Mariana Vitória de Bourbon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mariana Vitória
Infanta da Espanha
Retrato de Mariana Vitória de Bourbon
Rainha Consorte de Portugal
Reinado 31 de julho de 1750
a 24 de fevereiro de 1777
Antecessor(a) Maria Ana de Áustria
Sucessor(a) Carlota Joaquina de Bourbon
Princesa Consorte do Brasil
Reinado 19 de janeiro de 1729
a 31 de julho de 1750
Predecessor Maria Bárbara
Sucessor Maria Francisca Benedita
 
Marido José I de Portugal
Descendência Maria I de Portugal
Maria Ana
Maria Francisca
Maria Francisca Benedita
Casa Bourbon
Bragança
Nome completo
Mariana Vitória de Bourbon e Farnésio
Nascimento 31 de março de 1718
Real Alcázar de Madrid, Espanha
Morte 15 de janeiro de 1781 (62 anos)
Palácio Nacional da Ajuda, Portugal
Sepultamento Panteão da Dinastia de Bragança, Lisboa, Portugal
Pai Filipe V de Espanha
Mãe Isabel Farnésio
Brasão

Mariana Vitória de Bourbon e Farnésio (em espanhol: Mariana Victoria de Borbón y Farnesio; Madrid, 31 de março de 1718Lisboa, 15 de janeiro de 1781) foi a rainha consorte de D. José I de Bragança, rei de Portugal.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mariana Vitória de Bourbon

Por Nicolas de Largillierre, 1724

Infância[editar | editar código-fonte]

Mariana Vitória nasceu no Real Alcázar de Madrid e foi dado o seu nome como o de sua avó paterna, a princesa Maria Ana Vitória de Baviera. Foi Infanta da Espanha por nascimento e filha mais velha de Filipe V de Espanha e de sua segunda esposa Isabel Farnésio. Seu pai era um neto de Luís XIV e tinha herdado o trono espanhol em 1700. Na época de seu nascimento, Mariana Vitória foi a quinta na linha de sucessão ao trono da Espanha atrás de seus meio-irmãos, o Infante Luis, Príncipe das Astúrias o Infante D. Fernando, e seu irmão o Infante Carlos.Como uma Infanta da Espanha, teve o estilo Alteza Real.

Envolvimento com Luís XV[editar | editar código-fonte]

Após a Guerra da Quádrupla Aliança, França e Espanha decidiram reconciliar-se concretizando o casamento da Infanta Mariana Vitória com seu primo Luís XV de França, que estava sob regência de Filipe II, Duque d'Orleães. Saint-Simon, o embaixador francês, pediu sua mão, no dia 25 de novembro 1721. A troca do jovem Infanta e Mademoiselle de Montpensier teve seu lugar na Ilha dos Faisões, local onde os seus antepassados ​​Luís XIV de França e Maria Teresa tinham-se encontrado para o matrimonio em 1660. Mariana Vitória chegou em Paris no dia 2 de março de 1721, houve celebração e a mesma se digigiu-se para o Palais du Louvre. Sua educação foi confiada aos cuidados de Maria Ana de Bourbon, uma filha ilegítima de Luís XIV e Louise de La Vallière. Em fevereiro de 1723, Luís XV alcançou a idade e pode goverar o país por sua própria vontade.

Mariana Vitória e Luís XV de França

Por Alexis Simon Belle, 1723

Em 1725, contudo, manifestou seu pai, Filipe V, o desejo de estabelecer uma aliança entre as coroas de Espanha e Portugal, a que estaria ligado o casamento da filha com D. José, herdeiro do trono português. Para tratar do assunto em MadridD. João V nomeou José da Cunha Brochado, que também foi incumbido resolver questões pendentes entre os dois países.

Mariana Vitória então deixou Versalhes e seguiu seu retorno para a Espanha.

Luís XV depois se casou com Maria Leszczyńska,princesa polaca, em setembro de 1725 e a irmã de Mariana Vitória, a Infanta Maria Teresa Rafaela se casou com o filho de Luís XV em 1745 para tranquilizar os tribunais espanhóis.

Casamento com José I[editar | editar código-fonte]

Seu retorno à Espanha, foi interpretado como um grande insulto e causou uma crise diplomática entre Espanha e França. As negociações com o Reino de Portugal para um casamento Duplo, começou em 1727 pelo embaixador Português, o Marquês de Abrantes.

José I de Portugal e sua esposa Mariana Vitória
Mariana Vitória, Rainha de Portugal

Por Domenico Maria Sani, 1750

Mariana Vitória iria se casar com José, "Príncipe do Brasil", o filho e herdeiro de João V de Portugal. Seu irmão Fernando, "Príncipe das Astúrias" se casaria com a irmãa de José, a Infanta Barbara. Mariana Vitória casou com D. José I de Portugal no dia 19 de janeiro de 1729, em Elvas em Portugal. O Príncipe de Asturias (título do tradicional para o herdeiro espanhol ao trono) se casou com a Infanta Bárbara no dia seguinte em Badajoz. Do seu casamento até o momento da ascensão ao trono de seu marido, em 1750, ela levou o título de Sua Alteza Real a Princesa do Brasil.

