Carnaval de Vitória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carnaval de Vitória 2009

O Carnaval de Vitória é um evento cultural, que tem como seu ponto alto os desfiles de escolas de samba, realizados uma semana antes do Carnaval carioca, na passarela do samba popularmente conhecida como Sambão do Povo[1], em Vitória. É também chamado de Carnaval do Espírito Santo ou Carnaval Capixaba, uma vez que nele participam várias escolas de Vila Velha, Cariacica, Serra e não apenas da capital, Vitória.

História[editar | editar código-fonte]

O Carnaval de Vitória tem sua história de altos e baixos acompanhando, naturalmente, as condições econômicas e culturais.O surgimento das escolas de samba, no Espírito Santo, começa com desaparecimento das grandes sociedades e dos grupos musicais, por volta 1929, a partir daí surgiram pequenos grupos chamados de batucadas, que apareceram em vários subúrbios.

As Batucadas[editar | editar código-fonte]

No início da década de 1930, na subida dos morros da Piedade e da Fonte Grande, no final da rua 7 de Setembro no centro de Vitória, foram formadas duas batucadas rivais, a "Chapéu do Lado" e a "Mocidade da Fonte Grande". Daí para frente começaram a surgir várias batucadas, como a "Centenário", a "Santa Lúcia", a "Mocidade da Praia", a "Andaraí", a "Prazer das Morenas", a "Gurigica do Centro", a "Girassol", a "Estrela da Vila". Em 1948, o desfile passou a ser oficialmente organizado, surgindo a UBES (União das Batucadas do Espírito Santo). Reportagens da época citam que o número de batucadas chegou a 12. Elas só possuíam instrumento de corda e percussão, puxadas por um cavaquinho ou banjo. O interessante era que cada uma das organizações era dirigida por um líder, cuja família fazia parte, e as reuniões eram feitas em sua casa. Existiram também alguns blocos como o Caveira, o Vou Deixar Cair, entre outros.

As escolas de samba[editar | editar código-fonte]

Tudo começou na década de 50, com o "Rominho da Fonte Grande", que trouxe o ritmo dos surdos e tamborins para nós, organizando a "Unidos da Piedade" (a primeira escola de samba capixaba) com a maioria do pessoal da batucada "Chapéu de Lado".

Foi uma grande novidade naquele ano, com seu ritmo diferente e seu enredo apresentando-se com toda a pompa. As escolas desceram do morro para o asfalto, a princípio na Praça 11, com suas alegorias críticas. Mas, na ditadura de Getúlio, houve intervenção e sequer elas podiam ser registradas com o nome de Escola, a não ser acrescentando a expressão Grêmio Recreativo Escola de Samba.

Essa novidade trazida pela Unidos da Piedade, logo se espalhou, com o passar dos anos, pela Grande Vitória. Durante as décadas de 1960 e 1970, o desfile cresceu e tomou o lugar das batucadas no protagonismo do Carnaval de Vitória. As batucadas foram desaparecendo ou se transformando em blocos ou escolas de samba. No início dos ano 80, o desfile passou a ser organizado pelo governo do estado do Espírito Santo, através da extinta Emcatur, empresa ligada ao turismo do estado. Em 1987, foi construído um local específico para os desfiles, chamado de sambódromo. Em Vitória ficou conhecido como Sambão do Povo, o segundo do gênero a ser inaugurado no Brasil, apenas 3 anos depois da inauguração do Sambódromo do Rio de Janeiro. O Carnaval de Vitória chega ao seu auge, chegando a ser considerado por muitos o segundo melhor carnaval de escolas de samba do Brasil. Chegaram a existir cerca de 40 escolas de samba, reunidas em até 4 grupos distintos, e 3 ligas ou associações organizando o desfile simultaneamente.

Mas na década de 90 os desfiles foram interrompidos por problemas políticos e financanceiros, além de perder várias escolas de toda Grande Vitória, como a União Jovem de Itacibá, a Mocidade Serrana, a Banda Arco-Íris, a Pulo do Gato, a Santa Lúcia, a Mocidade da Praia, etc. As escolas restantes só retornaram no ano de 1998, mas sem competição. Em 2002, o desfile voltou a ser realizado no Sambão do Povo e a ser competitivo. A partir dai outras escolas foram voltando e novas escolas foram surgindo como a Tradição Serrana (Serra). Desde então várias modificações foram feitas, criando ou fundindo grupos, na tentativa de buscar a melhor forma de organização.

