Let Go

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o álbum de estreia de Avril Lavigne. Para o álbum de Nada Surf, veja Let Go (álbum de Nada Surf). Para a canção de Mia Rose, veja Let Go (canção de Mia Rose).
Let Go
Álbum de estúdio de Avril Lavigne
Lançamento 4 de junho de 2002 (2002-06-04)
Gravação Maio 2001 — Janeiro 2002
Gênero(s) Rock alternativo · pop punk · post-grunge
Duração 48:41
Formato(s) CD · download digital
Gravadora(s) Arista Records · Sony BMG
Produção Antonio "L.A." Reid (exec.) · Butch Walker · The Matrix · Peter Zizzo · Clif Magness · Ramona Lavigne · Curt Frasca
Cronologia de Avril Lavigne
My World
(2003)
Capa da edição japonesa
Singles de Let Go
  1. "Complicated"
    Lançamento: 14 de maio de 2002 (2002-05-14)
  2. "Sk8er Boi"
    Lançamento: 27 de agosto de 2002 (2002-08-27)
  3. "I'm with You"
    Lançamento: 19 de novembro de 2002 (2002-11-19)
  4. "Losing Grip"
    Lançamento: 1 de abril de 2003 (2003-04-01)
  5. "Mobile"
    Lançamento: 11 de maio de 2003 (2003-05-11)

Let Go é o álbum de estreia de estúdio da cantora canadense Avril Lavigne. Foi lançado internacionalmente pela gravadora Arista Records em 4 de junho de 2002.[1] O álbum vendeu mais de 20 milhões de cópias no mundo inteiro,[2][3] A revista Rolling Stone elaborou uma lista dos 100 melhores álbuns entre 2000 e 2009, baseada na opinião de seus leitores, na qual o disco ficou em quarto lugar.[4] Em 2005, Avril Lavigne entrou no livro do Guinness World Records como a cantora mais jovem a entrar no topo da parada do Reino Unido, em 11 de janeiro de 2003, aos 18 anos e 106 dias de idade. O álbum chegou ao primeiro lugar na 18ª semana na UK Albums Chart.[5]

O álbum tornou-se um grande sucesso comercial, O álbum foi creditado como a maior estréia pop de 2002 e foi certificado sete vezes platina nos Estados Unidos. Foi lançado para críticas geralmente positivas, embora as composições de Lavigne tenham recebido algumas críticas. Também se saiu extremamente bem no Canadá, recebendo uma certificação de diamante pela Canadian Recording Industry Association, além de obter certificações de platina em vários países do mundo, incluindo o Reino Unido, no qual ela se tornou a artista solo feminina mais jovem a emplacar um álbum no primeiro lugar na região.

Segundo o website Gracenote, Let Go ficou na terceira posição dos discos mais populares de todos os tempos, perdendo apenas para American Idiot, do Green Day, e Stadium Arcadium, do Red Hot Chili Peppers.[6] Este álbum também está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.[7] De 2002 a 2012, o álbum ficou na 9ª posição entre os mais vendidos nos EUA com exatas 6,782,000 unidades comercializadas no país.[8]

Composição e gravação[editar | editar código-fonte]

Avril gravou suas, até então, novas faixas na gravadora Decoy Studios, situada em um subúrbio de Los Angeles conhecido como Valley Village. Ela também trabalhou com os produtores de som Curt Frasca e Peter Zizzo, cujo estúdio fica localizado em Manhattan, também registrando algumas das faixas do álbum.[9]

Scott Spock, membro do The Matrix, era seu principal engenheiro para o projeto. Spocks afirmou que Lavigne "normalmente gravava cada canção em cinco ou seis takes e provavelmente 90% do que foi finalmente usado vinha do primeiro ou segundo take". Enquanto Tom Lord-Alge foi encarregado para mixar as faixas do álbum, The Matrix também contribuiu com apoio no vocal.[9] Em uma entrevista para a revista ELLE Girl, Avril e Evan disseram que já ouviram muito os discos do Metallica, Black Sabbath e Dead Kennedys, para poderem aliviar e tirar o tédio. Lavigne disse também que a maior influência foi a banda Ramones - que, segundo a canadense, é sua favorita - por causa do seu gênero punk.[10]

