Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Mobile (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Mobile"
Single de Avril Lavigne
do álbum Let Go
Lançamento 11 de maio de 2003 (2003-05-11)
Formato(s)
Gênero(s) Pop rock
Duração 3:31
Gravadora(s) Arista
Composição
Produção Clif Magness
Cronologia de singles de Avril Lavigne
"Losing Grip"
(2003)
"Don't Tell Me"
(2004)

"Mobile" é uma canção gravada pela cantora e compositora canadense Avril Lavigne para seu álbum de estreia, Let Go (2002). Foi composta pela artista em parceira com Clif Magness, que se encarregou também da produção. Sua gravação ocorreu nos estúdios Blue Iron Gate e Signet Soundelux, respectivamente localizados em Santa Mônica e Los Angeles, ambas na Califórnia. Musicalmente, é um tema pop rock cujo conteúdo lírico trata acerca da angústia sentida pela intérprete ao notar como as mudanças constantes do mundo em sua volta afetam sua própria vida. Após o lançamento do disco, críticos musicais publicaram resenhas nas quais ressaltaram o potencial da faixa como um possível single e também destacaram os vocais da cantora.

Servindo como a quinta e última música de divulgação de Let Go, a faixa foi lançada em 11 de maio de 2003 apenas em algumas regiões do mundo, a exemplo da Nova Zelândia. Como resultado, atingiu pico na 26.ª colocação da parada musical do país, monitorada pela Recorded Music NZ. Sua primeira apresentação ao vivo se deu numa AOL Session em divulgação ao álbum e, posteriormente, esteve presente no repertório das duas primeiras turnês mundiais da artista, Try to Shut Me Up Tour (2002–03) e Bonez Tour (2004–05). Durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2006, Lavigne voltou a interpretar a canção, pela última vez. Ademais, fez parte da trilhas sonoras dos filmes The Medallion e Just Married, ambos de 2003, e Wimbledon (2004). O vídeo musical da faixa, filmado nas estradas de Los Angeles em dezembro de 2002, foi ocultado por cerca de 8 anos, até surgir na Internet no início de 2011, e suas cenas exibem Avril tocando uma guitarra, andando pela estrada e lacrimejando.

Antecedentes e lançamento[editar | editar código-fonte]

Após a assinatura de um contrato fonográfico, em novembro de 2000, com a Arista Records, Avril deu início aos preparativos para a elaboração de seu álbum de estreia.[1] Embora com dificuldades quanto a definir um som próprio, ela estava desejosa por escrever seu próprio material, contrariando as investidas de sua gravadora, que lhe ofereceu canções já prontas.[2] O processo teve início em Nova Iorque, onde a cantora reuniu-se com compositores e produtores profissionais, mas o material resultante não a agradou. Foi então que se dirigiu a Los Angeles, para trabalhar com o produtor e compositor Clif Magness, que lhe concedeu mais liberdade criativa.[3] Eles compuseram cinco faixas para o alinhamento do projeto — "Losing Grip", "Mobile", "Unwanted", "My World" e "Too Much to Ask" —, todas gravadas nos estúdios Blue Iron Gate — em Santa Mônica — e Signet Soundelux — em Los Angeles —, ambos na Califórnia.[4] Como a direção sonora tomada pelos dois não satisfez a Arista, Lavigne terminou a criação do disco com a equipe de produção The Matrix.[3][5] Assim que foi lançado, Let Go, impulsionado pelo bom desempenho de "Complicated", "Sk8er Boi" e "I'm with You", atingiu bons números em várias partes do mundo.[6][3] Enquanto isso, a cantora excursionava com a Try to Shut Me Up Tour, período em que enfrentou acusações por parte dos Matrix, que alegaram ter composto a maior parte das canções supracitadas, embora os royalties de publicação tenha sido divididos igualmente entre os membros da equipe e Avril.[5]

Numa entrevista concedida, em março de 2003, para a Rolling Stone, Lavigne revelou seu desagrado quanto a ter trabalhado com os Matrix, já que o álbum deveria ter soado mais como as colaborações com Magness, o que não ocorreu por interferência da Arista. Logo, ela contrariou a proposta de sua gravadora e escolheu uma colaboração com o produtor para dar continuidade à divulgação de Let Go em vez de "Anything but Ordinary", co-escrita e produzida pelos Matrix.[5] "Losing Grip" acabou sendo o último single do álbum a nível mundial.[7] No entanto, a Nova Zelândia não teve a comercialização deste, sendo lançado em seu lugar "Mobile", em 11 de maio de 2003.[8] O tema também recebeu promoção nas rádios da Austrália, onde foi comercializado em formato de CD single promocional.[9] Além disso, foi incluído nas trilhas sonoras dos filmes The Medallion e Just Married, ambos de 2003, e Wimbledon, de 2004.[10]

