Alpha Dog

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Alpha Dog
Pôster promocional
 Estados Unidos
2006 •  cor •  117[1] min 
Direção Nick Cassavetes
Produção Sidney Kimmel
Paul Ralph
Roteiro Nick Cassavetes
Elenco Emile Hirsch
Justin Timberlake
Ben Foster
Shawn Hatosy
Anton Yelchin
Sharon Stone
Bruce Willis
Gênero Drama
Música Aaron Zigman
Cinematografia Robert Fraisse
Edição Alan Heim
Companhia(s) produtora(s) Sidney Kimmel Entertainment
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 27 de janeiro de 2006 (Sundance)
Brasil 18 de maio de 2007
Portugal 19 de julho de 2007
Idioma Inglês
Receita $32,145,115[2]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Alpha Dog é um filme de drama policial estadunidense de 2006, escrito e dirigido por Nick Cassavetes, sendo o primeiro exibido no Festival Sundance de Cinema, em 27 de janeiro de 2006 e em um grande lançamento no ano seguinte, em 12 de janeiro de 2007. Estrelado por Emile Hirsch, Justin Timberlake, Ben Foster, Shawn Hatosy, Anton Yelchin, Olivia Wilde, Amanda Seyfried, Harry Dean Stanton, Sharon Stone, e Bruce Willis, o filme é baseado na história real do seqüestro e assassinato do jovem de 15 anos Nicholas Markowitz, e eventos relacionados em 2000, retratando o envolvimento de Jesse James Hollywood, um jovem traficante de classe média da Califórnia.[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O filme conta a história de Johnny Truelove (Emile Hirsch) que, na década de 1990, tornou-se a pessoa mais jovem a entrar na lista dos mais procurados pelo FBI. Traficante de drogas, seqüestra Zack (Anton Yelchin), afim de pressionar o irmão mais velho do garoto, o violento Jake (Ben Foster), a quitar uma dívida. No entanto, as coisas saem do controle, e tomam um rumo inesperado, terminando com a morte de Zack, e a condenação dos envolvidos no caso.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Johnny Truelove (Emile Hirsch) é um jovem traficante de maconha no sul da Califórnia. Sonny Truelove (Bruce Willis) fornece a maconha a seu filho, que a distribui a sua turma de amigos, incluindo Jake Mazursky (Ben Foster). Jake deve a Johnny uma dívida de drogas. Jake Mazursky faz uma tentativa frustrada de conseguir o dinheiro com sua madrasta, Olivia (Sharon Stone) e seu pai biológico Butch (David Thornton). Olivia e Butch estão lidando com seus próprios problemas, na forma de seu filho rebelde Zack Mazursky (Anton Yelchin), meio-irmão de Jake, que admira o irmão mais velho. A disputa entre Jake e Johnny cresce através de uma série de retaliações, que culmina em Johnny, Frankie (Justin Timberlake) e Tiko (Fernando Vargas) seqüestrando Zack. Eles pretendem manter Zack como garantia até que Jake pague a sua dívida. Querendo uma pausa de sua vida em casa, Zack faz pouco esforço para escapar. Seu braço direito Frankie, inicialmente, lhe oferece a chance para escapar, mas Zack recusa a oferta, não querendo causar maiores problemas para o seu irmão, gerando até uma improvável amizade entre eles. Zack fica com Frankie na casa de seu pai, faz as tarefas, e insinua-se com amigos de Frankie, incluindo Keith Stratten (Chris Marquette) e Julie (Amanda Seyfried), integrante mais jovem do grupo. Por este motivo, uma série de amigos da gangue passam a saber sobre o sequestro de Zack, embora apenas Susan (Dominique Swain) parece preocupar-se com isso. Frankie fica nervoso quando Johnny oferece hipoteticamente uma determinada quantia em dinheiro para assassinar Zack e dispor de seu corpo. Frankie furiosamente declina e Johnny diz que foi uma piada. Frankie então, sugere oferecer um dinheiro à Zack, para ele voltar para casa e manter a boca fechada, como se nada tivesse acontecido. No entanto, após uma conversa com