Língua maxacali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Maxacali
Falado em: Estado de Minas Gerais
Região: Sudeste
Total de falantes: 1,2 mil (aprox.)
Posição: 20° do Brasil
Família:
 Tronco Macro-jê
  Maxacali
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

O maxacali é uma língua indígena brasileira falada por cerca de mil e duzentos índios em três reservas descontínuas no Vale do Mucuri, no nordeste do estado de Minas Gerais. Os falantes se dispersam pelos municípios de Santa Helena de Minas/Bertópolis, Aldeias de Agua Boa e Pradinho; no município de Ladainha, em Aldeia Verde e no município de Teófilo Otoni, Aldeia Cachoeirinha. Etnicamente, os falantes constituem o povo maxacali.

O maxacali pertence à família linguística maxacali, da qual é a única representante nos dias atuais. Rodrigues (1986), classifica o idioma como integrante do tronco macro-jê.

Situação linguística[editar | editar código-fonte]

A maioria dos índios maxacalis é ainda monolíngue. Apenas alguns poucos falam português fluentemente. A língua maxacali foi parcialmente descrita pelo linguista estadunidense Harold Popovich, nos anos 1960. Popovich desenvolveu um alfabeto fonêmico para a língua e ensinou alguns índios a empregá-lo. Atualmente, professores índios alfabetizam uma parcela das crianças em língua materna em escolas estaduais criadas dentro do seu território.

O termo maxacali também se refere à família linguística maxacali, da qual esta língua é a única representante ainda viva, assim como aos membros da etnia maxacali.

Tipologia[editar | editar código-fonte]

A língua maxacali é sintaticamente uma língua ergativa-absolutiva ativa e a ordem predominante dos constituintes é SOV.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

O maxacali apresenta uma fonologia complexa, com um grande número de alofones e um extenso processo de nasalização.

Vogais[editar | editar código-fonte]

Anterior Central Posterior
Alta i, ĩ ɯ, ɯ̃
Média ɛ, ɛ̃ o, õ
Baixa a, ã

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Bilabiais Alveolares Palatais Velares Glotais
Oclusivas p t k ʔ
Nasais m ~ b n ~ d g ~ ŋ
Fricativas ʃ j ~ ʒ h

Referências

  • CAMPOS, Carlo Sandro de Oliveira. Verbos transitivos, inergativos e inacusativos em Maxakalí. In: DUARTE, Fábio Bonfim. Cisão de Caso, telicidade e posse em línguas indígenas brasileiras. Belo Horizonte: Fale, 2007
  • PEREIRA, Deuscreide. Alguns aspectos gramaticais da língua maxakalí. Belo Horizonte: Fale, 1992
  • POPOVICH, Harold. Maxakalí language. Manuscrito, 1971
  • RODRIGUES, A. D. Línguas brasileiras: para o conhecimento das línguas indígenas. Rio de Janeiro: Ed. Loyola, 1986
Linguística

Divisões
Fonética | Pragmática | Fonologia | Morfologia | Sintaxe | Semântica | Lexicologia | Estilística
Tipos de linguística
Antropológica | Cognitiva | Gerativa | Comparativa | Aplicada | Geolinguística | Computacional | Histórica | Neurolinguística | Política linguística | Psicolinguística | Sociolinguística
Artigos relacionados
Preconceito linguístico | Análise do discurso | Aquisição da linguagem | Línguas A e B | Sistema de escrita | Ciência cognitiva | Estruturalismo | Etimologia | Caso gramatical | Figura de linguagem
Família de línguas | Filologia | Internetês | Lista de linguistas | Gramática | Língua de Sinais | Alfabeto | Eurodicautom | Língua e cultura | Semiótica
Atos da fala |