Maria Cristina de Espanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria Cristina
Infanta da Espanha
Condessa de Marone-Cinzano
Retrato por Philip de László, 1927
Marido Enrico Marone-Cinzano, 1.º Conde de Marone-Cinzano
Descendência Vittoria Eugenia Marone-Cinzano
Giovanna Paola Marone-Cinzano
Maria Teresa Marone-Cinzano
Anna Alessandra Marone-Cinzano
Casa Bourbon
Nome completo
Maria Cristina Teresa Alexandra Maria de Guadalupe Maria da Conceição Idlefonsa Vitória Eugénia de Bourbon e Battenberg
Nascimento 12 de dezembro de 1911
  Palácio Real de Madrid, Madrid, Espanha
Morte 23 de dezembro de 1996 (85 anos)
  Villa Giralda, Madrid, Espanha
Enterro Panteão Marone-Cinzano, Turim, Itália
Pai Afonso XIII da Espanha
Mãe Vitória Eugénia de Battenberg
Religião Catolicismo
Brasão

Maria Cristina de Bourbon e Battenberg (Maria Cristina Teresa Alexandra Maria de Guadalupe Maria da Conceição Idlefonsa Vitória Eugénia), (12 de dezembro de 1911 - 23 de dezembro de 1996) foi uma infanta espanhola por nascimento e condessa Marone-Cinzano por casamento. Ela era tia paterna do rei Juan Carlos da Espanha.

Início de vida[editar | editar código-fonte]

Maria Cristina

A infanta Maria Cristina nasceu a 12 de dezembro de 1911 no Palácio Real de Madrid. Era a quarta filha, segunda menina, do rei Afonso XIII da Espanha e de sua esposa Vitória Eugénia de Battenberg. Sua mãe era filha do príncipe Henrique de Battenberg e da princesa Beatriz do Reino Unido, filha da rainha Vitória do Reino Unido, o que fazia com que Maria Cristina descendesse da família real britânica por parte da mãe. A família real espanhola teve de deixar o país em 1931 após a proclamação da Segunda República Espanhola. Estabeleceram-se primeiro na França e depois na Itália.

Em 1933 o rei Afonso e as suas filhas, as infantas Beatriz e Maria Cristina, mudaram-se para Roma. O rei, cautelosamente prevenido, queria que os seus pretendentes soubessem dos perigos da hemofilia, que tinha afectado dois dos seus filhos varões, Afonso, Príncipe das Astúrias e o infante Gonçalo.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Dona Maria Cristina contraiu um matrimônio morganático com Enrico Marone-Cinzano, 1.º Conde de Marone-Cinzano, filho de Alberto Marone e da sua esposa Paola Cinzano. Enrico era viúvo de Noemí de Alcorta y García-Mansilla e já tinha três filhos, entre eles Alberto, 2.º Conde Marone-Cinzano. A infanta e o conde casaram-se no dia 10 de Junho de 1940 na Basílica de San Camilo de Lelis em Roma. Antes de se casar com Maria Cristina, o rei Vítor Emanuel III da Itália concedeu-lhe o título de Conde de Marone-Cinzano, para que não houvesse tanta diferença no status social.[1] Eles tiveram quatro filhas:

  • Vittoria Eugenia (1941);
  • Giovanna Paola (1943);
  • Maria Teresa (1945);
  • Ana Alessandra (1948).

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maria Cristina de Espanha
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.