seu advogado e telefonemas ameaçadores de Jake, Johnny acredita que o risco de acabar na prisão ou ser morto é grande demais para deixar Zack ir. Johnny chama Elvis (Shawn Hatosy) e se oferece para apagar uma dívida de drogas, se ele matar Zack. Enquanto isso, em uma festa de despedida estridente, Zack demonstra suas habilidades em artes marciais para Frankie, que percebe que ele poderia ter escapado a qualquer momento. Frankie e seus amigos ainda acreditam que Zack vai voltar para casa no final da noite. Durante a festa, Zack tem bons momentos com Julie e sua amiga Alma (Amber Heard) na piscina. Depois, Julie dá a Zach seu número, e Alma dá-lhe um beijo de despedida na bochecha. Elvis chega ao hotel em que Zack está à espera de ser pego e luta com Frankie, antes ameaçando-o de morte se ele interferir no plano. Elvis leva Keith para cavar uma sepultura, enquanto Frankie oferece a Zack uma última oportunidade de ir para casa. Acreditando que ele faz parte do grupo e em breve voltará para casa em segurança, Zack prefere esperar no hotel até Elvis voltar. Enquanto isso, Sonny, Cosmo (padrinho de Johnny), e o advogado tentam convencer Johnny, que se recusa a cancelar o assassinato. Frankie, Elvis, Zack, e Keith chegam no local da sepultura. Zack não está ciente do que está acontecendo e começa a suspeitar quando Keith profundamente triste, fica em silêncio. Keith então, se recusa em continuar com aquilo até o fim, e, depois de dar em Zack um abraço de despedida, vai esperar no carro. Zack vê o túmulo e começa a chorar, implorando à Frankie e Elvis a deixá-lo ir. Frankie diz à Elvis que eles não deveriam fazer isso, mas Elvis está mais interessado no trabalho que lhe foi dado, afim de amenizar sua dívida com Johnny. Percebendo que não há mais como voltar atrás, Frankie acalma Zack, dizendo que ele nunca iria machucá-lo, amarrando-o com fita. Ele fica surpreso quando Elvis bate violentamente em Zack com a pá, derrubando-o na sepultura, e, em seguida, dispara contra Zack com uma metralhadora, matando-o. Frankie e Elvis então silenciosamente saem. Apesar de tudo, o corpo de Zack é encontrado três dias depois. O epílogo mostra as consequências do crime. Olivia, agora sofrendo de obesidade e depressão, é entrevistada. Ela fala abertamente sobre suas tentativas de suicídio fracassadas e a perda que ela sofreu desde o assassinato de seu filho. Susan confronta Frankie sobre a morte de Zack e vai às autoridades. Elvis é pego ao tentar sair de Los Angeles. Johnny foge da cidade e chega à casa de um velho amigo de escola (Lukas Haas). O amigo o leva de volta para a casa de seu padrinho, Cosmo (Harry Dean Stanton), onde ele entra e não é visto novamente. Tiko, Frankie, e Keith são presos. Depois de ser condenado, todos eles sofrem suas respectivas penas: Tiko é condenado a nove anos pelo sequestro. Keith vai para uma instalação juvenil, aonde é mantido até a idade de 25 anos, por cavar a sepultura, sendo condenado em segundo grau, pelo assassinato de Zack. Frankie é condenado a sete anos de prisão por circunstâncias especiais de sequestro agravado. Elvis é colocado no corredor da morte pelo seqüestro e assassinato de Zack. Johnny, no entanto, está longe de ser encontrado. O entrevistador pergunta à Sonny, como Johnny conseguiu escapar das autoridades durante quatro anos, sem ajuda. Sonny garante que ele não sabe onde Johnny está. Em 2005, após mais de cinco anos estando na lista dos mais procurados da América, Johnny é finalmente encontrado e preso no Paraguai. Johnny então é levado à Califórnia, aonde fica aguardando julgamento, e, se provado culpado, será condenado a pena de morte.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Questões jurídicas[editar | editar código-fonte]

