Exército do Ar Francês

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Força Aérea Francesa
Armée de l'air
Logo of the French Air Force (Armee de l'Air).svg
País  França
Corporação Forças Armadas da França
Missão Defesa Aérea
Criação 1909
Logística
Efetivo 43 597 militares (2015)[1]
627 aeronaves[2]
Insígnias
Insígnia 1 French-roundel.svg
Comando
Chefe do Estado-Maior General Andre Lanata
BA117 Paris, sede da Força Aérea Francesa

A Força Aérea da França (em francês: Armée de l'Air, literalmente Exército do Ar) é o ramo aéreo das Forças Armadas da França. Foi criada em 1909 como o Service Aéronautique, um componente do Exército Francês, e em seguida tornou-se um ramo independente, em 1933. A Força Aérea da França opera 780 aeronaves,[3][4] tornando-se a quarta maior força aérea em termos de aeronaves na OTAN, e a segunda maior na União Europeia após a Royal Air Force do Reino Unido.

História[editar | editar código-fonte]

Dois M200D franceses.
Rafales franceses

A Armée de l'Air é amplamente considerada como a força aérea mais antiga do mundo profissionalmente. Os franceses se interessaram ativamente no desenvolvimento da força aérea a partir de 1909 e tiveram os primeiros pilotos de caça da Primeira Guerra Mundial. Durante o período entreguerras, no entanto, particularmente na década de 1930, a qualidade caiu depois que a Luftwaffe esmagou os franceses durante a Batalha da França.

Na era pós-Segunda Guerra Mundial, os franceses fizeram um esforço, bem sucedido, para desenvolver uma indústria aeronáutica nacional. A Dassault Aviation abriu o caminho com os projetos "asa-delta", que formaram a base para a série de caças Mirage. O Mirage demonstrou suas habilidades na Guerra dos Seis Dias e na Guerra do Golfo, tornando-se um dos caças mais populares de sua época, com uma grande quantidade de vendas. A Força Aérea Francesa participou de várias longas guerras coloniais na África e na Indochina após a Segunda Guerra Mundial, e continua a empregar o seu poder aéreo em missões de paz na África. Durante a década de 1960, a França adotou uma política de armamentos nucleares, para dissuadir agressões Soviéticas. O Dassault Mirage IV, o principal bombardeiro estratégico francês, foi concebido para atacar posições soviéticas como parte da tríade nuclear francesa.

Atualmente, a Força Aérea Francesa está em expansão e substituição do seu inventário de aeronaves. Os franceses estão aguardando o avião de transporte militar Airbus A400M, que ainda está em fase de desenvolvimento, e a integração do novo caça multi-missão Dassault Rafale, cujo primeiro esquadrão de 20 aeronaves tornou-se operacional em 2006, em Saint-Dizier.

Geral[editar | editar código-fonte]

A organização do ALA é baseada no total controle das operações aéreas e na flexibilidade de execução, ambos na paz ou na guerra.

Futuro[editar | editar código-fonte]

Como muitas organizações de defesas modernas, o Exército do Ar está reogarnizando seus comandos e unidades. O projeto dessa reestruturação é chamado de "Air 2010", que é o ano que em a transição termina. Os principais objetivos desse projeto são simplificar a estrutura de comando, reagrupar todos as funções militares e civis, racionalizar e otimizar todas as unidades da força aérea.

A solução para alcançar esses alvos parece estar colocando a organização entre 5 maiores comandos, ao invés dos anteriores 13, e também separando muitas unidades e comandos.

Fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. LES CHIFFRES CLÉS DE LA DÉFENSE
  2. Flightglobal - World Air Forces 2015 (PDF), Flightglobal.com
  3. "World Air Forces 2010" Page 17, 31 July 2011. Flight Global
  4. Official website of French Air Force, 07 July 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Exército do Ar Francês


Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.