Marido e esposa tiveram uma relação estreita. O casal se divertiu com caça e com a música - Mariana Vitória era uma cantora qualificada - apadrinhado cantores de ópera italianos e teatro, e ambos estavam muito religioso. Apesar disso, seu marido teve várias amantes com grande aversão de sua esposa, com um forte desejo Durante seu casamento, Mariana Vitória deu à luz oito filhos, quatro dos quais sobreviveram à infância. Seu primeiro filho, a Infanta Maria foi dado o estilo princesa da Beira, como o herdeiro de seu pai. Duas das filhas Mariana Vitória permaneceu solteira. Sua filha, a Infanta Maria Francisca recebeu a proposta para se casar com o delfim da França, filho de Luís XV, mas Mariana Vitória rejeitou o proposta. Após a morte do marido, ela mesma organizou o casamento de sua filha mais nova, a infanta e o Beato José, Príncipe do Brasil, seu sobrinho.

Rainha, viúva e regente[editar | editar código-fonte]

Com a morte de seu sogro, D. João V em 1750, seu marido tornou-se governante do Império Português que tinha grandes territórios na América do Sul. Seu reinado foi dominada pela influência do Marquês de Pombal, que era um dos favoritos da rainha-mãe. José logo deixou o governo do estado de Pombal que usou seu poder para diminuir a influência da Igreja na corte, bem como a de seus inimigos. A filha Mariana também não gostava da influência que tinha Pombal sobre José I.

A Rainha Mariana Vitória

Um terremoto devastador atingiu Lisboa em 1 de Novembro de 1755, matando 100.000 pessoas. O terremoto causou em José I uma claustrofobia severa, e como resultado ele nunca mais foi capaz de permanecer dentro de um edifício murado. Como resultado, ele se moveu pela corte real em um grande complexo de tendas nas colinas de Ajuda.

Quando seu marido foi declarado inapto para governar 1774, devido a loucura, Mariana Vitória foi proclamado regente, uma posição que manteve até a morte de seu marido 24 de fevereiro de 1777. Após isso, ela tornou-se regente de sua filha mais velha Maria.

Quando a filha assume o poder, Mariana Vitória tentou melhorar as relações com sua Espanha natal que era governada por seu irmão mais velho, Carlos III. Os dois países estavam em conflito em relação a posses territoriais nas Américas. Deixando Portugal 28 de outubro de 1777, Mariana Vitória viajou para a Espanha, onde permaneceu por pouco mais de um ano, residente em Madrid e Aranjuez. Ela ajudou a celebrar um tratado entre os dois países, que tiveram de ser cimentados por um duplo casamento de seus netos. O primeiro destes casamentos acertados foi o do filho de Carlos III, o Infante Gabriel, com a sua sobrinha Maria Ana Vitória, e o segundo casamento foi o da Infanta Carlota Joaquina, neta mais velha de Carlos III, com o Infante João VI.

Morte[editar | editar código-fonte]

Enquanto na Espanha, Mariana Vitória teve um ataque de reumatismo e foi confinada a uma cadeira de rodas por algum tempo, em agosto de 1778. Regressou a Portugal em Novembro de 1778. Mariana Vitória morreu em bens Barraca de Ajuda, um edifício onde hoje é o atual Palácio Nacional da Ajuda. Seu corpo foi enterrado no Panteão de Bragança (Mosteiro de São Vicente de Fora).

Descendência[editar | editar código-fonte]

Imagem Nome Nascimento Morte Notas
Maria I, Vieira.jpg Maria I de Portugal 17 de dezembro de 1734 20 de março de 1816 Tornou-se Rainha de Portugal em

Casou-se com Pedro III de Portugal, com descendência

Retrato de D.Maria Ana Josefa.jpg
Maria Ana 7 de outubro de 1736 16 de maio de 1813 Morreu aos 76 anos de idade, não se casou
Retrato da Infanta D.Maria Francisca Doroteia.jpg Maria Francisca 21 de setembro de 1739 14 de janeiro de 1771 Morreu aos 31 anos de idade, não se casou
Princesa do Brazil D.jpg Maria Francisca Benedita 25 de julho de 1746 18 de agosto de 1829 Casou-se com José, Príncipe do Brasil, sem descendência

Tornou-se Princesa do Brasil

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

The children of Felipe V of Spain.jpg

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Maria Ana de Áustria
Arms of Mariana Victoria of Spain, Queen consort of Portugal.jpg
Rainha de Portugal

31 de julho de 175024 de fevereiro de 1777
Sucedida por:
Pedro de Bragança