Composição e repercussão[editar | editar código-fonte]

Em "Mobile", o alcance vocal de Lavigne varia entre 3 e 6.[11]

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"Mobile" é uma canção pop rock cujas letras tratam a respeito da angústia sentida pela intérprete ao notar como as mudanças constantes do mundo em sua volta afetam sua própria vida.[12][13] Com um tom confessional, suas letras revelam ainda o cansaço quanto a um estilo de vida transitório e desejo de encontrar estabilidade.[14] De acordo com a partitura publicada por EMI Music Publishing no website Musicnotes.com, a faixa foi composta no tom de lá maior, com um ritmo moderado cujo metrônomo é de 100 batidas por minuto.[11] Pat Blashill da Rolling Stone disse que "Mobile" seria "o próximo grande êxito completamente inescapável" da artista. Blashill completou: "Enquanto Lavigne lamenta ondas de guitarras acústicas e elétricas, sua grande voz, ocasionalmente, vira-se de lado num sotaque, uma sugestão casual de que ela pode ser, de todas as coisas, uma excelente cantora country em formação".[15] Dave Donnelly da Sputnikmusic comentou que a canção contrasta "um verso evocativo" de "Pull" (1996) de Blind Melon com "um refrão que poderia ter sido retirado de qualquer tema alternativo dos anos 90". O analista também questionou porque a faixa não foi lançada como um single mundial, já que, de acordo com ele, possui potencial para ser um sucesso de rádios de rock.[16]

"Mobile" estreou na 36.ª posição da parada de singles da Nova Zelândia e foi continuamente subindo nas atualizações seguintes, até atingir seu pico no número 26 na semana terminada em 8 de junho de 2003. Posteriormente, a canção foi decaindo, até sair das cinquenta colocações do gráfico, o que ocorreu em 13 de julho. Contudo, voltou por mais uma atualização, em 27 do mesmo mês.[17]

Apresentações ao vivo[editar | editar código-fonte]

Em 8 de abril de 2002, "Mobile" foi apresentada ao vivo pela primeira vez, o que decorreu numa AOL Session, sendo esta também a primeira apresentação voltada para promover Let Go.[18] Após isso, a faixa foi sendo performada em diversas ocasiões, para a divulgação do álbum, além de ter sido incluída no repertório da primeira turnê mundial da cantora, intitulada Try to Shut Me Up Tour e iniciada em dezembro daquele ano.[19] Um dos últimos concertos dessa turnê foi filmado e lançado no álbum ao vivo/de vídeo My World, no qual "Mobile" é o terceiro número.[20] O tema voltou a ser performado durante a segunda turnê mundial de Avril, a Bonez Tour, entre 2004 e 2005.[21][22] A última vez em que a canção teve uma apresentação ao vivo foi durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2006.[23]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

O vídeo musical de "Mobile" foi filmado nas estradas de Los Angeles em dezembro de 2002. Sem nenhuma razão específica, o material foi ocultado por pouco mais de 8 anos, mas acabou surgindo no Youtube em 5 de janeiro de 2011. Em suas cenas, Avril, com uma camiseta laranja, toca uma guitarra e anda por uma estrada deserta, com algumas cenas dela cantando e lacrimejando ao mesmo tempo que canta e toca.[13] Robbie Daw do portal Idolator julgou o videoclipe como "simples",[24] uma opinião também compartilhada por Kevin Rutherford da Billboard, o qual ainda disse que "esse breve retorno à princesa punk-pop de 2002 é bem-vindo" para os que desejam algo de Lavigne à moda antiga.[13]

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

O CD single de "Mobile" na Nova Zelândia apresenta, além uma versão de "Complicated" mixada por Tom Lord-Alge, duas canções inéditas que foram gravadas para Let Go mas não entraram em seu alinhamento final.[8]

  • CD single neozelandês
  1. "Mobile" – 3:31
  2. "Complicated" (Tom Lord-Alge Mix) – 4:47
  3. "Let Go" – 4:11
  4. "All You Will Never Know" – 3:40

