Hidrografia do Paraguai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paisagem do rio Paraguai.

Três volumosos rios dirigem-se para o sul do país: o Pilcomayo, o Paraná e o Paraguai. As nascentes deste último estão no Brasil, corta grandes planícies de aluvião e separa o país em ambas partes, oriental e ocidental. Próximo a Assunção, aí desemboca o Pilcomayo, o qual, vem da Bolívia, desce no sentido noroeste-sudeste por meio do Grande Chaco. Apesar de sua grandeza, o Pilcomayo possui regime bem irregular e, na estiagem, a movimentação de suas águas passa a ser interrompida em certas montanhas.[1]

Da mesma forma o rio Paraguai varia de caudal, no entanto, possui navegabilidade no seu trecho paraguaio inteiro. Deságuam na margem oeste, procedentes do Chaco, e apenas descem quando chove muito. Apesar de sua maior estreiteza, os da margem leste, como o Apa, o Aquidabán, o Ypané, o Jejuí e o Tebicuary possuem regime bem regular.[1]

O Paraná, que vem do Brasil, possui navegabilidade em quase seu percurso inteiro no país e suas águas, represadas em diversos lugares, abastecem a Usina Hidrelétrica de Itaipu. Em sua margem no Paraguai, desembocam o Monday e o Acaray.[1]

 Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Garschagen 1998, pp. 113-114.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Garschagen, Donaldson M. (1998). «Paraguai: Geografia física». Nova Enciclopédia Barsa. 11. São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda 
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Paraguai é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.