Em 2006, o desfile foi dividido em 2 grupos. que foram novamente fundidos em um só em 2009. Em 2011, foi criado novamente um grupo de acesso, permanecendo apenas as 10 primeiras colocadas no Grupo Especial. No carnaval de 2013, as cinco primeiras colocadas passaram a formar o "Grupo Especial A" para o Carnaval de 2014 e desfilarão no sábado, já as classificadas do 6º ao 9º estarão no "Grupo Especial B", juntamente com a Campeã do acesso e desfilaram na sexta em 2014, e a 10ª classificada em 2013 foi rebaixada para o Grupo de Acesso[2], passando portanto a existir 3 grupos. houve a possibilidade de o desfile do Grupo de acesso voltar a ser na Av. Jerônimo Monteiro, no Centro da capital ou como preliminar do desfile do Grupo Especial-B, fato que acabou não ocorrendo.[3] No Carnaval 2016, foi extinto esse Grupo de Acesso (Terceiro Grupo), com as escolas desse sendo realocadas no grupo B.

Atualmente, o desfile oficial organizado pela Lieses (Liga das Escolas de Samba do Espírito Santo) comporta 14 escolas de samba, 6 no Grupo Especial e 8 no Grupo de Acesso. Dessas, 9 agremiações são do próprio município de Vitória, 2 de Vila Velha, 2 de Serra e 1 de Cariacica.

Existem outras escolas que estavam inativas e tentaram retornar e outras que foram criadas e tentaram a filiação à liga.

Em 2006, Independentes de Eucalipto, que não desfilava desde 1992, solicitou participação nos desfiles, porém desistiu de desfilar por falta de recursos. Em 2011, foi fundada a Imperatriz do Samba, da cidade de Guarapari, com o intuito de representar a cidade no carnaval de Vitória, mas a mesma também desistiu, passando algum tempo depois a desfilar no carnaval de sua cidade. Em 2012, Arco-Íris de Vila Velha, depois de 20 anos de inatividade volta a desfilar como convidada da LIESES, passando por uma avaliação, porém a liga não permitiu a afiliação alegando que a escola não havia sido bem avaliada. Em 2013, foi a vez da Acadêmicos da Grande Ilha, chegando a ter festa de lançamento, mas o projeto não foi a frente. Por outro lado, a Chega Mais (Vitória) que não desfilava desde 1992, foi avaliada nos carnavais de 2013 e 2014, tendo sua afiliação aceita. Daí em diante, algumas outras escolas foram sendo anunciadas como postulantes a filiação na liga, Acadêmicos da Barra (Vila Velha), Acadêmicos da Alegria (surgida do bloco Alegria de Barcelona, da Serra), a Mocidade Serrana (Serra), que não desfilava desde 1992, e a União Jovem de Itacibá (Cariacica), que chegou a realizar um desfile em 2015 no seu próprio bairro. Somente em 2016, uma nova escola, a Império de Fátima (Serra), fundada em 2014, foi autorizada a desfilar para avaliação e para ser aceita deveria fazer 2 desfiles bem avaliados. porém apesar do primeiro bom desfile, a escola não teve a segunda oportunidade em 2017.[4][5] Outras escolas querem ingressar no carnaval capixaba como a Acadêmicos da Grande Goiabeiras, de Goiabeiras, e a Acadêmicos da Grande Jacaraípe (Serra).[6][7]

Em 2017, é anunciada a criação da Federação Capixaba das Escolas de Samba (Fecapes) por iniciativa de algumas dessas agremiações que estavam inativas e novas agremiações que tiveram sua filiação rejeitada pela Lieses. A idéia é promover um desfile alternativo ao da Lieses, que não possui regras claras e definidas para filiação.[8][9] As escolas fundadoras da Fecapes são:

  • Mocidade da Praia - Fundada como batucada em 1947 e que se transformou em escola de samba em 1971, sendo 2 vezes campeã do primeiro grupo em 1981 e 1984.
  • União Jovem de Itacibá - Primeira escola de samba de Cariacica fundada em 1976 e 2 vezes vice-campeã do carnaval em 1980 e 1982, e perdendo o carnaval de 1981 por perder pontos em cronometragem
  • Mocidade Serrana - Primeira escola do município da Serra, fundada em 1979, campeã no grupo 2 em 1989.
  • Independentes de Eucalipto - Fundada como bloco em 1982, transformando-se em escola de samba em 1987, quando foi campeã do terceiro grupo.
  • Império de Fátima - Escola novata, fundada em 2014, estreou em 2016 como convidada no desfile da Lieses, mas não teve a mesma oportunidade em 2017 como havia sido prometido.

