Estação Ferroviária de Amieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o antigo apeadeiro também inserido na Linha do Oeste, veja Apeadeiro de Banhos de Amieira. Se procura a estação na Linha da Beira Baixa, veja Estação Ferroviária de Barca da Amieira-Envendos.
Amieira IPcomboio2.jpg
Gare da Amieira, em 2018.
Linha(s) Linha do Oeste (PK 204,887)
Coordenadas 40° 06′ 14,84″ N, 8° 45′ 07,24″ O
Concelho Soure
Serviços Ferroviários Logo CP 2.svgBSicon LSTR orange.svgR
Horários em tempo real
Serviços Lavabos


Logos IP.png
BSicon CONTfa grey.svg
BSicon BHF grey.svgBif. de Lares (Std. Figueira da Foz)
BSicon BHF grey.svgAmieira
BSicon BHF grey.svgLouriçal (Sentido Cacém)
BSicon CONTf grey.svg

A Estação Ferroviária de Amieira é uma interface da Linha do Oeste e da Concordância de Verride, que serve a localidade de Amieira, no Concelho de Soure, em Portugal.

Gare da estação de Amieira, em 2018.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

Esta estação está situada junto à localidade de Amieira, tendo acesso pela Estrada Nacional 341.[1]

Caracterização física[editar | editar código-fonte]

No Directório da Rede 2012, que foi publicado pela Rede Ferroviária Nacional em Janeiro de 2011, a estação ferroviária de Amieira estava descrita como tendo três vias de circulação, com 674, 370 e 330 m de comprimento; as plataformas tinham 114 e 226 m de extensão, e 40 e 45 cm de altura.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Estação de Amieira, nos anos 80.

Abertura ao serviço[editar | editar código-fonte]

A Estação situa-se no troço entre Leiria e Figueira da Foz, que foi aberto a 17 de Julho de 1888, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[3]

Ligação a Alfarelos[editar | editar código-fonte]

Em 8 de Junho de 1889, foi inaugurado o Ramal de Alfarelos, que originalmente ligava esta estação a Alfarelos.[3] Em 25 de Maio de 1891, entrou ao serviço a Concordância de Alfarelos ou de Lares que permitia uma ligação directa do Ramal de Alfarelos para a Figueira da Foz, deixando de serem necessárias as manobras dos comboios na Estação de Bifurcação de Lares.[3] Com a abertura deste troço, o ponto de origem do Ramal deixou de ser na Amieira, e passou a ser em Lares.[4]

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em 28 de Fevereiro de 1934, foi aberto o concurso para a construção da Estrada Nacional 43-2, ligando esta interface à localidade de Moinho do Almoxarife.[5]

Encerramento e Reabertura[editar | editar código-fonte]

Em 8 de Setembro de 2013, fruto de nova alteração aos horários da Linha do Oeste, os comboios regionais deixaram de servir esta estação.[6]

A 5 de Agosto de 2018 a estação reabriu na sequência dos novos horários da Linha do Oeste. Nesta estação passam a acontecer as ligações de e para Coimbra-B, asseguradas por comboios eléctricos (UTE).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Amieira - Linha do Oeste». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 27 de Setembro de 2011 
  2. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  3. a b c TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1682). p. 61-64. Consultado em 23 de Maio de 2015 
  4. SILVA e RIBEIRO, 2007:111-112
  5. «Concursos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1109). 1 de Março de 1934. p. 133-134. Consultado em 27 de Setembro de 2011 
  6. «Horários Lisboa/Mira Sintra-Meleças/Coimbra/Figueira da Foz» (PDF). Comboios de Portugal. 8 de Setembro de 2013. Consultado em 28 de Dezembro de 2013. Arquivado do original (PDF) em 12 de Novembro de 2013 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a estação de Amieira

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SILVA, José Ribeiro da; RIBEIRO, Manuel (2007). Os Comboios em Portugal. III 1.ª ed. Lisboa: Terramar - Editores, Distribuidores e Livreiros, Lda. 203 páginas. ISBN 978-972-710-408-6 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.