Automobile Dacia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Automobile Dacia S.A.
Tipo Subsidiária da Renault
Fundação 1966
Sede Mioveni, Argeş, Roménia
Produtos Automóveis
Website oficial www.daciagroup.com

Dacia é uma montadora de automóveis de origem romena, fundada em 1966 e desde 1999 pertencente ao grupo Renault. Sua fábrica única, na cidade de Mioveni é, atualmente, a maior do grupo Renault, com 7.100 funcionários. A linha de produtos Dacia inclui modelos comercializados no Brasil sob a marca Renault, como Logan, Sandero e Duster[1].

História[editar | editar código-fonte]

A Dacia surgiu oficialmente surgiu sob o nome Uzina de Autoturisme Piteşti (UAP) em 1966, com sua fábrica sendo contruída em Mioveni, proxima a Piteşti[2].

Inicialmente, a Dacia adquiriu o ferramental e os desenhos básicos do modelo Renault 12, produzindo como o Dacia 1300(nos mercados de exportação era conhecido como Dacia Denem)[3]. Pequenas mudanças estéticas foram feitas em poucos anos, em um esforço para aumentar o interesse do público em comprar um modelo mais recente, mas as principais características de design do carro ainda continuavam sem mudanças, tornando-o desatualizado. O Dacia 1300 chegou a ser produzido em versões hatchback, sedã e perua.[4]

Durante o período comunista, a Dacia possuía duas linhas de montagem paralelas: uma linha produziu o Dacia para o mercado romeno e outra linha produziu o mesmo carro, mas com elementos de melhor qualidade e melhor montado, destinado ao mercado de exportação. Era muito comum romenos que moravam na fronteira com a Hungria comprarem os modelos de exportação e voltarem para a Romênia os dirigindo.

O primeiro acordo com a Renault data de 1966 e foi celebrado com o objetivo de produzir o R16 que, apesar de tudo, acabou não indo adiante. Desta forma, o primeiro modelo produzido pala marca Romena acabou sendo o Dacia 1100 em 1968. Este modelo era muito semelhante ao Renault 8 uma vez que a empresa fabricava veículos Renault sob licença. Até 1972 venderam-se cerca de 44.000 unidades do Dacia 1100.

Na década de 80 surgiram inúmeros protótipos assim como variantes do Dacia 1310. Em 1990 foi feito um esforço para atualizar o design dos automóveis Dacia, o que levou ao lançamento de um novo modelo, o Dacia Nova. Apesar do esforço este modelo deixava ainda muito a desejar no que ao design dizia respeito. Com a entrada da Roménia na União Europeia todas as linhas de montagem foram renovadas e ampliadas.

Após quase 30 anos de cooperação com Dacia, que fabricava veículos Renault sob licença, o Grupo Renault adquiriu em 1999, 51% no capital do fabricante romeno. Esta participação foi aumentada progressivamente para atingir 99,3% do capital em 2004. Com a aquisição, a Renault reforçou assim a sua presença no mercado automobilístico e contribuiu para atingir o objetivo de 4 milhões de veículos vendidos em 2010. [5]

O grupo Renault realizou 489 milhões de euros de investimento nestes últimos 5 anos para a modernização da Dacia, tendo como principais objetivos, a melhoria profunda da qualidade, formação do pessoal, renovação da gama... Estes investimentos contribuíram nomeadamente para inaugurar novas linhas de montagem (motores e caixas de velocidade Renault), renovar as construções e renovar o equipamento informático.

Modelos[editar | editar código-fonte]

Dacia Logan, modelo sedã da montadora, já sob o controle da Renault.