Língua camacã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Camacã (Ezeshio)
Falado em: Brasil
Região: Bahia
Total de falantes:
Família: Macro-Jê
 Línguas Kamakã
  Camacã
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: vkm

A língua camacã (Kamakan), ou Ezeshio, é uma língua extinta de uma pequena família linguística apontada como provavelmente pertencente ao grupo Macro-Jê. São dialetos o Cotoxó e Mongoió/Mangaló.

Classificação[editar | editar código-fonte]

A língua camacã é um sub-grupo do tronco linguístico macro-Jê. Esta língua era falada por vários grupos indígenas que vivam no atual estado brasileiro da Bahia: os Kamakan, Mongoió, Menién, Cotoxó e Masacará.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

A língua camacã/mongoió, falada pelos antigos habitantes da região serrana da Bahia pode ser identificada como língua aglutinativa, e, a despeito do léxico, segue os mesmos padrões fonéticos da língua nhengatu, ou seja: tem mais sons faringais e nasais, do em comparação ao português:

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

  • rio - kedochhiä
  • queixada (porco-do-mato) - kuä-hiä
  • raiz - káse
  • tatu (grande) - panká-hiä
  • grande - iró-oró
  • dente - dió
  • dedo (primeiro) - inhindió (inhin breve e indistinto)
  • dedo (segundo) - ndiachhiä (idem)
  • dedo (terceiro) - ndjaënó
  • dedo (quarto) - ndioëgrá

Referências

  1. Rivail Ribeiro et van der Voort 2010, p. 547.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Eduardo Rivail Ribeiro, Hein van der Voort, Nimuendajú Was Right : The Inclusion of the Jabuti Language Family in the Macro-Jê Stock, International Journal of American Linguistics, 76:4, pp. 517–570, 2010.


Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre povos indígenas é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.