Durante as filmagens, no Condado de Santa Bárbara, o procurador distrital Ronald J. forneceu cópias de muitos documentos sobre o caso, e serviu como um consultor não remunerado para o filme, citando seu desejo de ter capturado Jesse James Hollywood. Zonen, advogado de acusação, após processar co-réus de James Hollywood, já estava prestes a processar James, depois de o mesmo ser capturado no Paraguai, e posteriormente, extraditado para os Estados Unidos. Seu advogado de defesa alegou que havia um conflito de interesses, e o Tribunal de Recursos da Califórnia para o Segundo Distrito, pronunciou em 5 de outubro de 2006 que, com base nas divulgações dos arquivos e consultas de Zonen, ele deveria ser recusado de uma maior participação nos processos contra James Hollywood.[4][5] Em 20 de dezembro de 2006, a Suprema Corte da Califórnia concedeu comentário sobre o caso, efetivamente ficando a fim de afastar Zonen.[6] Em 12 maio de 2008, a Suprema Corte da Califórnia decidiu que Zonen não deveria ser afastado.[7] No entanto, Zonen foi substituído como advogado de acusação, pelo deputado distrital Atty Joshua Lynn.

Além disso, o advogado de James Hollywood, tentou bloquear o lançamento do filme. [8]

Após o atraso, o julgamento de James Hollywood começou dia 15 de maio de 2009, com declarações de abertura da defesa dizendo que James não estava envolvido com o assassinato.[9] Em seu discurso de abertura, Lynn descriveu James Hollywood como "um covarde impiedoso".[10] Em 8 de julho, 2009, ele foi condenado por seqüestro e assassinato em primeiro grau com circunstâncias especiais para a qual ele pudesse enfrentar a pena de morte.[11]

Precisões históricas[editar | editar código-fonte]

O filme, de certa forma, explorou o uso e venda de drogas por "Johnny Truelove" assim como Jesse James Hollywood fazia, soando verdadeiro com a história real. James Hollywood, com a ajuda de seu pai, vendia maconha, e trazia amigos do ensino médio para auxiliar na operação. Ryan Hoyt a base para o personagem de "Elvis" estava em dívida com James Hollywood, e foi descrito como uma "bala perdida",[12] que queria impressionar seu amigo e ficar em suas boas graças, já que devia à Hollywood mil dólares, como retratado no filme. Ele é descrito como o bode expiatório do grupo, era constantemente insultado, alvo de piadas, como retratado no filme com precisão. Como visto no início do filme, se você não tem o dinheiro de Hollywood, você passa a ser seu servo, trabalhando para pagar a dívida. O grupo também pode ter temido o pai de Hollywood, embora não se sabe se eles sabiam de seu envolvimento, e em que grau.

Mesmo testemunhas que viram Nick Markowitz, sentiram que, enquanto ele estava sendo mantido como refén, ele estava a par da situação, e queria ficar assim para não causar mais problemas para seu irmão mais velho Ben. Eles ainda foram tão longe, como se referindo a ele como "Stolen Boy".[13] Acredita-se que a situação começou como um impulso do momento, uma oportunidade, pois, quando se dirigiam para lidar com a dívida de Ben, passaram por Nick, que estava fugindo de casa no momento. Até mesmo os pais de testemunhas que viram o grupo, sentiram que Nick fazia parte do grupo, não vendo nada de errado na situação. Isso causou algumas críticas, principalmente porque ele era bem conhecido, pelo menos 20 ou mais das 38 testemunhas, sabiam que ele estava ali, não por sua própria vontade, mas mesmo assim, eles não agiram para ajudar ou trazer as autoridades. Como visto no filme, Hollywood estava presente apenas nos estágios iniciais deste crime, e na cena da festa em que ele é visto conversando com Nick, e assegurando-lhe que logo aquilo terminaria, e ele voltaria para casa.