Introduzida como uma cantora-compositora, Avril teve um envolvimento significativo no álbum. Em um artigo publicado na revista Rolling Stone, dos Estados Unidos, ela declarou que, embora trabalhando com os The Matrix, apenas um membro deles esteve no estúdio de gravação. Ainda de acordo com Avril, ela e Christy escreveram todas as letras em conjunto. Graham fez até algumas partes com a guitarra. "'Sim, eu gosto disso', ou 'Não, eu não gosto disso'. Nenhuma dessas canções não teve a minha aprovação", disse Lavigne na entrevista.[11]

The Matrix produziram seis canções para Avril, cinco dos quais aparecem no álbum.[9] Eles tem uma outra explicação de como a colaboração ocorreu: segundo o grupo, escreveram muitos trechos dos singles "Complicated", "Sk8er Boi" e "I'm with You", que foram compostos usando uma guitarra e piano. Christy disse, "Avril iria cantar algumas melodias, mudar uma palavra aqui ou ali."[11] Reid acrescentou a questão sobre os créditos do álbum: "Se eu estou olhando para um artista, não me importo com o que ele escreve. Avril tinha livre arbítrio para fazer o que ela realmente queria e as canções mostram seu ponto de vista. Avril sempre foi confiante sobre suas ideias".[11] Lavigne sentia que "Complicated" não a refletia nem suas habilidades como compositora, no entanto, ficou grata pela canção, uma vez que a lançou com um grande desempenho na sua carreira.[11]

Lançamento e divulgação[editar | editar código-fonte]

O álbum foi lançado em 4 de junho de 2002, no Canadá e nos Estados Unidos. Mais tarde, em 22 de julho do mesmo ano, Let Go bateu o recorde de vendas nas lojas de todo o mundo, e em 26 de agosto, em algumas partes da Europa, incluindo o Reino Unido e Irlanda.[12] Até então gravadora de Avril, a Arista Records tinha estabelecido um acordo com data de lançamento anterior, em 2002, e incluiu Let Go ao lado de álbuns de rock como Carlos Santana e a cantora Whitney Houston.[12]

Avril Lavigne em concerto para divulgação do até então novo álbum "Let Go" da rádio Mix Fm.

Embora Lavigne tivesse sido direcionada para o público adolescente, ao qual atribuiu o sucesso do lançamento de sua carreira,[11][13] Avril atuou durante as férias em uma grande quantidade de shows com vários artistas em todo os Estados Unidos, uma estratégia de marketing que induziu grandes vendas do álbum durante a estação.[13]

O segundo single foi "Sk8er Boi", também direcionado para jovens pop-punk,[14] que possui história de paixões no ensino médio. "I'm with You" foi o terceiro hit lançado, mas houve uma controvérsia com relação a isso, já que foi considerado que tinha maior potencial e poderia ter estabilizado Avril como uma artista mais madura se fosse lançado como o primeiro single.[13]

Mas o lançamento da segunda canção foi a escolha que obteve maior controvérsia. "Pelo menos aqui no prédio", disse Antonio "LA" Reid, diretor executivo da Arista Records, "Algumas pessoas eu realmente não entendo. E, assim como no primeiro videoclipe da cantora, houve alguma preocupação de que talvez, por ser tão jovem e brincalhão, pudesse afastar os amantes da música mais séria".[13]

Mas o gerente de Lavigne, Terry McBride da Nettwerk - que também supervisionava as carreiras de artistas como Dido, Sarah McLachlan, Sum 41, e Coldplay - insistiu sobre esta sequência de singles a serem lançados. "Quando nós nos sentamos com a Arista mais de um ano atrás, a maioria do pessoal só tinha ouvido falar 'Complicated' e pensei que esta menina era uma artista pop que estava indo contra uma Michelle Branch", diz McBride. "Cerca de 20 minutos de reunião, e visto que eles não entenderam o que esta menina era, eu coloquei 'Sk8er Boi'. E depois que terminou, todos disseram, "O-KAY! Ela é realmente algo totalmente diferente."[13] Os meios de comunicação estavam começando a tomar conhecimento de uma "nova onda" de cantoras e compositoras mais jovens e que realmente escreviam ou co-escreviam canções. Com o fim do fenômeno teen-pop em vista, Branch e Vanessa Carlton foram sendo "empurradas" para rádios e jornalistas com frases de efeito como: "Ela realmente toca um instrumento!"[13]

Avril era considerada como uma anfitriã pelos patrocínios das rádios durante as férias em todo o Estados Unidos,[15] uma estratégia de marketing que induziu o álbum como um dos maiores registros de vendas durante a temporada de verão. Ela embarcou em sua primeira turnê, chamada Try to Shut Me Up Tour, que começou no dia 23 de janeiro de 2003 e terminou em 4 de junho de 2003, com sua até então banda, composta pelo baterista Matt Brann, pelo baixista Mark Spicoluk (que logo foi substituído por Charlie Moniz) e os guitarristas Jesse Colburn e Evan Taubenfeld.[16]

