Força Aérea da Moldávia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Força Aérea da Moldávia
Emblema da Brigada de Aviação de Decebal
País  Moldávia
Efectivo 1.040 (2012)
Criação 21 de agosto de 1991
História
Guerras/batalhas Guerra da Transnístria
Bases Aéreas
Aeronaves
Helicópteros Mil Mi-8
Aviões de Transporte An-72, An-26 e An-2
Insígnias
Cocar Roundel of Moldova.svg

A Força Aérea da Moldávia é a força aérea nacional da Moldávia. Foi formada logo após a independência deste país da União Soviética em Agosto de 1991, sendo agora parte das Forças Armadas da Moldávia.

Estrutura e história[editar | editar código-fonte]

Em 18 de março de 1992, a 275ª Brigada de Foguetes Antiaéreos em Chișinău da 60ª Corporação de Defesa Aérea soviética, equipada com mísseis superfície-ar, tornou-se parte da Força Aérea da Moldávia. Os elementos desta brigada serviram como unidade de defesa aérea durante a Guerra da Transnístria.[1]

Em abril de 1992, a Força Aérea da Moldávia herdou o 86º Regimento de Aviação de Caça, equipado com Mikoyan MiG-29 na Base Aérea de Mărculești (no condado de Floreşti das Forças Aéreas da Frota do Mar Negro.[2] A maior parte do pessoal deste regimento que não era da Moldávia, incluindo todos os pilotos e seu comandante, partiram para seus países de origem após esta transferência.[3] Estes foram substituídos por moldávios retornando de serviço das Forças Armadas da União Soviética, dentre eles não muitos pilotos e poucos ainda podiam voar o MiG-29s. Durante a Guerra da Transnístria, em 22 de junho de 1992, um voo de dois MiG-29 bombardearam uma ponte sobre o Rio Dniestre, conectando Bender a Parcani. Nenhuma das bombas atingiu diretamente a ponta, apesar do 14º Exército de Guarda reconhecer que as bombas causaram perdas civis e que o fogo antiaéreo derrubou um dos caças. A Moldávia negou a perda e os registros de sua força aérea mostram que todos os MiG-29 retornaram à base após a missão.[4]

Em 3 de setembro de 1993, a 275ª Brigada foi reorganizada junto à Brigada de Foguetes Antiaéreos Dimitrie Cantemir.[1]

Em 1994 a força aérea consistia de 1.300 homens organizados em um regimento de caça, 1 esquadrão de helicópteros e 1 brigada de mísseis. Possuíam 31 MiG-29, 8 helicópteros Mi-8, 5 aeronaves de transporte (incluindo um Antonov An-72) e 25 mísseis superfície-ar SA-3/S-125 Neva/Pechora.[5]

Em 23 de dezembro de 1999, a brigada de aviação mista formada a partir do 86º Regimento no final da década de 1990, sendo reorganizada na Base Aérea de Decebal.[2][4]

Em 2002 a força aérea consistia de 1.400 homens.[6]

Em 2007 a força aérea havia sido reduzida para uma força de 1.040 homens, organizados em um esquadrão de helicópteros e um batalhão de mísseis. Possuíam 6 MiG-29S, atualizados na Ucrânia e estacionados na Base Aérea de Mărculeşti, 8 helicópteros Mi-8, 5 aeronaves de transporte (incluindo um Antonov An-72), e 12 mísseis superfície-ar SA-3.

Em março de 2010, a Força Aérea da Moldávia assinou um acordo com a Força Aérea da Roménia sobre a troca de informações acerca de aeronaves militares voando próximo da fronteira, troca de dados de radar, obrigação de fornecer suporte mútuo para aeronaves militares em emergência e operações conjuntas futuras.[7] Em 2011, a Brigada Dimitrie Cantemir tornou-se um regimento.[8]

Aeronaves[editar | editar código-fonte]

