Fruto Proibido (álbum de Rita Lee)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fruto Proibido
Álbum de estúdio de Rita Lee & Tutti Frutti
Lançamento Junho de 1975[1]
Gravação Estúdio Eldorado, São Paulo, em abril de 1975
Gênero(s)
Duração 37:10
Idioma(s) (em português)
Formato(s)
  • LP
  • CD (relançamento em 1995)
Gravadora(s)
Produção Andy Mills
Cronologia de de estúdio por Rita Lee & Tutti Frutti
Atrás do Porto Tem uma Cidade
(1974)
Entradas e Bandeiras
(1976)

Fruto Proibido é o quarto álbum de estúdio da cantora de rock brasileiro Rita Lee - e o segundo com a banda Tutti Frutti - lançado em 1975. Acompanhada por Luis Sérgio Carlini (guitarra), Lee Marcucci (baixo), e Franklin Paolillo (bateria), considera-se que a cantora criou uma obra que dialogava com as situações da metade da década de 70 - época de grandes mudanças sócio-culturais e de contínuas tempestades no cenário político brasileiro.

Calcado no blues rock, o som do LP é de hard rock em língua portuguesa, com mesclas de pop. O disco trouxe à tona uma variedade de sucessos que tornariam-se definitivos na carreira de Rita Lee. "Agora só Falta Você" e "Esse Tal de Roque Enrow", co-escrito com Paulo Coelho, parceiro musical que já era um importante letrista de rock no país, tem tonadas de rock puro. Esta primeira e "Luz del Fuego" também revelavam uma temática feminista. "Ovelha Negra", considerado o hino de Lee e provavelmente sua canção mais famosa, foi a canção que a projetou como artista solo e independente, e encerra o disco com um aclamado e memorável solo de Luis Carlini.[2]

Fruto Proibido celebrou 35 anos de seu lançamento em 2010. Desde então, tem sido constantemente citado como um dos álbuns mais seminais e mais definitivos de todo o rock brasileiro, possibilitando o movimento de rock nacional na década seguinte. Sua vendagem inicial de 200 mil cópias foi seguida por uma significativa crítica posterior; hoje é considerado um clássico e a obra-prima de Rita Lee, aquele que a condecorou com o título de Rainha do Rock Brasileiro. Em 2007, foi eleito o 16º melhor disco brasileiro de todos os tempos na Lista dos 100 maiores discos da música brasileira feita pela Rolling Stone. Foi também incluído em uma lista da Superinteressante dos principais álbuns do rock brasileiro.[3]

Composição e gravação[editar | editar código-fonte]

Segunda faixa do disco, "Agora só Falta Você" é um hard rock romântico banhado com a guitarra de Luis Sérgio Carlini e que acompanhou Rita Lee durante toda a sua carreira, passando a ser considerada, inclusive, um hino feminista.

"Ovelha Negra" é muito provavelmente a canção mais famosa e aclamada de Rita Lee; não só graças ao solo final hipnótico executado por Carlini e preservado no disco, mas também porque conta uma experiência de vida pessoal comum.

"Esse Tal de Roque Enrow", co-escrita com Paulo Coelho, que até então só havia escrito letras com Raul Seixas, é um dos sucessos do disco e representa o espírito do rock na versão desesperada de uma mãe.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

Considerado um clássico do rock brasileiro[4] e a obra-prima de Rita Lee, Fruto Proibido foi composto e gravado juntamente com a banda Tutti Frutti, que acompanhou a cantora entre 1973 e 1978. A gênese do álbum se deu após a saída de Rita Lee da gravadora Philips, que ocorreu devido a conflitos entre a cantora e empresários do ramo. Assim, Rita recebeu uma proposta da Som Livre para gravar um disco sem limitações predeterminadas pelo selo. Para a composição, a banda se reuniu numa casa à beira da represa de Ibiúna.[5] Lá, o grupo ficou por meses instalado e, segundo Rita Lee, "a coisa foi ficando com cara de banda profissa".[6]

O disco foi gravado no estúdio Eldorado, na rua Major Quedinho, no centro de São Paulo. Paulo Coelho contribuiu em três faixas - "Esse tal de Roque Enrow", "Cartão Postal" e "O toque". A primeira narra um diálogo irônico entre um psiquiatra e uma mãe que procura uma solução para os hábitos pouco convencionais. Já "O toque", segundo a cantora, é "de inspiração cósmica". "Agora só falta você" foi composta por Rita e Luis Carlini e "Pirataria" por Rita e Lee Marcucci. As outras faixas são de Rita Lee.[5]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4.5 de 5 estrelas. link
Acervo Musical 5 de 5 estrelas. link
Amazon.com 4.5 de 5 estrelas. link

Na época, o LP Fruto Proibido vendeu 150 mil cópias, recorde de vendas para um disco de rock brasileiro.[7]

Em outubro de 2007, a Rolling Stone Brasil elegeu o disco como o 16º melhor disco brasileiro de todos os tempos.[8] Segundo a All Music, Fruto Proibido é "de um tempo em que Rita Lee podia ser fiel a seus ideais".[9]

Maurício Kubrusly, no Jornal da Tarde de 1975, criticou severamente o álbum, dizendo que apenas "Dançar para não Dançar" e "Ovelha Negra" mereciam elogios. Disse ainda que "ainda é pouco, seria relaxamento demais se contentar com esta bateria escandalosa, com a desordem ruidosa da maioria dos acompanhamentos, com a falta de expressividade das vocalizações. (...) Uma produção adequada para os fãs do gênero hippie de butique, meio louquinha e acreditando que o rock vai ou pode mudar qualquer coisa".[10]

