Deinonico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaDeinonico
Esqueleto de um Deinonico.

Esqueleto de um Deinonico.
Estado de conservação
Extinta (fóssil)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Theropoda
Infraordem: Tetanurae
Família: Dromaeosauridae
Género: Deinonychus

Deinonico ( /dˈnɒnɪkəs/ dy-NON-i-kəs; em grego: δεινός, 'terrível' e ὄνυξ, genitivo ὄνυχος 'garra') é um género de dinossauros carnívoros dromaeossáurios coelurossáurios , com uma espécie descrita, Deinonychus antirrhopus. Esta espécie, que podia crescer até aos 3,4 metros de comprimento, viveu durante o início do Cretácico Periodo, há cerca de 115–108 milhões de anos (dos meados do Aptiano até ao Albiano). Fósseis foram encontrados no Estado americanos do Montana, Utah, Wyoming, e Oklahoma, em rochas da Formação Cloverly, Formação Cedar Mountain e da Formação Antlers, mas dentes que podem ter pertencido ao Deinonico foram encontrados muito mais a este em Maryland.

O estudo do Deinonico do Paleontólogo John Ostrom no final do anos 1960 revolucionou a forma dos cientistas pensarem sobre, levando ao "renascimento dos dinossauros" e despoletar o debate acerca de os dinossauros serem de sangue quente ou de sangue frio. Antes disto, a ideia popular dos dinossauros tinha sido de pesados, gigantes reptelianos. Ostrom notou a espinha pequena, elegante, e de postura horizontal, tipo struthioniforme, e especialmente as alargada garras raptoriais nos pés, que sugeriam um ativo e ágil predador.[1]

"Garra terrível" refere-se a invulgarmente larga, garra em forma de foice no segundo dedo posterior de cada pé. O fóssil YPM 5205 preserva uma larga, fortemente curvada unha. Quando vivos, os arcossauros têm uma bainha córnea sobre este osso, que estende o comprimento. Ostrom olhou para garras de crocodilo e de passáro e reconstruiu a unha para o YPM 5205 como acima de 12 centímetros.[1] O nome da espécie antirrhopus significa "contrapeso", que refere a ideia de Ostrom acerca da função da cauda. Como em outros dromaeussáurios, as vértebras da cauda têm uma série de tendões ossificados e super alongados processos dos ossos. Estas caraterísticas pareciam tornar a cauda num rígido contrapeso, mas um fóssil do muito próximo Velociraptor mongoliensis (IGM 100/986) tem um esqueleto da cauda articulado que é curvado lateralmente numa longa forma de S. Isto sugere que, no dia-a-dia, a cauda podia dobrar para os lados com um alto grau de flexibilidade.[2] Em ambas as formações Cloverly e Antlers, restos de Deinonicos têm sido encontrados intimamente associados com os do ornitopode Tenontosaurus . Dentes descobertos associados a espécimes Tenontosaurus significa que eles foram caçados, ou pelo menos comidos depois de mortospor Deinonicos.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tamanho (6) comparado com outros dromaeossauros
Eudromaeosauria


Bambiraptor feinbergi



Saurornitholestes langstoni






Atrociraptor marshalli



Deinonychus antirrhopus




Dromaeosaurinae

Achillobator giganticus



Balaur bondoc



Dromaeosaurus albertensis



Utahraptor ostrommaysorum



Velociraptorinae

IGN 100/23




Acheroraptor temertyorum




Velociraptor mongoliensis




Adasaurus mongoliensis



Tsaagan mangas



Velociraptor osmolskae









Descrição[editar | editar código-fonte]

