Língua lugbara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lugbara
Falado em: Uganda Uganda
República Democrática do Congo República Democrática do Congo
Total de falantes: 1,040,000
Família: Nilo-saariana
 Sudânica central
  Oriental
   Moru-Madi
    Central
     Lugbara
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: lgg

A língua lugbara é a língua do povo lugbara. Falada no noroeste de Uganda no distrito do Nilo, e também na República Democrática do Congo, na Província Oriental.[1] A primeira escrita do lugbara foi desenvolvida por missionários em 1918, baseada no dialeto ayivu. No ano 2000, uma conferência realizada na cidade de Arua, noroeste de Uganda estabeleceu a criação de uma ortografia padronizada para o lugbara. Em 1992, o governo de Uganda a designou como uma das cinco "línguas da comunicação em larga escala" para ser usada como meio de instrução na educação primária; no entanto, diferente das demais línguas, o lugbara nunca foi de fato usado nas escolas.[2]

A língua aringa, também conhecida como baixo lugbara, é intimamente relacionada, sendo às vezes considerada um dialeto do lugbara.[3] Alguns estudiosos classificam o lugbara como um dialeto da língua ma'di, apesar desse argumento não ser aceito por todos.[4]

Referências

  1. Gordon, Raymond (2005). «Lugbara language». Ethnologue: Languages of the World. Dallas, Texas: SIL International 
  2. Da Fonseca, N. «Writing unwritten languages». UNESCO. Consultado em 9 de maio de 2008. Arquivado do original em 21 de maio de 2011 
  3. Douglas Boone, Richard Watson, 1999. "Moru-Ma'di Survey Report." SIL Electronic Survey Reports SILESR 1999-001.
  4. Blackings, Mairi; Nigel Fabb (2003). A Grammar of Ma'di. [S.l.]: Mouton de Gruyter. p. 1. ISBN 3110179407 

Notas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ongua Iga, Paul (1999). A Simplified Lugbara-English Dictionary. [S.l.]: Fountain Publishers. ISBN 9970021052 
  • Hinnebusch, T.J. (1973). Prefixes, Sound Change, and Sub grouping in the Coastal Kenyan Bantu Languages, unpublished PhD dissertation, UCLA.
  • Möhlig, W.J.G. (1992). "Language Death and the Origin of Strata: Two Case Studies of Swahili Dialects", in M. Brenzinger (ed.) Language Death: Factual and Theoretical Explanations with Special Reference to East Africa. Berlin & New York: Mouton de Gruyter. 157–179.
  • Mwalonya, J., Nicolle, A., Nicolle S. & Zimbu, J. (2004). Mgombato: Digo-English-Swahili Dictionary. Nairobi: BTL.
  • Nicolle, Steve. (2013). A Grammar of Digo: A Bantu language of Kenya and Tanzania. Dallas, TX: SIL International.
  • Nurse, D. & Hinnebusch, T.J. (1993). Swahili and Sabaki: A Linguistic History (University of California Publications in Linguistics 121). Berkeley & London: University of California Press.
  • Nurse, D. & Walsh, M.T. (1992). "Chifundi and Vumba: Partial Shift, No Death", in M. Brenzinger (ed.) Language Death: Factual and Theoretical Explanations with Special Reference to East Africa. Berlin & New York: Mouton de Gruyter. 181-121.
  • Walsh, M.T. (2006). "A Click in Digo and its Historical Interpretation", Azania, 41.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]