Em um acordo finalizado em 10 de outubro de 1997, os Estados Unidos adquiriram 14 MiG-29C, descritos pelos oficiais americanos como plataformas para armas nucleares. Além disso, os EUA também compraram seis MiG-29A, um MiG-29B, 500 mísseis ar-ar e todas as partes e equipamentos de diagnóstico presentes na Base Aérea da Moldávia onde as aeronaves estavam paradas. Em retorno, a Moldávia recebeu cerca de US$40.000.000, assistência humanitária e artigos de defesa pessoal não-letais.[9] A compra não ocorreu sem ter opositores na Moldávia, e o então Ministro da Defesa Valeriu Pasat posteriormente seria indiciado por vendas ilegais de aeronaves para os EUA.[10] Todos estes MiG-29 foram transportados para o Centro de Inteligência Aérea Nacional na Base Aérea de Wright-Patterson em aviões de transporte C-17, em um período de duas semanas.[11]

No final de 1998 a Moldávia também vendeu 10 MiG-29 para a Eritrea, mas foi especulado que estas aeronaves não estavam mais aeronavegáveis.

Em fevereiro 2012, o Ministro de Defesa anunciou que oito aviões e oito helicópteros de transporte militar seriam adquiridos ao custo de US$240 milhões.[12]

Frota atual[editar | editar código-fonte]

Mi-8PS moldávio para transporte VIP (antigo helicóptero de Nicolae Ceaușescu
Aeronave Origem Tipo Versão Em serviço Notas
Transporte
An-26 União Soviética transporte 1[13]
Helicópteros
Mil Mi-2 Polônia utilitário 1[13] operado pelas Forças Armadas da Transnístria
Mil Mi-8 Rússia utilitário Mi-8/171 1[13] operado pelas Forças Armadas da Transnístria

Aposentados[editar | editar código-fonte]

A Moldávia recebeu aproximadamente 34 MiG-29 do colapso da União Soviética em 1991, que provaram ser muito custosos para manter e então vendidos para a Eritrea, Iêmen e Estados Unidos. Outras aeronaves não aeronavegáveis foram o An-2, Tu-134 e alguns An-24.[14]

MiG-29 moldávios em exibição[editar | editar código-fonte]

MiG-29UB moldávio (1997)

Referências

  1. a b «275-я гвардейская зенитная ракетная бригада (в/ч 34403)» (em russo) 
  2. a b «Вооруженные силы Молдовы» (em russo). Arquivado do original em 2 de janeiro de 2013 
  3. Pavlov, Anton (15 de agosto de 2014). «86 гвардейский Краснознаменный истребительный ордена Суворова III степени Борисовский авиационный полк» (em russo) 
  4. a b Pavlov, Anton (10 de setembro de 2015). «Авиационная база "Дечебал"» (em russo) 
  5. «Moldova – The Armed Forces» (em inglês) 
  6. «Military personnel, Air Force». Arquivado do original em 1 de setembro de 2006 
  7. «Protocol de colaborare între forţele aeriene militare ale României şi ale R. Moldova» 
  8. «Teren de joacă pentru copiii militarilor moldoveni» (em romeno) 
  9. «U.S. Buys Moldovan Aircraft to Prevent Acquisition by Iran – Arms Control Association». Arquivado do original em 10 de janeiro de 2008 
  10. John Pike. «Moldova – Air Forces Command». Arquivado do original em 21 de julho de 2015 
  11. «DoD News Briefing: Cooperative Threat Reduction Initiative». DefenseLink. 4 de novembro de 1997. Arquivado do original em 2 de outubro de 2006 
  12. «Defense Ministry to buy eight planes and eight military helicopters». 17 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 28 de maio de 2013 
  13. a b c «World Air Forces 2015 pg. 23». Flightglobal Insight. 2015 
  14. «World Air Forces 2004 pg. 75». flightglobal.com. Arquivado do original em 27 de abril de 2015 
  15. «Foto». Arquivado do original em 23 de setembro de 2002 
  16. «The Truth About the MiG-29». airspacemag.com. Arquivado do original em 27 de abril de 2015 
  17. «Nellis Air Force Base Threat Training Facility Aircraft». Arquivado do original em 30 de junho de 2007 
  18. «Foto». Arquivado do original em 28 de junho de 2007 
  19. «Foto». Arquivado do original em 28 de junho de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]