José Carlos Malato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Carlos Malato
José Carlos Malato em 2015
Nascimento 7 de março de 1964 (56 anos)
Monforte, Portugal Portugal
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Apresentador de televisão

José Carlos Catalão Malato (Monforte, 7 de março de 1964) é um apresentador de televisão e locutor de rádio português.[1]

Andou nas vindimas em França,[2] foi empregado no Hotel Palácio, no Estoril,[3] auxiliar administrativo no Hospital de São José[4] e gerente de uma gelataria no Centro Comercial das Amoreiras, em Lisboa.[5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1985 estreou-se como animador na Rádio A, em Tires,[1] na época das rádios pirata, com um programa chamado Modus Vivendi.[1] No ano seguinte foi para a Rádio Miramar, de Oeiras, onde criou o programa Trovas do vento que passa. Em 1988 ajudou a fundar a Rádio Comercial da Linha.

A colaboração de José Carlos Malato com a televisão remonta ao ano de 1991, como locutor de continuidade da SIC, precisamente no ano da sua fundação. Contudo, logo no ano seguinte, em 1992, optou por regressar à rádio, desta vez para a Renascença, para desempenhar as funções de repórter no programa Despertar, de António Sala. Entretanto, ajudou a fundar a XFM, onde esteve dois anos como realizador. Voltaria depois para o Grupo Renascença, ingressando na RFM. Aqui continuou com as funções de repórter, agora no programa Café da Manhã, assumindo a seguir a responsabilidade pela emissão de Dick Dees - Weekly Top 40. Em 1997 aceitou um convite da Rádio Comercial, estação onde passou a ser o realizador do programa As Manhãs da Comercial, assim como de Always on Top e Nota Máxima.

Paralelamente, Malato voltou a experimentar a televisão, mas desta vez como copywriter do Departamento de Autopromoção da SIC. Sem deixar a rádio, em 2002 passou a ser o responsável pelas emissões da manhã da Antena 3.

Seria na RTP que José Carlos Malato viria a fazer carreira na apresentação de programas. Começou no Top+, seguindo-se o programa de entretenimento das tardes de segunda a sexta-feira, Portugal no Coração, ao lado de Merche Romero. Neste programa criou tal empatia com o público que, em pouco mais de um ano, se tornou um dos principais rostos da estação em horário nobre.[6] Apresentou meia dezena de concursos — Um contra Todos, A Herança, Jogo Duplo, Quem Quer Ser Milionário? - Alta Pressão e Decisão Final. Conduziu também Sexta à Noite, um talk-show onde conversou com diversas personalidades (jornalistas, escritores, músicos, toureiros, etc.) e o magazine Cartaz RTP, programa destinado a mostrar os conteúdos produzidos pelos vários canais RTP, cabendo a José Carlos Malato sugerir o que ver, ouvir e ler.[7]

José Carlos Malato estudou Filosofia, na Universidade de Lisboa, e licenciou-se em Ciências da Comunicação, na Universidade Autónoma de Lisboa, onde foi assistente do Atelier de Rádio.[carece de fontes?] O seu nome foi atribuído a um largo em Monforte.[8]

Em 2017 volta ao formato dos concursos, apresentando o programa A Minha Mãe Cozinha Melhor Que A Tua, na RTP1. Também em 2017 Malato foi o apresentador escolhido pela RTP para acompanhar a delegação portuguesa ao Festival Eurovisão, em Kiev, numa edição vencida com um resultado histórico, por Salvador Sobral; a primeira vitória de Portugal neste concurso.[9] No final deste mesmo ano apresentou a partir da Ilha da Madeira, o programa Volta ao Mundo com Licínia Macedo e Sofia Relva.

Em 2018 apresentou, juntamente com Jorge Gabriel, a 1ª semifinal do Festival RTP da Canção 2018, o programa Um Mar de Portugueses com Vanessa Oliveira, Catarina Camacho e Idevor Mendonça na RTP. Foi também neste ano que assumiu pública e explicitamente a sua homossexualidade.[10]

Entre 2018 e 2019 apresentou o concurso culinário As Receitas Lá de Casa na RTP1.

Em 2019 apresentou, juntamente com Jorge Gabriel, a 2ª semifinal do Festival RTP da Canção 2019, na RTP. Neste mesmo ano apresentou o Carnaval de Loures juntamente com Vanessa Oliveira e Isabel Angelino, apresentou o programa Mão Dada a Moçambique e ainda apresentou uma série de especiais da RTP denominadas Festa do Alvarinho e do Fumeiro em direto de Melgaço com Vanessa Oliveira e Tiago Goés Ferreira; Festa da Flor em direto do Funchal com Vanessa Oliveira e Licínia Macedo; Festas de Oeiras com Vanessa Oliveira e Idevor Mendonça, Festa de Verão em direto da Costa de Caparica com Tânia Ribas de Oliveira e Inês Carranca, Festa da Sardinha em direto de Portimão com Sónia Araújo e Isabel Angelino, o Festival de Gastronomia de Bordo em direto de Peniche com Joana Teles e Idevor Mendonça, Festival da Empada/Feira do Tapete de Arraiolos em direto de Arraiolos com Catarina Camacho e Idevor Mendonça e ainda as Festas da Cidade em direto de Torres Vedras com Joana Teles e Joana Dias. Neste mesmo ano apresentou as 7 Maravilhas Doces de Portugal, os programas Férias Cá Dentro e Turismo Militar, esteve encarregue à reportagem do "Festival RTP Andamento" com Inês Lopes Gonçalves, Idevor Mendonça e Inês Carranca, o Circo de Natal ao lado de Sónia Araújo, o Adeus 2019 ao lado de Joana Teles e Inês Carranca e ainda o programa Viva 2020 com Joana Teles.

Entre 2019 e 2020 substituiu pontualmente os apresentadores regulares do programa Aqui Portugal na RTP1.

Em 2020, apresentou o Carnaval de Loulé com Vanessa Oliveira, Joana Dias e Inês Carranca; juntamente com Sónia Araújo apresentou a 2ª semifinal do Festival RTP da Canção 2020 e com várias rostos do canal os formatos: 7 Maravilhas da Cultura Popular, Rota N2, Férias cá Dentro e Jardins Históricos, apresentou também a Festa da Flor da Madeira com Tânia Ribas de Oliveira e Licínia Macedo e ainda os programas de fim de ano: Adeus 2020 e Viva 2021 com Joana Teles e Licínia Macedo na RTP.

Em 2021, apresentou a 2ª semifinal do Festival RTP da Canção 2021 com Tânia Ribas de Oliveira

Atualmente é um dos rostos do programa anual Natal dos Hospitais, dos programas Portugal no Mundo e Aqui Portugal da RTP1.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em Monforte, sua terra natal, em 2005, uma praça foi denominada largo José Carlos Malato[11].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]