Depois do lançamento do álbum Let Go, Avril lançou o seu primeiro DVD, "My World", filmado em Buffalo, no estado de Nova York,[17] durante a última noite de sua turnê de cinco semanas como atração principal pela América do Norte. O DVD vendeu 70 mil cópias no Canadá, recebendo sete vezes a certificação de Platina,[18] chegou na 23ª posição em Portugal,[19] e no Brasil chegou em primeiro lugar nos mais vendidos, registrando a marca de mais de 50 mil cópias, recebendo a certificação de platina e tornando-se o nono disco mais vendido do país em 2003, segundo uma publicação da ABPD.[20]

My World traz todas as músicas do álbum Let Go incluindo as canções favoritas da canadense como, "Complicated", "I'm with You", "Losing Grip" e "Sk8er Boi", além de novas canções, como o cover de Bob Dylan, "Knockin' on Heaven's Door". O DVD contém 68 minutos do show, mais as cenas de bastidores da turnê pela América do Norte em 24 cidades dos Estados Unidos, Europa e Japão.[21]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Metacritic (68/100)[22]
CDNow 80/100)[22]
E! Online (75/100)[22]
CultureDose.net (40/100)[22]
Kidz World 5 de 5 estrelas.[23]
And Pop 5 de 5 estrelas.[24]
MSN Music 3.5 de 5 estrelas.[25]
Entertainyourbrain 3.5 de 5 estrelas.[26]
Artist direct 3.5 de 5 estrelas.[27]
Starpulse 3 de 5 estrelas.

Let Go recebeu críticas geralmente favoráveis, recebendo uma média de 68/100 no Metacritic, que se baseou em sete opiniões de publicações de sites especializados na área da música.[22] Na revista Rolling Stone dos Estados Unidos, Pat Blashill afirmou que "Avril tem uma grande voz", e ainda disse que "ela e os responsáveis pelo álbum são uma equipe qualificada para criar hits".[28] Christina Saraceno, do site Allmusic, observou que a cantora tinha "uma variedade de estilos de música" e "também uma capacidade de compor muitas canções". No entanto, Saraceno opinou que "por causa da sua idade, ela ainda não escolheu um estilo próprio, uma vez que sempre foi influenciada pelos pais".[1] John Perry, da revista Blender, escreveu em resumidas palavras que Let Go foi "uma excelente estreia com guitarras pop".[29] Um artigo da revista Q elogiou Avril "por mostrar uma música muito além de sua época".[22] Jon Caramanica, do site Entertainment Weekly, disse que Avril "usou guitarra rock monocromática" e estreou "com muita seriedade na composição de suas músicas".[30] Em 11 de setembro de 2009, esse mesmo site elaborou uma lista dos 50 piores álbuns da década de 2000, e Let Go está na 36ª posição.[31]

Alguns comentadores tiveram sentimentos semelhantes em relação a qualidade das letras de algumas músicas do álbum. No portal Allmusic, Saraceno disse que Lavigne ainda precisava crescer nesse sentido, afirmando que "'Sk8er Boi'" mostra uma deficiência lírica e 'Too Much to Ask' apela para expressões embaraçosas e, às vezes, tolas".[1] Perry, da Blender, classificou a letra do segundo single como ingênua.[29] O site IGN disse que Avril "não tem o estilo punk rock" e que "a única música com esse gênero" era "Sk8er Boi". Ele completou escrevendo que "Complicated" lembra as canções do Blink-182 e que o álbum "é preenchido com canções cheias de emoções e parece que a cantora estava deprimida ou passando por tempos difíceis quando as compôs". Concluiu afirmando que, para os fãs de Michelle Branch, Alanis Morissette e Vanessa Carlton, Avril Lavigne era "uma grande revelação" que tinha "um monte de promessas". No portal de resenhas Entertainment.ie, da Irlanda, , foi publicado que Lavigne era "uma grande cantora e compositora canadense" que estava "rapidamente tornando-se uma grande notícia em todo o mundo. Suas músicas são muito originais, algo que é quase impossível de se achar com apenas 17 anos de idade".