Há algum debate a respeito de onde veio a idéia de matar o menino, sendo que por estar em dívida com James Hollywood, Hoyt tomou para si, lidar com a situação, como forma de demonstrar sua lealdade e compromisso à James Hollywood. Hollywood não estava presente na maioria das ações do crime, mas é debatido, se ele realmente tomou a decisão de matá-lo, ou assumir com as consequências, uma vez que era tarde demais. O filme o retrata como o cérebro da operação, sendo que os outros meninos, não faziam um movimento sem a sua palavra. Como visto no filme, Hollywood se encontrava com seu advogado, sempre usando o argumento de que seus amigos tinham feito alguma coisa, e ele queria saber quais os problemas em que isto resultaria. Até certo ponto, acredita-se que o grupo estava sob a impressão de que o garoto seria enviado para casa com segurança, mas após o advogado explicar-lhe a seriedade do assunto, Hollywood entrou em pânico e decidiu que o garoto seria um passivo.

Enquanto o filme retrata Ben Markowitz com precisão, como um dos associados mais violentos de Hollywood, o filme mostra Jake partindo em uma caçada a Truelove, e ameaçando-o por telefone. Na realidade, Ben não tinha conhecimento do sequestro de seu irmão, até que Nick fosse assassinado, assim, a luta de Jake no bar, e o telefonema para Johnny, foram feitos exclusivamente para o filme.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Durante sua semana de estreia, Alpha Dog arrecadou $ 6.412,775, tornando-se o #7 na bilheteria.[14] O filme fechou em 22 de fevereiro de 2007, após bilheteria $15.309,602 no mercado interno, e totalizou $32.145,115 em todo o mundo, durante sua exibição, de cerca seis semanas.[2]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu críticas mistas; de 143 críticos, 55% deles foram positivos[15], "Um retrato inabalável e brilhante, de violentos adolescentes hedonistas. Bruce Willis e Sharon Stone mastigam a paisagem, enquanto Justin Timberlake tem um desempenho notável".

Yelchin foi elogiado como "capaz de trazer todas as emoções conflitantes de Zack", e transmitir tudo isso lindamente.[16]

Reação da família Markowitz[editar | editar código-fonte]

Susan Markowitz tentou o suicídio três vezes.[17] "Ela é tão torturada por tudo o que aconteceu, que acabou tentando tirar sua própria vida. A última coisa que qualquer um de nós quer é ver esta imagem. "Como é que os pais se sentiriam sobre um filme de Hollywood, que exaltasse a morte de seu filho, permitindo que as celebridades ganhassem dinheiro com tal situação, o assassinato do mal..??"[18] No entanto, Susan participou do lançamento do filme e supostamente, foi levada pelo intérprete de Zack (Nick) Anton Yelchin. Após a exibição, ela abraçou Sharon Stone, que interpretou Olivia (Susan).[17]

Home media[editar | editar código-fonte]

Alpha Dog foi lançado em DVD em 1 de maio de, 2007. inclui um DVD / DVD HD pacote de combinação em que ambas as formas estão incluídas em uma caixa. As vendas de DVDs reunidos somam $12.324,535 em receitas, com cerca de 743.036 unidades vendidas.[19] Foi lançado no formato Blu-ray em 13 de julho de 2010.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Alpha Dog
Trilha sonora de Vários artistas
Lançamento 9 de janeiro de 2007
Gravação 2005-06
Gênero(s) Rap
Gravadora(s) Milan
Produção Aaron Zigman

A trilha sonora foi lançada pela Milan Records em 9 de janeiro de 2007.[20][21]

