Fusariose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fusariose é uma doença causadas por fungos do género Fusarium que afeta plantas e animais, inclusive humanos. Quando afeta plantas cultivadas e rebanhos de animais originam grandes perdas econômicas. Em animais, incluindo nos seres humanos, são em geral infecções oportunísticas que entram por feridas com plantas ou terra e afectam a pele, unhas, os olhos ou intra-abdominal (peritonite).

Causa[editar | editar código-fonte]

O Fusarium solani, o F. oxysporum e o F. moniliforme podem infectar humanos, mas a espécie que mais frequente de Fusarium que infecta humanos é o Fusarium proliferatum.[1]

Fatores de risco[editar | editar código-fonte]

Fatores de risco incluem imunidade baixa, lesão cutânea, trabalho braçal em área rural ou selvagem e após tratamento de câncer.[2]:330

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Em animais, inclusive humanos, pode causar[3]:

Os sintomas podem incluir febre que desaparece e reaparece (refratária), pele ulcerada e sinais de infecção respiratória como tosse e dor muscular. Em pessoas imunodeprimidas pode se disseminar por sangue causando fungemia potencialmente fatal.[3]

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Entre humanos infecta qualquer idade e é um pouco mais comum em homens (62%) e os locais mais afetados são pele(22%), olhos (15%) e disseminada(40%). A mortalidade é de 34%, principalmente pela forma disseminada.[4]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Pode ser tratado com itraconazol, voriconazol ou anfotericina B em complexo lipídico ou lipossomal. A cura depende da melhora da imunidade do paciente. Recomenda-se que trabalhadores rurais usem equipamento de segurança, como luvas, manga larga e botas, para evitar infecção por esporas.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Neuburger S, Massenkeil G, Seibold M; et al. (2008). «Successful salvage treatment of disseminated cutaneous fusariosis with liposomal amphotericin B and terbinafine after allogeneic stem cell transplantation». Transpl Infect Dis. 10 (4): 290–3. PMID 18194367. doi:10.1111/j.1399-3062.2007.00296.x 
  2. James, William D.; Berger, Timothy G.; et al. (2006). Andrews' Diseases of the Skin: clinical Dermatology. [S.l.]: Saunders Elsevier. ISBN 0-7216-2921-0 
  3. a b c Dignani MC, Anaissie E. Human fusariosis. Clin Microbiol Infect. 2004 Mar;10 Suppl 1:67-75. [www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/14748803]
  4. Schmidig, Doris. Epidemiology and Outcome of Human Fusariosis as reflected in published cases of the disease. 2013, University of Zurich, Faculty of Medicine. [1]