Créditos[editar | editar código-fonte]

Todo processo de elaboração de "Mobile" atribui os seguintes créditos:[4]

  • Avril Lavigne – vocais, composição
  • Clif Magness – composição, produção, baixo, guitarra, teclados, programação, engenharia de gravação
  • Tom Lord-Alge – mixagem
  • Steve Gryphon – engenharia de gravação adicional
  • Tom Hardisty – assistência adicional da engenharia de gravação
  • Femio Hernandez – assistência da mixagem
  • Josh Freese – bateria

Referências

  1. D'Angelo, Joe (2002). «Avril Lavigne: The Real Deal» (em inglês). MTV. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2002 
  2. Kaufman, Gil (21 de maio de 2002). «It's Not 'Complicated' – 17-Year-Old Avril Lavigne Was Born To Rock» (em inglês). MTV News. Consultado em 6 de setembro de 2019 
  3. a b c Gormely, Ian (27 de fevereiro de 2019). «The Complicated Life and Times of Avril Lavigne». Exclaim! (em inglês). Consultado em 15 de novembro de 2019 
  4. a b (2002) Créditos do álbum Let Go por Avril Lavigne [CD]. Arista Records.
  5. a b c Eliscu, Jenny (20 de março de 2003). «Avril Lavigne: Little Miss Can't Be Wrong». Rolling Stone (em inglês). Penske Business Media. Consultado em 16 de novembro de 2019 
  6. Anderson, Kyle (4 de junho de 2010). «Avril Lavigne Drops Her Debut: Wake-Up Video» (em inglês). MTV News. Consultado em 28 de novembro de 2019 
  7. «Avril Lavigne ‎– Losing Grip». Discogs. Consultado em 8 de janeiro de 2020 
  8. a b «Avril Lavigne ‎– Mobile (2003, CD)». Discogs. Consultado em 12 de janeiro de 2020 
  9. «Avril Lavigne ‎– Mobile (2003, CDr)». Discogs. Consultado em 8 de janeiro de 2020 
  10. «Avril Lavigne». IMDb. Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  11. a b «Avril Lavigne – Mobile – Digital Music Sheet» (em inglês). Musicnotes.com. Consultado em 16 de janeiro de 2020 
  12. França, Jamari (20 de setembro de 2002). «Avril Lavigne é o mais novo fenômeno do pop rock americano». Época. Globo.com. Consultado em 28 de novembro de 2019 
  13. a b c Rutherford, Kevin (6 de janeiro de 2011). «Lost Avril Lavigne Video for 'Mobile' Surfaces». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de novembro de 2019 
  14. Waliszewski, Bob. «Let Go Album Review». Plugged In (em inglês). Consultado em 29 de novembro de 2019 
  15. Blashill, Pat (2 de julho de 2002). «Avril Lavigne: Let Go». Rolling Stone (em inglês). Penske Business Media. Consultado em 21 de novembro de 2019 
  16. Donnelly, Dave (12 de fevereiro de 2006). «Avril Lavigne - Let Go (staff review)» (em inglês). Sputnikmusic. Arquivado do original em 29 de maio de 2011 
  17. «charts.org.nz - Avril Lavigne - Mobile» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 6 de dezembro de 2019 
  18. «Avril Lavigne Celebrates Album Release with Broadband Rocks Concert Live Only on AOL for Broadband» (em inglês). Business Wire. 20 de maio de 2004. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  19. «Avril's First Headlining Trek To Begin In Europe». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 4 de dezembro de 2002. Consultado em 12 de dezembro de 2019 
  20. Ordway, Holly E. (17 de novembro de 2003). «Avril Lavigne - My World (DVD & CD)» (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2020 
  21. «Avril Lavigne ‎– The Bonez-Tour 2004 / Avril's 20th Birthday Party». Discogs. Consultado em 14 de maio de 2020 
  22. «Avril 'Bonez' Up For Arena Action». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 16 de setembro de 2004. Consultado em 14 de maio de 2020 
  23. «Avril Lavigne to feature in closing of Torino Games» (em inglês). CBC News. 16 de janeiro de 2006. Consultado em 14 de maio de 2020 
  24. Daw, Robbie (6 de janeiro de 2011). «Unreleased Avril Lavigne Video For "Mobile" Surfaces A Decade After The Fact» (em inglês). Idolator. Consultado em 14 de maio de 2020