O crítico Lennat Mak, da MTV Ásia, disse que "Avril e o álbum injetam um pouco de energia juvenil", que ela era "uma grandeza no mundo pop" e que "as músicas tinham uma carga incrivelmente cativante" e seu vocal "era muito impressionante para uma garota de [até então] 17 anos"; continuou dizendo que "a primeira canção estava presente em muitas paradas musicais de vários países e que o segundo single não seria diferente". Ele encerrou afirmando que Avril "não seria muito diferente de Britney Spears quando surgiu, mas era pelo fato da canadense escrever suas próprias canções e não se preocupar com sua aparência, e sim com a música". O site de resenhas brasileiro Pílula Pop disse que "Losing Grip" tem "gritos furiosos e graciosos", que o disco "é bem produzido" e comparou a introdução da faixa 'Mobile' com a canção "A Sua Maneira", da banda Capital Inicial. Selecionaram as faixas "Complicated", "I'm with You" e "Anything But Ordinary" como as melhores do álbum.

A MTV dos EUA relembrou em seu site, no dia 4 de junho de 2010, o lançamento, aparecimento e as consequências de Avril Lavigne no cenário musical e disse que foi "uma grande estreia", que "mudou as cabeças" e "criou uma mudança sísmica na música pop".[32] Falou também sobre sua primeira faixa "Complicated", descrevendo-a como "uma balada de pop-punk que veio junto com um videoclipe agora ícone que definiu tudo o que Lavigne foi em 2002. Essa canção foi uma revelação, pois apesar de ter sido produzida como o resto da música pop no rádio, tinha uma auto-consciência".[32] A emissora também falou que Let Go representou "o primeiro avanço para Scott Spock, Lauren Christy e Graham Edwards, da equipe de produção conhecida como Matrix. Sua abordagem simples em estúdio de gravação e sua capacidade de rock pesado e sensibilidade para a rádio pop, transformou-os em uma fonte de demanda instantânea para compor e produzir hits de rádio". Desde o Let Go, o Matrix têm colaborado em produções de Shakira, Liz Phair, Korn, Ashley Tisdale, Katy Perry, Tokio Hotel e Britney Spears.[32] Ainda na opinião da MTV, o primeiro álbum de Avril "gerou outros dois grandes singles" - 'Sk8er Boi' e 'I'm with You'" - e "as músicas de Lavigne continuaram a evoluir ao longo dos anos, elevando o nível do gênero particular de pop da artista".[32]

Indicações e premiações[editar | editar código-fonte]

O álbum Let Go e a própria Avril receberam diversas indicações, vencendo algumas, em diferentes premiações, incluindo o Grammy Awards, com oito indicações,[33] nas categorias de "Melhor Artista Revelação", "Canção do Ano" por "Complicated" e "I'm with You", "Melhor Performance Vocal Feminina de Pop" por "Complicated" e "I'm with You", "Melhor Performance Vocal Feminina de Rock" por "Sk8er Boi" e "Losing Grip" e "Melhor Álbum Vocal de Pop" por Let Go.

Lavigne foi indicada em onze categorias, com sete deles vencidas, na edição de 2003 do Juno Awards,[34] nas de "Melhor Artista Revelação", "Melhor Álbum Pop do Ano", "Música do Ano" e "Compositora do Ano". Avril também levou dois prêmios no World Music Awards, faturando na categoria de "Artista de Pop Rock" e na "Melhor Canadense de Pop/Rock do Ano".[35]

Em outra premiação canadense, o "Canadian Radio Music Awards" de 2003, Lavigne venceu nas categorias de: "Melhor Artista Revelação do Gênero Rock", "Melhor Artista Revelação", "Melhor Artista ou Banda Revelação", "Escolha dos Fãs" e "Melhor Compositor".[36] Em 2004, venceu na de "Escolha dos Fãs",[37] e, em 2005, foi indicada na mesma categoria.[38]

Avril também recebeu indicações no Video Music Brasil, da MTV Brasil, na categoria de "Melhor Videoclipe Internacional", com "Complicated".[39] No Nickelodeon Kids' Choice Awards, ela ganhou o prêmio de "Melhor Música do Ano", pelo hit "Sk8er Boi",[40] e no MuchMusic Video Awards, Avril obteve o prêmio de "Melhor Vídeo Musical do Canadá" por "Sk8er Boi".[41]

Singles e desempenhos[editar | editar código-fonte]

"Complicated" foi lançado pela Arista como o primeiro single do álbum , que foi visto como uma introdução a Lavigne em todas as faixas etárias.[14] Pensou em produzir um amplo apelo demográfico, no entanto, o videoclipe do single apresenta Lavigne e sua banda causando estragos em um shopping, "o tipo de imagem que os adultos podem pensar em 'Limpe essa bagunça!'".[13] A música liderou as paradas em vários países e foi nomeada para dois Grammy Awards para Canção do Ano e Melhor Performance Vocal Feminina Pop.