Legado[editar | editar código-fonte]

Cinema e televisão[editar | editar código-fonte]

Em 1993, Ovelha Negra integrou a trilha sonora da telenovela Mulheres de Areia, da Rede Globo de Televisão.[11] Quase trinta anos depois de gravada, uma das mais conhecidas músicas do disco, Agora só Falta Você, fez parte do filme O Ladrão de Diamantes de 2004, com Pierce Brosnan e Salma Hayek, na interpretação de Maria Rita.[12]

Relançamentos[editar | editar código-fonte]

A edição original de 1975 vinha em uma capa dupla, com uma foto do grupo ocupando as duas faces centrais do "sanduíche". Na reedição de 1986 essa foto foi transferida para a contracapa do LP, relançado em formato simples. Na reedição em CD de 1995 a mesma foto foi "perdida" no encarte.[13]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Lado A
N.º Título Duração
1. "Dançar pra não Dançar" (Rita Lee) 4:13
2. "Agora Só Falta Você" (Luis Sérgio Carlini / Rita Lee) 3:25
3. "Cartão Postal" (Paulo Coelho / Rita Lee) 3:25
4. "Fruto Proibido" (Rita Lee) 2:04
5. "Esse Tal de Roque Enrow" (Paulo Coelho / Rita Lee) 3:53
Duração total:
17:00
Lado B
N.º Título Duração
1. "O Toque" (Paulo Coelho / Rita Lee) 5:20
2. "Pirataria" (Lee Marcucci / Rita Lee) 4:29
3. "Luz del Fuego" (Rita Lee) 4:42
4. "Ovelha Negra" (Rita Lee) 5:39
Duração total:
20:10

Créditos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ricardo Pugialli. «Tutti Frutti, do bairro Pompéia à lenda do rock nacional, nos anos setenta». Senhor F. Consultado em 28 de julho de 2011. Cópia arquivada em 26 de junho de 2007 
  2. «Esse tal de Rock... ACERTOU - Cultura - Estadão». Estadão 
  3. «Discografia selecionada». Superinteressante. Consultado em 23 de julho de 2011 
  4. Lee, Rita (2016). Rita Lee: uma autobiografia. São Paulo: Globo Livros. 135 páginas 
  5. a b Lee, Rita (2016). Rita Lee: uma autobiografia. São Paulo: Globo Livros. 133 páginas 
  6. Lee, Rita (2016). Rita Lee: uma autobiografia. São Paulo: Globo Livros. 134 páginas 
  7. Chediak, 1990, p.15.
  8. «Lista dos 100 maiores discos da música brasileira pela Rolling Stone Brasil». Consultado em 6 de junho de 2011 
  9. Alvaro Neder, "Fruto Proibido". All Music. Página visitada em 06/06/2011.
  10. Leite, Edmundo (31 de agosto de 2012). «Alguns discos clássicos já nascem grandes». Acervo Estadão. Grupo Estado. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  11. Memória Globo. Mulheres de Areia. Página visitada em 06/06/2011.
  12. «CD After the Sunset = Ladrão de Diamantes». submarino. Consultado em 6 de junho de 2011 
  13. «FC Fruto Proibido». Consultado em 6 de junho de 2011 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • REIS, Livia de Freitas; VIANA, Lúcia Helena; PORTO, Maria Bernadette; TELLES, Lygia Fagundes. Mulher e literatura. Universidade Federal Fluminense. Editora, 1999. ISBN 8522802904
  • BAHIANA, Ana Maria. Nada será como antes: MPB anos 70 - 30 anos depois. Senac, 2006. ISBN 8587864947
  • VINIL, Kid. ALMANAQUE DO ROCK. Ediouro Publicações. ISBN 8500021454
  • CHEDIAK, Almir; LEE, Rita. Rita Lee, vol. 1. Irmãos Vitale, 1990. ISBN 8585426616
  • FAOUR, Rodrigo. Bastidores: Cauby Peixoto, 50 anos da voz e do mito. Editora Record, 2001. ISBN 8501061115
  • MARCONDES, Marcos Antônio. Enciclopédia da música brasileira: erudita, folclórica, popular, Volume 1. Art Editora, 1977.
  • NOVAES, Adauto. Anos 70: ainda sob a tempestade. Senac, 2005. ISBN 8586579637
  • BARTSCH, Henrique. Rita Lee mora ao lado: uma biografia alucinada da rainha do rock. Panda Book, 2006.

Bibliografia adicional[editar | editar código-fonte]

  • Nelson Motta, Noites tropicais: solos, improvisos e memórias musicais. Objetiva, 2000. ISBN 8573022922
  • Santuza Cambraia Navez, Da Bossa Nova à Tropicália. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 2004.
  • André Domingues, Os 100 melhores CDs da MPB: um guia para ficar por dentro do melhor de nossa música popular. Sá Editora, 2004. ISBN 8588193205
  • CALADO, Carlos. A divina comédia dos Mutantes. Editora 34, 1996. ISBN 8573260092
  • WEINSCHELBAUM, Violeta. Estação Brasil: conversas com músicos brasileiros. Editora 34, 2006. ISBN 8573263679

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Rita Lee é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.