Carnaval de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lazarim, Portugal.
Carnaval em Portugal
Carnaval de Sesimbra.

O Carnaval em Portugal possui uma longa tradição carnavalesca e raízes milenares, sendo ainda hoje um dos mais importantes "ciclos" festivos do país.[1]

Ainda que seja uma festa com maior destaque nos meios urbanos, possui ainda características próprias de meios rurais.[1]

Os mais importantes carnavais portugueses são o de Ovar[2], da Madeira,Estarreja, Loures[3], Nazaré, Podence, Loulé, Sesimbra[2], Sines, Elvas (chamado de Carnaval Internacional de Elvas) e Carnaval de Torres Vedras[2][3], que juntamente com o Carnaval de Canas de Senhorim é um dos mais antigos de Portugal.

Elementos[editar | editar código-fonte]

Entre os elementos da folia portuguesa mais tradicionais estão os caretos de Pudence, Trás-os-Montes.

Também em algumas regiões do Minho ainda se celebra o Entrudo, faz-se o enterro do mesmo na Terça de Carnaval à noite, faz-se um cortejo fúnebre com direito a carpideira durante a cerimónia é lido o Testamento do Entrudo, pretexto para um discurso satírico que tem como alvo as mais diversas autoridades. Desde o Presidente da Junta ao Presidente da República. A tradição de Carnaval que precede o entrudo, consiste em vestir roupas velhas. Os homens vestem-se de mulheres as mulheres de homem e têm que ter o rosto bem disfarçado. "Ganha" a fantasia que por todos passou e ninguém reconheceu quem era. Muita diversão e alegria no dia em que tudo é fantasia e se ri com coisas que normalmente preocupam a sociedade. Também os Cabeçudos ou Gigantones não podem faltar nesta festa.[carece de fontes?]

Em Lazarim e Podence, pertencente ao concelho de Lamego, decorre anualmente um dos Carnavais mais genuinamente portugueses, mantendo bem vivas tradições ancestrais que perduram ao longo dos tempos.[carece de fontes?] O principal interesse deste Entrudo são as suas famosas máscaras de madeira[4], esculpidas por artesão da vila. O Carnaval em si é uma uma herança romana, com uma mistura de tradições que remontam aos primeiros povos a habitar a região como os Celtas e Suevos e que estão carregadas de figuras da mitologia pagã.[carece de fontes?] Alguns exemplos são as máscaras de madeira eram, por alguns, revestidas a pele de coelho. Cobras e sardões, apanhados no inverno, serviam de ornamento, eram pregados às máscaras de madeira, para que estas adquirissem ainda um aspecto mais aterrorizante.[carece de fontes?]

O carnaval de Canas de Senhorim tem perto de 400 anos e tradições únicas como os Pizões, as Paneladas, Queima do Entrudo, Despique entre outras.

Nos Açores, mais propriamente na ilha Terceira, reside uma das formas mais peculiares do Carnaval em Portugal, as Danças e Bailinhos de Carnaval. Esta tradição, tida como a maior manifestação de teatro popular em Portugal, remonta ao tempo dos primeiros povoadores e reflete um estilo teatral bem ao jeito dos Autos vicentinos.[carece de fontes?]

Alguns carnavais como o de Ovar , da Madeira[3] têm forte inspiração no actual Carnaval do Rio de Janeiro.[3] Desses locais saíram a maioria dos imigrantes que haveriam de levar a tradição do Carnaval para o Brasil e com ele voltaram novas tradições.[3]

Estarreja, Loures (remonta a 1934 e tem o maior grupo de Carnaval organizado do país, "Mastronças"), Nazaré, Podence, Loulé, Sesimbra, Sines, Elvas (chamado de Carnaval Internacional de Elvas) e Torres Vedras que juntamente com o Carnaval de Canas de Senhorim é um dos mais antigos de Portugal.

O carnaval de Canas de Senhorim tem perto de 400 anos e tradições únicas como os Pizões, as Paneladas, Queima do Entrudo, Despique entre outras.

Em Lazarim, pertencente ao concelho de Lamego, decorre anualmente o Carnaval mais genuinamente português, mantendo bem vivas tradições ancestrais que perduram ao longo dos tempos. O principal interesse deste Entrudo são as suas famosas máscaras de madeira, esculpidas por artesão da vila. Existem testemunhos, que já no ano 1879, por altura do Carnaval, esta tradição assumia contornos de uma manifestação medieval, carregada de referências macabras, a belzebu e assumia um carácter assustador. As máscaras de madeira eram, por alguns, revestidas a pele de coelho. Cobras e sardões, apanhados no inverno, serviam de ornamento, eram pregados às máscaras de madeira, para que estas adquirissem ainda um aspecto mais aterrorizante.[carece de fontes?]

Em todos os desfiles de carnaval do país existem também um padrinho e uma madrinha que apadrinham esses mesmos desfiles, desfilando pelas ruas do local. Antes do carro alegórico dos padrinhos existem também escolas de samba que atuam atrás de outros carros alegóricos nas ruas de um determinado sítio onde é organizada a festa.[carece de fontes?]

Referências

  1. a b Carnaval in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-02-14 04:49:49]. Disponível na Internet: https://www.infopedia.pt/apoio/artigos/$carnaval
  2. a b c old.aproximaviagem.pt. «Dias de folia - Carnaval em Portugal». Consultado em 14 de fevereiro de 2018 
  3. a b c d e Marieta Cazarré (25 de fevereiro de 2017). «Carnaval de Portugal guarda origens da festa brasileira, com desfiles e animação» 
  4. JN (13 de fevereiro de 2018). «Sátira e samba: as imagens do Carnaval em Portugal». Consultado em 14 de fevereiro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre carnaval, integrado ao Projeto Carnaval é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.