O segundo single, "Sk8er Boi", era voltado para o público pop-punk adolescente.[14] O lançamento de "Sk8er Boi" criou desacordo entre muitos diretores de programação de rádio. No entanto, suas impressões foram desviadas quando os ouvintes ajudaram a mudar de ideia; a rotação precoce do single mostrou-se bem-sucedida, mostrando que era tão popular entre os ouvintes pós-universitários quanto entre os adolescentes. A música alcançou o número um nas principais rádios americanas.[14]

"I'm with You" foi lançado no final de novembro de 2002, próximo às férias de Natal, para lembrar os pais sobre o álbum e comprá-lo, para qualquer adolescente da família.[14] A música se tornou outro sucesso para Lavigne, alcançando o número quatro na Billboard Hot 100, número um na rádio e os dez primeiros no Reino Unido e Canadá. Não foi lançado oficialmente na Austrália, mas recebeu transmissão de rádio e televisão. A música também foi indicada a dois Grammy Awards nas mesmas categorias que "Complicated". A junção de lançamento dos singles do álbum, com "I'm with you" sendo promovido como terceiro, foi considerado "controverso", já que "I'm with you" foi considerado por alguns com um potencial maior para o sucesso, e poderia ter estabelecido Lavigne como um artista mais madura se fosse lançado primeiro.[14] De acordo com Reid, "algumas pessoas realmente não entenderam isso. E com o primeiro vídeo, houve alguma preocupação de que talvez por ser tão jovem e brincalhão, possa alienar os apreciadores mais sérios da música".[13]

"Losing Grip" foi lançada como o quarto single do álbum, "como uma ponte para seu próximo álbum", que Lavigne afirmou que seria "mais rock" do que sua estréia.[13] Em 2004, foi nomeado para o Grammy Award de Melhor Performance Feminina de Rock.[42] No entanto, foi o single comercialmente menos bem-sucedido do álbum.

Outras músicas foram lançadas como singles promocionais apenas para os rádios. "Things I Never Say Say" foi lançado apenas como single de rádio na Itália.

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

O álbum é composto por 13 faixas em sua versão padrão. Avril é a compositora em todas elas, juntamente com outros escritores. A Arista Records lançou Let Go em versão japonesa, com uma nova faixa e videoclipes como bônus.[43]

Edição padrão[43]
N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "Losing Grip"  Lavigne · Clif MagnessMagness 3:53
2. "Complicated"  Lavigne · The MatrixThe Matrix 4:05
3. "Sk8er Boi"  Lavigne · The MatrixThe Matrix 3:23
4. "I'm with You"  Lavigne · The MatrixThe Matrix 3:44
5. "Mobile"  Lavigne · MagnessMagness 3:31
6. "Unwanted"  Lavigne · MagnessMagness 3:40
7. "Tomorrow"  Lavigne · C. Frasca · S. BreerFrasca, Breer[A] 3:48
8. "Anything But Ordinary"  Lavigne · The MatrixThe Matrix 4:12
9. "Things I'll Never Say"  Lavigne · The MatrixThe Matrix 3:43
10. "My World"  Lavigne · MagnessMagness 3:27
11. "Nobody's Fool"  Lavigne · Peter ZizzoZizzo 3:57
12. "Too Much to Ask"  Lavigne · MagnessMagness 3:45
13. "Naked"  Lavigne · Frasca · BreerMagness · Frasca · Breer[A] 3:29
Duração total:
48:41

Outras versões[editar | editar código-fonte]

Let Go também foi comercializado em edições contendo um CD com conteúdo bônus, boxsets limitados, um CD exclusivo, um DVD bônus limitado da edição japonesa, um DVD exclusivo, e ainda uma edição contendo uma versão remixada de "Complicated".[43][44]

Let Go/Under My Skin[editar | editar código-fonte]

Let Go/Under My Skin é um álbum duplo da cantora Avril Lavigne, que inclui dois CDs: um do álbum Let Go, com cenas extras da Avril, seus videoclipes, entre outros, e todas as faixas do Under My Skin no CD 2, além da bônus "I Always Get What I Want". Essa coletânea foi lançada primeiramente em 2 de outubro de 2006 e em 2007 na Europa, pela gravadora Sony BMG.[45]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Trinta e cinco profissionais trabalharam no primeiro álbum de estúdio de Avril Lavigne, nas funções de baterista, guitarrista, baixista, tecladista, mixador, membro da equipe de produção, editores, fotógrafos, auxiliares, A&R, entre outros:[27][46]

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Símbolo do álbum Let Go em 2003, anteriormente usado no videoclipe de "Sk8er Boi".

