Fada Madrinha (É Tão Bom)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Fada Madrinha (É Tão Bom)"
Single de Paquitas
do álbum Paquitas
Lançamento 30 de Junho de 1989
Formato(s) Airplay
Gravação 1989
Gênero(s)
Duração 4:59
Gravadora(s)
  • RGE
  • Xuxa Discos
Composição
Produção
Amostra de 29 segundos da canção "Fada Madrinha (É Tão Bom)" do grupo Paquitas.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"Fada Madrinha (É Tão Bom)", é uma canção escrita por Tito Costa e Borges Machado e interpretada pelas assistentes de palco e girl group Paquitas, lançada em 1989.[1] É considerada a canção assinatura das Paquitas e responsável por lançá-las à carreira musical.[2] Posteriormente, a canção integrou ao álbum de estreia do grupo, sendo lançado no mesmo ano.[2]

Antecedentes e lançamentos[editar | editar código-fonte]

No início, as integrantes eram somente consideradas as assistentes de palco do programa Xou da Xuxa, apresentado por Xuxa Meneghel, porém com o destaque que acabaram ganhando ao decorrer do tempo, as Paquitas passaram a ser tão protagonistas do programa quanto a apresentadora.[2]

"Fada Madrinha" foi apresentada pela primeira vez em 30 de Junho de 1989, durante uma edição especial do Xou da Xuxa, em que se comemorava o seu terceiro aniversário.[3] A canção foi escrita com a intenção de ser interpretada pelo grupo no programa em homenagem à apresentadora, tendo sido introduzida pela paquita Andréia Faria, a Xiquita Sorvetão.[3] De início, "Fada Madrinha" foi gravada pelas então integrantes Faria, Leticia Spiller (Pituxa Pastel), Tatiana Maranhão (Paquitita Loura), Ana Paula Almeida (Pituxita Bonequinha), Roberta Cipriani (Xiquitita Surfista) e Priscila Couto (Catuxita Top Model). Cátia Paganote (Miúxa Bruxa), então nova no grupo, não esteve presente na gravação e por isso somente acompanhou as outras integrantes no refrão durante a apresentação da canção no programa.[3] Com o sucesso da música, as Paquitas acabaram ingressando na carreira musical e lançaram o seu primeiro álbum solo, sem a presença de Xuxa.[1][2] O álbum foi lançado em Setembro de 1989, e a versão presente no álbum tem algumas diferenças em relação a que foi apresentada pela primeira vez, em questão de mixagem e também da inclusão da gravação da paquita Paganote.

Composição[editar | editar código-fonte]

"Fada Madrinha (É Tão Bom)" é uma música pop que tem duração de quatro minutos e 55 segundos e foi escrita por Tito Costa e Borges Machado.[2] Por ter sido uma homenagem à Xuxa, a canção traz algumas referências à apresentadora. Em sua introdução, contêm extratos de duas de suas canções: "Doce Mel (Bom Estar Com Você)" e "Brincar de Índio" e durante o refrão, o grupo faz referência a uma outra canção da apresentadora, "Quem Quer Pão?".

Interpretações ao vivo[editar | editar código-fonte]

Com a intenção de divulgar o álbum, as Paquitas interpretaram "Fada Madrinha" em várias edições do Xou da Xuxa e do Paradão da Xuxa, outro programa apresentado por Xuxa, nos anos de 1989 e 1990.[2] No mesmo período, o grupo também interpretou a canção nos programas Globo de Ouro, Os Trapalhões e Domingão do Faustão da Rede Globo, e Viva a Noite e Hebe do SBT. O grupo também incluiu a canção no repertório de todas as suas apresentações solo, assim como com as da apresentadora.[2] Em 2001, boa parte das integrantes do grupo da primeira a quarta formação, interpretaram a canção em um quadro em homenagem à Xuxa durante o programa Gente Inocente da Rede Globo.

Atualmente, a dupla formada por Cátia Paganote e Priscila Couto, sempre interpretam a canção durante suas apresentações da Festa Ploc, evento dedicado às músicas e artistas dos anos 80. Em Dezembro de 2014, Paganote, Couto, Ana Paula Almeida e Andréia Faria interpretaram a canção durante o programa Domingo Show da Rede Record, no quadro dedicado às Paquitas e à Xuxa.[4]

Outras versões[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 1990, com a saída de Andréia Faria do grupo, a canção foi novamente remixada e regravada com Spiller interpretando sua parte. Essa versão foi posteriormente lançada em uma coletânea de músicas infantis da Som Livre, em 2000. Em 1995, a terceira formação das Paquitas com as integrantes Andrezza Cruz, Bárbara Borges, Caren Lima, Diane Dantas, Gisele Delaia, Graziella Schmitt e Vanessa Melo, gravou uma nova versão da música que posteriormente foi incluída no álbum New Generation. Esta versão é considerada mais madura, com uma batida mais dance. Em meados da década de 2000, com as apresentações da Festa Ploc, as ex-integrantes Cátia Paganote, Priscila Couto e Roberta Cipriani, que então também se apresentava no evento, regravaram a canção.

Formato e duração[editar | editar código-fonte]

  • Airplay
  1. "Fada Madrinha (É Tão Bom)" – 4:59

Referências

  1. a b Paquitas - Paquitas. Discogs. Página visitada em 8 de Março de 2015.
  2. a b c d e f g PAQUITAS, SETE VOZES DE OURO (10/09/89). Jornal do Brasil. Página visitada em 8 de Março de 2015.
  3. a b c Paquitas - Fada Madrinha (1ª apresentação). Página visitada em 8 de Março de 2015.
  4. 'Domingo Show': Paquitas relembram carreira e revelam período de trabalho com Xuxa (5/12/14). DCI. Página visitada em 8 de Março de 2015.