Size compared with a human

Baseado nos poucos completamente maduros espécimenes,[3] os Deinonicos podiam chegar aos 3,4 metros em comprimento, com um comprimento do crânio de 41 centímetros, uma altura das ancas de 87 centímetros e um peso de 73 quilogramas, apesar de haver uma estimativa ainda elevada que aponta para um peso de 100 quilogramas.[4] [5] O crânio estava equipado com mandíbulas poderosas forradas com cerca de setenta dentes curvados e em forma de lâmina. Estudos do crânio tem progredido bastante nas últimas décadas. Ostrom reconstituiu os crânios parciais e imperfeitamente conservados como os incompletos e imperfeitamente conservados crânios que ele tinha como triangulares, largos, e algo semelhantes ao dos Alossauros. Material do crânio de Deinonicos adicionais e de espécies aparentadas descobertas com boa conservação tridimensional[6] mostram que o palato era mais abobadado do que Ostrom tinha pensado, fazendo o focinho muito mais estreito, enquanto que o osso jugal deflagrou amplamente, dando maior visão estereoscópica. O crânio do Deinonico era diferente de o do Velociraptor , na medida em que tinha o topo do crânio mais robusto, como o de um dromeossauro, e não tinha os ossos nasais deprimidos do Velociraptor .[7] Tanto o crânio como a mándibula inferior tinham fenestrae (aberturas no crânio) que reduziam o seu peso. No Deinonico, a fenestra antorbital, uma abertura no crânio entre o olho e a fossa nasal, era particularmente grande.[6]

Representação de Deinonico

Deinonicos possuíam grandes "mãos" (manus) com três garras em cada membro anterior. O primeiro dedo era o mais curto e o segundo o mais longo. Cada hind foot bore a sickle-shaped claw on the second digit, which was probably used during predation.[8]

Nenhumas impressões de pele foram alguma vez encontradas em associação com fósseis de Deinonicos. Mesmo assim, as evidências sugerem que os Dromaeossauros, incluindo os Deinonicos, tinham penas.[9] O génro Microraptor é ambo mais velho geologicamente e mais primitivo filogeneticamente que o Deinonico, e dentro da mesma família.[10] Múltiplos fósseis do Microraptor preservam penas palhetas como os de pássaros modernos nos braços, pernas e cauda, junto com penas de contorno.[9] Velociraptor é geologicamente mais novo que o Deinonico, mas ainda mais próximo (dentro da subfamília velociraptorinae). Um espécimen de Velociraptor foi encontrado com botões de pena na ulna. Botões de pena são onde os ligamentos foliculares ligavam-se, e são um indicador direto de penas de aspeto moderno.[11]

Meio-ambiente[editar | editar código-fonte]

O mundo do Deinonico era bem diferente do nosso, principalmente o clima da América do Norte, território do dinossauro. Em Montana, este dinossauros correram por florestas, deltas e margens de lagos, co-existinto com herbívoros como o Sauropelta, o Zephyrosaurus e o já citado Tenontosaurus. Em Oklahoma, o meio-ambiente do Deinonico era ameaçador, tendo que viver com o temível Acrocanthosaurus, o gigante saurópode Sauroposeidon, etc.

Descoberta: uma mudança séria na paleontologia[editar | editar código-fonte]

Os fósseis do Deinonico são procedentes de Montana e Wyoming, além de depósitos em Oklahoma, na América do Norte.

Os primeiros vestígios da espécie foram descobertos em 1931, em Montana, pela equipe liderada pelo paleontólogo Barnum Brown. Estes vestígios eram partes do dinossauro encontrados próximos ao esqueleto de um Tenontosaurus e foi informalmente chamado de "Daptosaurus". Estava sendo preparado para exibição e para ser descrito, todavia isso nunca aconteceu. Brown voltou para Montana e desenterrou um pequeno dinossauro carnívoro e chamou-o informalmente (de novo) de "Megalodontosaurus"; após isto, Ostrom analisaria o material e constataria que eram dentes de Deinonico, mas com corpo diferente, o que lhe rendeu o nome de Microvenator.