Let Go teve sucesso comercial nos Estados Unidos, ganhando elogios da revista Entertainment Weekly como um dos maiores álbuns de estréia pop de 2002.[47] O álbum estreou na Billboard 200 no número 8, com a mais de 62.000 unidades vendidas e depois atingiu a posição máxima de número 2. Sua estréia foi impulsionada pelo sucesso de "Complicated", que estava obtendo forte rotação na MTV.[47] O aumento das vendas semanais permitiu que o álbum permanecesse dentro do top 10 da parada por 37 semanas.[14] O álbum vendeu pelo menos 100,000 cópias até o final de 2002, acumulando mais de dois milhões de unidades vendidas.[14] Num relatório de dezembro de 2002 da revista Entertainment Weekly, foi declarado que o álbum havia vendido 3,9 milhões de cópias, tornando-se o terceiro álbum mais vendido de 2002 nos Estados Unidos.[48] Os números de final de ano divulgados pela Nielsen SoundScan revelaram que o Let Go havia vendido mais de 4,1 milhões de cópias nos Estados Unidos, acumuladas em 30 semanas após o lançamento do álbum.[49] Let Go obteve certificação de dupla platina pela Recording Industry Association of America.[50] Isso deu à Let Go a distinção de ser a estreia mais vendida em 2002 e o álbum mais vendido por uma artista feminina.[51] Em 30 de abril de 2003, a RIAA certificou o álbum seis vezes platina, denotando vendas superiores a mais de seis milhões de unidades.[51] Continua sendo o álbum mais vendido de Lavigne até o momento, com 6,9 milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos e mais de 16 milhões em todo o mundo a partir de 2013.[52]

O álbum alcançou posições de pico mais altas, especialmente durante e após as férias. Após sua apresentação de abertura no Billboard Music Awards de 2002, Let Go continuou a ser um dos mais vendidos das férias, com vendas naquela semana de 272.000.[53] Atingiu sua semana de vendas mais alta na edição de 4 de janeiro de 2003, com 363,000 cópias vendidas. Embora tenha atingido o número dois em setembro de 2002, Let Go subiu de 3 para 2 na Billboard 200 na edição de 1 de fevereiro de 2003.[54] O aumento das vendas foi o resultado da aparição de Lavigne em 11 de janeiro no Saturday Night Live como convidado musical do programa. Houve acusações de uso de playback, mas em uma entrevista na época ela diz que nunca dublou ou planeja fazê-lo. Durante esse período também, Lavigne recebeu muita cobertura da mídia devido a suas indicações no Grammy Awards de 2003 e por embarcar em sua primeira turnê na América do Norte.[55] No Reino Unido, o álbum levou mais tempo para chegar ao topo da parada de álbuns do UK Albums Chart. Em sua 18ª semana de lançamento nas paradas, o álbum alcançou o número um, subindo para o primeiro lugar no feriado. O aumento das vendas internacionais do álbum foi atribuído ao sucesso contínuo de "Sk8er Boi".[56] Let Go é o 12º álbum mais vendido de 2003 no Reino Unido.[57] O álbum foi certificado seis vezes platina pela British Phonographic Industry.[58]

Let Go também estava vendendo bem no Canadá, superando as vendas de mais de um milhão de unidades em menos de um ano. A Canadian Recording Industry Association o certificou com diamante em maio de 2003.[59] Na Austrália, o Let Go foi certificado sete vezes platina pela Australian Recording Industry Association em 2003, com base nas vendas de mais de 490,000 unidades de atacadistas a varejistas.[60] O álbum foi o décimo mais vendido de 2002, e o terceiro no ano seguinte.