  1. "Over the Rainbow" (Eva Cassidy)
  2. "Enemy and I" (Lazarus)
  3. "Bullet & a Target" (Citizen Cope)
  4. "Jake Breaks In" (Paul Bushnell)
  5. "Caribou Lou" (Tech N9ne)
  6. "Revolving" (Paul Bushnell)
  7. "Slither" (Tech N9ne)
  8. "Liar" (Miredys Peguero & Paul Graham)
  9. "Winner" (Paul Bushnell)
  10. "Let's Chill" (Mic Holden, Maya & Reneé Rogers)
  11. "Dragonfly" (Miredys Peguero & Paul Bushnell)
  12. "LA LA Land" (Tech N9ne com Gina Cassavetes)
  13. "Pool Party" (Mic Holden)
  14. "Never Give Up" (Mic Holden)
  15. "At the Site/Driving to the Site"
  16. "We Are The Lost" (Lawrence Faljean)
  17. "Basketball" (Lowd)
  18. "Cookie Monster" (Paul Graham & Paul Bushnell)
  19. "Elvis Arrested"
  20. "Weightlifting" (Lowd)
  21. "Marco Polo" (Lowd & Cassie Simone)
  22. "Night and Day" (Tech N9ne)
  23. "Say Goodbye Hollywood" (Eminem)

Referências

  1. «ALPHA DOG (15)». Icon Film Distribution. British Board of Film Classification. 21 de abril de 2006. Consultado em 4 de abril de 2014. 
  2. a b Alpha Dog (em inglês) no Box Office Mojo. Predefinição:Retrieved
  3. «The real story behind 'Alpha Dog'». MSNBC. 2005 
  4. «Deputy DA removed from Jesse James Hollywood murder case». USA Today. 5 de outubro de 2006. Consultado em 1 de janeiro de 2007. 
  5. Hollywood v. Superior Court, 143 Cal. App. 4th 858, 49 Cal. Rptr. 3d 598 (2006).
  6. «Jesse James Hollywood appeal turned down by the Supreme Court». Los Angeles Times. 21 de outubro de 2008. Consultado em 1 de janeiro de 2007. 
  7. Hollywood v. Superior Court, ___ Cal.4th ___ (May 12, 2008, S147954).
  8. «DEFENDANT SUES OVER 'ALPHA DOG' JESSE JAMES HOLLYWOOD SEEKS TO STOP PRETRIAL FILM». Los Angeles Daily News. 28 de outubro de 2006. Consultado em 1 de junho de 2009. 
  9. Risling, Greg (15 de maio de 2009). «Jesse James Hollywood called coward at trial». Associated Press. Consultado em 1 de junho de 2009. 
  10. «Kidnap-murder trial opens for Jesse James Hollywood». Los Angeles Times. 15 de maio de 2009. Consultado em 1 de junho de 2009. 
  11. «Jesse James Hollywood convicted of murder, kidnapping». Associated Press. 8 de julho de 2009. Consultado em 8 de junho de 2009. 
  12. «Jesse James Hollywood's murder trial opens». Los Angeles Times. Consultado em 14 de maio de 2012. 
  13. «Stolen Boy: The True Story that Inspired Alpha Dog». Yahoo. Consultado em 29 de maio de 2012. 
  14. Alpha Dog - Movie Reviews, Trailers, Pictures - Rotten Tomatoes
  15. Alpha Dog - Movie Reviews, Trailers, Pictures - Rotten Tomatoes
  16. Anton Yelchin Interview - Anton Yelchin on Alpha Dog, the True Story, and Charlie Bartlett
  17. a b Gaby Wood, "Shooting stars", The Observer, April 1, 2007
  18. «'Alpha Dog' Victim's Mother Attempts Suicide». Hollywood.com. 7 de janeiro de 2007 
  19. http://www.the-numbers.com/movies/2007/ALPHA-DVD.php
  20. Alpha Dog soundtrack information at Milan Records
  21. Alpha Dog soundtrack information at AllMusic

Ligações externas[editar | editar código-fonte]