Mais de trinta anos após sua descoberta, em 1964, John Ostrom e Grant E. Meyer analisaram o "Daptosaurus" e, em 1969, publicaram sua descoberta, dando um novo nome ao objeto de estudo: Deinonychus anthirropus, que significa "garra terrível contra-balanceada", devido às garras e a cauda comprida. Não se possui muito material relacionado à espécie, como apenas um pé esquerdo completo e um direito, parcialmente completo, que pertenceram ao mesmo espécime.

O esqueleto mais completo está exposto no Museu Americano de História Natural.

Uma nova visão de um dinossauro[editar | editar código-fonte]

A descrição do Deinonico por Ostrom tornou-se a descoberta mais importante da paleontologia no século XX. Definitivamente era um predador ativo e incrivelmente ágil, o que mudara totalmente a visão mundial sobre os dinossauros: até o período, os dinossauros eram descritos como animais lentos, "burros" e condenados à morte; animais de sangue-frio como todos os répteis. A descoberta do "garra terrível" mudou o mundo da paleontologia drasticamente. Em primeiro lugar, muda-se a postura com que se via os dinossauros: de lentos flamigerados répteis a inteligentes e ágeis predadores (por exemplo); de animais condenados à morte a animais superadaptaveis; de ectotérmicos a, possivelmente, endotérmicos; de beco-sem-saída evolucionário a ascendentes das aves (essa idéia só veio a ser aceita depois de 30 anos que Ostrom a criou). Toda essa mudança foi denominado Renascimento dos Dinossauros.

Descobertas de dromeossauros na Ásia (tais como o Microraptor), leva-se a crer que o Deinonico era um animal plumado. Essa teoria se reforça com a prova de que o Velociraptor era plumado. Além disto, deve-se lembrar que muitos dromeossauros eram plumados, sendo alguns mais primitivos que o Deinonico.

Outras espécies[editar | editar código-fonte]

  • Deinonychus koreanensis [Carece de Fontes]

Referências

  1. a b John Harold. (1970) "Stratigraphy and paleontology of the Cloverly Formation (Lower Cretaceous) of the Bighorn Basin area, Wyoming and Montana". Bulletin of the Peabody Museum of Natural History 35: 1–234.
  2. Mark A.. (1999) "Important features of the dromaeosaurid skeleton II: information from newly collected specimens of Velociraptor mongoliensis". American Museum Novitates 3282: 1–45.
  3. William L.. (2009) "Further descriptions of the osteology of Deinonychus antirrhopus (Saurischia, Theropoda)". Bulletin of the Buffalo Society of Natural Sciences 38.
  4. Gregory Scott. In: Simon and Schuster. Predatory Dinosaurs of the World. [S.l.: s.n.], 1988. 358, 366–369 p. ISBN 0-671-61946-2
  5. (2014) "Body mass estimation in non-avian bipeds using a theoretical conversion to quadruped stylopodial proportions". Methods in Ecology and Evolution 5 (9). DOI:10.1111/2041-210X.12226.
  6. a b W. D.. (1996) "New Material of Deinonychus (Dinosauria, Theropoda)". Journal of Vertebrate Paleontology 16 (3): 51A.
  7. Lawrence M.. (1996) "The skull of Deinonychus (Dinosauria:Theropoda): New insights and implications". Journal of Vertebrate Paleontology 16 (3): 73A.
  8. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas ostrom1969
  9. a b X.. (2003) "Four-winged dinosaurs from China". Nature 421 (6921): 335–340. DOI:10.1038/nature01342. PMID 12540892.
  10. S. H.. (2002) "New Specimens of Microraptor zhaoianus (Theropoda: Dromaeosauridae) from Northeastern China". American Museum Novitates 3381: 44. DOI:<0001:nsomzt>2.0.co;2 10.1206/0003-0082(2002)381<0001:nsomzt>2.0.co;2.
  11. Alan H.. (2007) "Feather quill knobs in the dinosaur Velociraptor". Science 317 (5845): 1721. DOI:10.1126/science.1145076. PMID 17885130.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Wikispecies Diretório no Wikispecies


Ícone de esboço Este artigo sobre dinossauros é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.