Televisão por satélite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antena parabólica para receber o sinal da televisão por satélite.

Televisão por satélite são programações de televisões emitidas através de um ponto da terra por meios de satélites de comunicações e recebidas por uma antena externa, normalmente um modelo parabólico geralmente referido como uma mini-antena parabólica, juntamente com um receptor de satélite que sob a forma de uma externa set-top box ou um módulo sintonizador de satélite embutido a um aparelho de TV. Os decodificadores são disponíveis juntamente com um cartão ou um USB para ser conectado a um computador pessoal. Em muitas áreas do mundo o as operadoras de TV por satélite oferece uma grande variedade de canais e serviços, muitas vezes em áreas que não são servidos por provedores terrestres ou a cabo.

A transmissão é feita pelo sistema DTH (direct-to-home) que transmite o sinal analógico e digital. Isto dependendo de ter um receptor de satélite analógico ou um receptor de satélite digital. A televisão por satélite analógico está sendo substituído pela televisão via satélite digital e este último já está disponível em uma melhor qualidade conhecida como televisão de alta definição.

Existem três tipos de televisão por satélite, recepção direta pela recepção visualizador (DTH) para redistribuição por cabo (posterior) e serviços entre afiliadas de televisão local.

História[editar | editar código-fonte]

O sinal de televisão via satélite foi retransmitida primeiro na Europa pelo o satélite Telstar para a América do Norte em 1962. O primeiro satélite de comunicação geosynchronous, Syncom 2, foi lançado em 1963. O primeiro satélite de comunicação comercial, chamado de Intelsat I (apelidado Early Bird), foi lançado em órbita síncrona em 06 de abril de 1965. A primeira rede nacional de televisão por satélite, chamado Orbita, foi criado na União Soviética em 1967, e foi baseado no princípio de usar o altamente elíptica Molniya satélite para re-emissão e entrega do sinal de TV para as estações terrestres downlink. O primeiro satélite comercial norte-americano para levar a televisão o sinal era geoestacionários do Canadá Anik 1, que foi lançado em 1972.[1] O primeiro satélite a fazer uma experiências educacional e DTH foi ATS-6, lançado em 1974. O primeiro satélite geoestacionário Soviético para levar a transmissão direct-to-home, era chamado Ekran, e foi lançado em 1976.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

Satélites utilizados para sinais de televisão estão localizados em órbita geoestacionária a 35 786 km acima da Linha do Equador. Porque a órbita da Terra com a mesma velocidade e direção que essa turnê, a sensação de que eles não estão se movendo. A importância deste é vital, uma vez que é possível a utilização de um transmissor ou um dispositivo receptor sem a necessidade de reposicionar o satélite como ele se move. Tenha em mente que o número de satélites em órbita geoestacionária pode ser limitado, como é necessário para evitar possíveis interferências que possam surgir entre eles. Isto é, se considerarmos que os satélites que operam em Banda C devem ser separados 2° entre eles, vemos que o número máximo de satélites que temos é de 360​​/2=180. Com relação à Banda Ku, a separação é menor (1°), para que possamos ter até 360/1=360.

A transmissão via satélite começa no momento em que o transmissor envia o sinal, modulada em uma freqüência previamente específicas para um satélite de comunicações. Para realizar esta questão é necessário o uso de antenas parabólicas 9-12 metros de diâmetro. O uso das dimensões da antena de alto permite maior precisão na segmentação do satélite, facilitando a recepção do sinal com uma alta potência suficiente.

O satélite recebe o sinal através de um dos seus transponders, sintonizado na freqüência usada pela emissora. Em geral, um satélite disponibiliza até 32 transponders para a Banda Ku e até 24 para a Banda C. A Largura de banda dos transponders é geralmente entre 27-50 MHz.

Em seguida, os satélites retransmite o o sinal em volta da Terra, mas, neste caso, usando uma frequência diferente, geralmente em Bandas C ou Ku, a fim de evitar interferência com o sinal do transmissor. Este sinal, é bastante debilitado devido ao grande número de quilômetros que deve percorrer para chegar ao destino, é capturado por uma antena parabólica instalada pelo usuário final. O sinal, muito fraco, é refletido e concentrado no ponto focal da antena, onde está o feedhorn. Ele é responsável por receber o sinal e trazê-lo para o LNB para posterior conversão e amplificação. No caso particular de antenas parabólicas para satélites de transmissão direta realmente ter um LNBF, que integra o feedhorn e o LNB em uma única peça.[2] [3]

Finalmente, o receptor de satélite demodula e converte o sinal para o formato desejado. Em casos como o do sinal PPV criptografado é recebido, para que o receptor também tem um decodificador embutido para visualizar o conteúdo corretamente recebido.

Na América Latina[editar | editar código-fonte]

Na América Latina a televisão por satélite é popular apenas em alguns países por seus preços.

Os serviços mais populares são o SKY que tem cerca de 3,3 milhões de assinantes no México, Brasil (só no Brasil, 1,7 milhões), América Central e Caribe.

A DirecTV oferece o mesmo serviço para a América do Sul com um total de 1,5 milhões de assinantes. No entanto, este tipo de serviço para pagar não é muito popular na América Latina devido aos maiores preços de assinatura, no entanto, DirecTV Chile é muito popular naquele país. No Paraguai, a empresa já está licenciada, mas ainda não é operacional. Na Venezuela, é a segunda operadora de televisão por, com aceitação muito alto neste país têm uma preferência para a televisão por cabo com uma penetração muito elevada.

Existem também outros serviços como Dish no México, Movistar TV Digital na Colômbia, Venezuela, Chile, Peru e Brasil (como Vivo TV), e Claro TV no ​​Chile, Peru, El Salvador e agora também em HD TuVes Paraguai, Chile, Bolívia, Peru e Paraguai.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Televisão por satélite

Referências

  1. Robertson, Lloyd. "Anik A1 launching: bridging the gap", CBC English TV, 1972-11-09. Página visitada em 2007-01-25. (em Inglês)
  2. (en inglés) Hervé Benoit, Satellite Television: Techniques of analogue and digital television, 1999
  3. (en inglés) Method and system for receiving and distributing satellite transmitted television signals