI - Business Intelligence)

Processamento / Controle que faz toda o processamento para transformar esses dados, informações e regra de negócios em informação.

Saída que gera os resultados para que possa dar um suporte na tomada de decisões gerenciais da empresa.

Entrada[editar | editar código-fonte]

  • Dados;
  • Informação;

Regras de Negócio;

Processamento/Controle[editar | editar código-fonte]

  • Tomadores de decisão;
  • Auto Controle;

Saída[editar | editar código-fonte]

  • Relatórios;
  • Gráficos;
  • Cálculos;
  • Táticas;

Segundo Turban, McLean e Wetherbe[6] , um sistema de informação baseado em computador (genericamente chamado de sistema da informação) é um método que utiliza tecnologia de computação para executar algumas de todas as tarefas desejadas. Pode ser composto de apenas um computador pessoal e software, ou incluir milhares de computadores de diversos tamanhos com centenas de impressoras e outros equipamentos, bem como redes de comunicação e banco de dados.

De acordo com O'Brien [7] os SI são relacionados da seguinte forma:

  • Hardware: computadores e periféricos como: impressora, processadores, monitores, teclados, dispositivos de leitura externo, etc. Juntos, eles aceitam dados e informação, processam-nos e permitem sua visualização.
  • Software: é um conjunto de programas que permite que o hardware processe dados. Exemplos: [[software utilitário[[ (sistema operacional); Software aplicativo (conjunto de programas que realizam as funções necessárias para dar suporte às atividades empresariais, como gerar folha de pagamento, emitir nota fiscal, etc.).
  • Pessoas: são aqueles indivíduos que trabalham com o sistema ou utilizam sua saída . São usuários e operadores de hardware e software.
  • Banco de Dados:é uma coleção de arquivos, tabelas e outros dados inter-relacionados que armazenam dados e suas respectivas associações.
  • Redes: é um sistema de ligação que permite o compartilhamento de recursos entre diversos computadores.
  • Procedimentos: são um conjunto de instruções sobre como combinar os elementos mencionados de forma a processar as informações e gerar saídas desejadas. Também podemos dizer que são as funções que o sistema deve executar.

Profissional de Sistemas de Informação[editar | editar código-fonte]

Outras definições além disso, o termo também é utilizado para descrever a área de conhecimento encarregada do estudo de Informática, tecnologia em computadores e suas relações com as organizações. Neste contexto, esta disciplina é comumente classificada como uma ciência exata e da terra.

Um terceiro uso para a expressão Sistemas de Informação refere-se a um curso de graduação cujo foco é o desenvolvimento e aplicação de sistemas de informação computadorizados nas organizações. O conteúdo deste curso abrange aspectos técnicos, gerenciais e sociológicos, abrangendo, em linhas gerais, os conteúdos relevantes estudados na área de conhecimento Sistemas de Informação.

Um sistema de informação pode ser então definido como todo sistema usado para prover informação (incluindo o seu processamento), qualquer que seja o uso feito dessa informação, inclusive arquivamento.

Um sistema de informação possui vários elementos inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo), disseminam (saída) os dados e informações e fornecem um mecanismo de feedback.

Um Sistema de Informação de Marketing pode ser definido como um conjunto de procedimentos e métodos para o planejamento, coleta, análise e apresentação regulares de informação para o uso no processo de tomada de decisão de marketing.

O profissional formado em Sistemas de Informação deve analisar, planejar e organizar o processamento, armazenamento e recuperação da informação e disponibilizá-la ao usuário. Sua principal função é analisar e entender os problemas de uma organização, buscando soluções com uso da tecnologia computacional, através de ferramentas disponíveis no mercado ou produzindo seus próprios sistemas.

Referências

  1. Gonçalves, Leandro Salenave. Sistema de Informação (em Português). Página visitada em 11/02/12.
  2. Laudon, Kenneth C., Laudon, Jane Price. Sistema da Informação com Internet. [S.l.: s.n.], 1999. 4 p.
  3. MEC, Secretaria de Educação Superior. [http://www.inf.ufrgs.br/ecp/docs/diretriz.pdf DIRETRIZES CURRICULARES DE CURSOS DA ÁREA DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA] (em Português). Página visitada em 11/02/12.
  4. ALMEIDA, Andreia - «Os Sistemas de Gestão da Informação nos Hospitais Públicos Portugueses». Actas do 11º Congresso BAD, Lisboa, 2012.
  5. Gonçalves, Leandro Salenave. Sistema de Informação (em Português). Página visitada em 11/02/12.
  6. TURBAN, Efraim, McLEAN, Ephraim , WETHERBE, James. Tecnologia da informação para gestão. [S.l.: s.n.], 2004. 39 p.
  7. O'Brien, James. Sistema de Informação e as decisões gerenciais na era da internet. [S.l.: s.n.], 2004.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Em português
Em inglês

Predefinição:Ciência exatas {{Categoria:Sistemas de informação}}