André-Marie Ampère

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
André-Marie Ampère
Física, matemática
Nacionalidade França francês
Residência  França
Nascimento 20 de janeiro de 1775
Local Lyon
Morte 10 de junho de 1836 (61 anos)
Local Marselha
Atividade
Campo(s) Física, matemática
Instituições École Polytechnique, Collège de France
Conhecido(a) por Lei de Ampère
Assinatura
André-Marie Ampère signature.svg

André-Marie Ampère (Lyon, 20 de janeiro de 1775Marselha, 10 de junho de 1836) foi um físico, filósofo, cientista e matemático francês que fez importantes contribuições para o estudo do eletromagnetismo.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Lyon, foi professor de análise na École Polytechnique de Paris e no Collège de France.

Seu pai, Jean-Jacques Ampère, um abastado comerciante nessa cidade, tinha como objetivo principal de garantir-lhe uma completa educação quando possível, inclusivamente uma formação religiosa sólida. Como não queria que o filho tivesse, uma carga adicional de preconceitos dos ensinamentos religiosos, decidiu ele próprio supervisionar essa educação, com ajuda de uma gigantesca biblioteca, que André, aos onze anos, já tinha lido inteiramente. Depois da biblioteca do lado paterno, o jovem, com os 12 anos, já lidava com os principais teoremas da álgebra e da geometria, passou a estudar matemática, começando pela leitura das obras de Leonhard Euler e Jakob Bernoulli, tarefa complicada para o principiante, pois exige um conhecimento anterior sobre ramos bastante complexos da matemática. Além disso, Bernoulli escrevera suas obras em latim, língua que André desconhecia. No tempo de duas semanas assimilou essa língua com o pai e, no mesmo período de tempo, obteve princípios de análise infinitesimal com bibliotecário do colégio de Lyon. Assim, a exemplo de Pascal, com doze anos já podia redigir um tratado sobre as seções cónicas.

Em 1814 foi eleito membro da Académie des Sciences. Ocupou-se com vários ramos do conhecimento humano, deixando obras de importância, principalmente no domínio da física e da matemática.[1] Partindo das experiências feitas pelo dinamarquês Hans Christian Oersted sobre o efeito magnético da corrente elétrica, soube estruturar e criar a teoria que possibilitou a construção de um grande número de aparelhos eletromagnéticos. Além disso descobriu as leis que regem as atrações e repulsões das correntes elétricas entre si. Idealizou o galvanômetro, inventou o primeiro telégrafo elétrico e, em colaboração com Arago, o electroíman.[2]

O seu filho Jean-Jacques Ampère (1800-1864) foi filólogo, erudito, viajante e historiador literário francês, o seu nome é em honra do pai de André.

Obras[editar | editar código-fonte]

Entre suas obras, ele deixou por terminar Ensaio sobre a filosofia das Ciências, na qual iniciou a classificação do conhecimento do homem. Publicou Recueil d'Observations électro-dynamiques; La théorie des phénomènes électro-dynamiques; Précis de la théorie des phénomènes électro-dynamiques; Considérations sur la théorie mathématique du jeu; Essai sur la philosophie des sciences.[2]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

"Newton da Eletricidade" foi a designação que James Clerk Maxwell deu em homenagem a André, foi dado o último nome ampère (símbolo: A) à unidade de medida do SI (Sistema Internacional) da intensidade de corrente elétrica.[2][1]

Sepultura de Ampère e seu filho

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • LISA - Grande Enciclopédia da Língua Portuguesa (Histórico)
  • Koogan Larousse Seleções

Referências

  1. a b c «André-Marie Ampère - Biografia». UOL - Educação. Consultado em 09 de junho de 2012. 
  2. a b c «André-Marie Ampère». R7 - Brasil escola. Consultado em 09 de junho de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.