As Escolas de Samba que formam o Carnaval de Vitória atualmente são:

Grupo Especial

Escola Cidade Titulos
1 Andaraí Vitória
2 Unidos de Jucutuquara Vitória 07
3 Novo Império Vitória 06
4 Unidos da Piedade Vitória 13
5 Mocidade Unida da Glória Vila Velha 06
6 Independente de Boa Vista Cariacica 04

Grupo de Acesso

Escola Cidade Titulos
1 Rosas de Ouro Serra
2 Independente de São Torquato Vila Velha 05
3 Chega Mais Vitória
4 Unidos de Barreiros Vitória
5 Chegou o Que Faltava Vitória
6 Tradição Serrana Serra
7 Imperatriz do Forte Vitória
8 Pega no Samba Vitória

Escolas não filiadas a LIESES

Escola Cidade Observação
Arco-Íris Vila Velha Fundada em 1979, desfilou como convidada da Lieses em 2012
Império de Fátima Serra Fundada em 2014, desfilou como convidada da Lieses em 2016, fundadora da Fecapes em 2017
União Jovem de Itacibá Cariacica Fundada em 1976, ficou inativa de 1992 a 2014, fundadora da Fecapes em 2017
Mocidade Serrana Serra Fundada em 1979, ficou inativa de 1993 a 2014, fundadora da Fecapes em 2017
Mocidade da Praia Vitória Fundada em 1947, ficou inativa de 1993 a 2016, fundadora da Fecapes em 2017
Independentes de Eucalipto Vitória Fundada em 1982, ficou inativa de 1992 a 2005, tentou buscar filiação sem sucesso em 2006. fundadora da Fecapes em 2017

Escolas fundadas que não chegaram a desfilar em Vitória

Escola Cidade Observação
Imperatriz do Samba Guarapari Foi aceita como convidada em 2012, mas desistiu do desfile. Atualmente desfila na cidade de Guarapari
Acadêmicos da Grande Jacaraípe Serra Fundada em 2016
Alegria de Barcelona Serra Desfila como bloco em sua comunidade
Acadêmicos da Grande Ilha Vitória
Acadêmicos da Barra Vila Velha

Carnaval de Rua[editar | editar código-fonte]

No carnaval de Vitória, não só existem desfile de escolas de samba, como também o Carnaval de rua, com desfiles de bandas, blocos, trios elétricos e bailes de carnaval, sendo realizados nos dias de carnaval.

Os desfiles ocorrem na avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da capital, com cerca de 12 blocos, e acontecem no feriadão de carnaval. O ponto de concentração e começo é em frente aos Correios, dali, os grupos sobem a avenida até o Mercado da Capixaba, área de dispersão. O atual campeão dos blocos é o bloco "Pindura Aí", da comunidade de Santos Dumont, que conquistou seu pentacampeonato no ano de 2015.

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Os desfiles de Vitória são exibidos regionalmente pela TVE. sendo que transmite em parceria com a Prefeitura de Vitória e a TV Gazeta [10], na internet. além de que a afiliada da Rede Bandeirantes no Espírito Santo: TV Capixaba, também faz o mesmo. e de na internet, o site SRZD transmitir em 2012, os desfiles pela internet. para 2013, a Band mostrará para todo o Brasil, o desfile capixaba, só no que se refere ao de sábado.em 2014 a band tambem mostrara para todo brasil o desfiles das escolas de samba ao vivo no sabado dia 22/02/2014.[11]. Em 2015 a Band exibe pelo segundo ano consecutivo o desfile para todo o Brasil [12]

Em 2016 a Record News passa a transmitir os desfiles, sendo o Grupo de acesso somente para o ES e o Grupo Especial, em rede nacional[13].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.folhavitoria.com.br/site/?target=coluna&cid=34&pagina=1&post=1977
  2. G1-ES (5 de fevereiro de 2013). «Todas as escolas do carnaval capixaba são penalizadas, diz Lieses». 11:48. Consultado em 7 de março de 2013 
  3. Capixabão (20 de março de 2013). «Grupo de acesso deve voltar para a Jerônimo Monteiro». Consultado em 14 de abril de 2013 
  4. VIVA SAMBA. «GRUPO DE ACESSO NA QUINTA OU NO DOMINGO?». Consultado em 3 de maio de 2010 
  5. «Escola de samba Arco Íris faz aniversario e quer voltar» 
  6. «Novas escolas na fila para o desfile» 
  7. «mais uma escola de samba decide voltar a desfilar» 
  8. «Escolas de sambas históricas se organizam para desfilar no Carnaval Capixaba em 2018». Folha Vitória. 16 de fevereiro de 2017 
  9. [http://www.eshoje.jor.br/_conteudo/2017/03/entretenimento/carnaval/48725-carnaval-2018-pode-ter-desfile-organizado-por-duas-ligas-em-vitoria.html «Carnaval 2018 pode ter desfile organizado por duas ligas em Vit�ria»]. www.eshoje.jor.br. Consultado em 17 de março de 2017  replacement character character in |titulo= at position 64 (ajuda)
  10. Gazeta Online (10 de fevereiro de 2012). «TVE e Gazeta Online ao vivo na transmissão dos desfiles das escolas de samba. Assista!». 01h07. Consultado em 2 de dezembro de 2012 
  11. www.vivasamba.com.br/noticias/noticia1001.htm
  12. «Teo José vai comandar o Carnaval de Vitória (ES)». Band. 1 de fevereiro de 2015. Consultado em 29 de janeiro de 2016 
  13. [1]