Certificações[editar | editar código-fonte]

Região Certificação Vendas/distribuição
Argentina (CAPIF)[124] Platina 40,000*
Alemanha (BVMI)[125] 3× Platina 500,000*
Austrália (ARIA)[60] 7× Platina 490,000^
Áustria (IFPI Áustria)[126] Platina 30,000*
Bélgica (BVMI)[127] Ouro 25,000*
Brasil (Pro-Música Brasil)[128] 2× Platina 200,000*
Canadá (Music Canada)[129] Diamante 1,000,000^
Dinamarca (IFPI Dinamarca)[130] 3× Platina 60,000^
Espanha (PROMUSICAE)[131] Platina 100,000^
Estados Unidos (RIAA)[132] 7× Platina 6,900,000^
Finlândia (Musiikkituottajat)[133] Ouro 16.256^
França (SNEP)[134] 2× Ouro 200,000*
Grécia (IFPI Grécia)[135] Ouro 15,000^
Hong Kong (IFPI Hong Kong)[136] Ouro 20,000*
Hungria (MAHASZ)[137] Ouro 10,000^
Japão (RIAJ)[138] Milhão 1,000,000^
México (AMPROFON)[139] Ouro 75,000^
Noruega (IFPI Noruega)[140] Ouro 30,000*
Nova Zelândia (RMNZ)[141] 7× Platina 75,000^
Países Baixos (NVPI)[142] Platina 80,000^
Polônia (ZPAV)[143] Ouro 35,000^
Reino Unido (BPI)[58] 6× Platina 1,820,483[144]
Suécia (GLF)[145] Platina 30,000^
Suíça (IFPI Suíça)[146] 2× Platina 80,000^
Resumos
Europa (IFPI)[147] Platina 2,000,000
Mundo 16,000,000[148]

^distribuições baseadas apenas na certificação
*números de vendas baseados somente na certificação

Notas e referências

  1. a b c «Avril Lavigne». Allmusic (em inglês). Consultado em 15 de agosto de 2009 
  2. «Avril Lavigne». music.mtv.uol. MTV Networks. Consultado em 9 de julho de 2010. Arquivado do original em 1 de novembro de 2009 
  3. «Who Doesn't Know Avril Lavigne?» (html). Vividseats (em inglês). Consultado em 19 de dezembro de 2009 
  4. «The Decade-End Readers' Poll». mtv (em inglês). 30 de novembro de 2009. Consultado em 30 de novembro de 2009 
  5. «Rock e Coutry». Guinness world records. Ediouro. 2005. Consultado em 13 de novembro de 2009 
  6. «Elite 100 Chart». Gracenote (em inglês). 2008. Consultado em 14 de agosto de 2009 
  7. «2007 National Association of Recording Merchandisers». timepieces (em inglês). 2007. Consultado em 26 de maio de 2010. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2010 
  8. Grein, Paul. «Chart Watch Extra: Top Albums Of Last 10 Years». music.yahoo.com (em inglês). Consultado em 25 de março de 2012. Cópia arquivada em 25 de março de 2012 
  9. a b c Jackson, Blair. «Recording Vocals». Mixonline (em inglês). Consultado em 1 de agosto de 2009. Arquivado do original em 12 de março de 2009 
  10. «Avril Lets Go». ELLE Girl (em inglês). Hachette Filipacchi Media. Abril de 2003. Consultado em 13 de novembro de 2009 
  11. a b c d e Eliscu, Jenny. «Little Miss Can't Be Wrong». Rolling Stone (em inglês). Estados Unidos 
  12. a b Revista Billboard (2002). Santana, Whitney, Lavigne Head To DataPlay (em inglês). EUA: [s.n.] 
  13. a b c d e f g h i «'Boi,' Oh Boy». Entertainment Weekly. 5 de novembro de 2002. Consultado em 4 de agosto de 2009 
  14. a b c d e f g h Willman, Chris. «Avril Lavigne The Anti-Britney». EW (em inglês). Consultado em 5 de agosto de 2009 
  15. Revista Billboard (2002). Avril's First Headlining Trek To Begin In Europe (em inglês). EUA: [s.n.] 
  16. D'Angelo. «Avril Lavigne: The Real Deal». MTV. Consultado em 4 de agosto de 2009 
  17. «Avril Lavigne My World». Achart (em inglês). Consultado em 30 de junho de 2009 
  18. «Video Certifications». CRIA (em inglês). Consultado em 30 de junho de 2009. Arquivado do original em 7 de abril de 2012 
  19. «Portugal Albums Top 30». Achart (em inglês). Consultado em 30 de junho de 2009 
  20. «Estatisticas mais vendidos DVD 2003». Achart. Consultado em 30 de junho de 2009. Arquivado do original em 27 de janeiro de 2011 
  21. Tarik, Sousa. JB online. Brasil: Terra  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  22. a b c d e f «Let Go: by Avril Lavigne». metacritic. Consultado em 6 de agosto de 2009 
  23. «Avril Lavigne - Let Go - CD Review». kidzworld (em inglês). 2002. Consultado em 21 de dezembro de 2009 
  24. Gonshor, Adam (4 de junho de 2002). «CD Review: Avril Lavigne – Let Go». andPOP (em inglês). Consultado em 30 de novembro de 2009 
  25. «Let Go». MSN Music (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2009 
  26. McKenzie, Shawn (3 de setembro de 2002). «Avril Lavigne-Let Go Review» (html). entertainyourbrain (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2009 
  27. a b «Let Go» (html). Artistdirect (em inglês). 2002. Consultado em 2 de novembro de 2009 
  28. «Avril Lavigne: Let Go». Rolling Stone. 2 de julho de 2002. Consultado em 6 de agosto de 2009 
  29. a b Perry, Jonh (4 de junho de 2002). «Let Go Review». Blender. EUA 
  30. «Let Go (2002)». Entertainment Weekly. 14 de junho de 2002. Consultado em 8 de agosto de 2009 
  31. Greenblatt, Leah (11 de setembro de 2009). «The 50 worst albums of the decade? See if you agree». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 12 de setembro de 2009 
  32. a b c d e Anderson, Kyle (4 de junho de 2010). «Avril Lavigne Drops Her Debut: Wake-Up Video». MTV (em inglês). MTV Networks. Consultado em 4 de junho de 2010 
  33. «Grammy Awards». Sony Bmg. Consultado em 9 de agosto de 2009 
  34. «Juno Award». Ottawa Start (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2009. Arquivado do original em 13 de dezembro de 2009 
  35. «World Music Awards». Consultado em 1 de Abril de 2009 
  36. «Canadian Radio Music Awards - 2003 Winners» (html). Canadian Radio (em inglês). 2003. Consultado em 23 de novembro de 2009 
  37. «Canadian Radio Music Awards - 2004 Winners» (html). Canadian Radio (em inglês). 2004. Consultado em 23 de novembro de 2009 
  38. «Radio Music Awards Nominations Winners» (html). Canadian Radio (em inglês). 2005. Consultado em 23 de novembro de 2009 
  39. «Veja quem são os vencedores do VMB 2003» (shtml). Folha Online. UOL. 27 de agosto de 2003. Consultado em 1 de dezembro de 2009 
  40. «Nickelodeon Kids' Choice Awards» (em inglês). Consultado em 1 de Abril de 2009 
  41. «Much Music 2003». Andpop (em inglês). Consultado em 1 de Abril de 2009 
  42. Nadine, Cheung. «Top 10 Avril Lavigne Songs». AOL Radio 
  43. a b c «AVRIL LAVIGNE Discografia». Sony BMG. 2002. Consultado em 14 de agosto de 2009 
  44. a b «Avril Lavigne Let Go [Bonus Disc]». starpulse (em inglês). Consultado em 4 de outubro de 2010 
  45. a b c «Avril Lavigne ‎– Let Go / Under My Skin». discogs.com (em inglês). Consultado em 5 de novembro de 2015. Cópia arquivada em 2015 
  46. (2002) Créditos do álbum Let Go por Avril Lavigne.
  47. a b Michael, Ellis; Martens, Todd. «Eminem's 'Show' Still on Top of the Chart». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  48. Gary, Susman. «White America». Entertainment Weekly. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  49. Martens, Todd. «'8 Mile' Back Atop The Billboard 200». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  50. «Nothing 'Complicated' About It…Avril Is Double Platinum!». Recording Industry Association of America. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  51. a b Margo, Whitmire. «Eminem Leads 2002 RIAA Certifications». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019. Arquivado do original em 26 de maio de 2010 
  52. Trust, Gary. «Ask Billboard: Avril Lavigne's Best-Selling Songs & Albums». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  53. Todd, Martens. «Holiday Sales Keep Shania 'Up' On Top». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  54. «The Billboard 200: Let Go». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  55. Martens, Todd. «Norah Jones Remains on Top». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  56. Sexton, Paul. «Avril Skates To No. 1 in the U.K.». Billboard. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  57. «Bestselling Albums 2003» (PDF). British Phonographic Industry. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  58. a b «Certificações (Reino Unido) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em inglês). British Phonographic Industry 
  59. «Avril Lavigne presented with Diamond». Canadian Recording Industry Association. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  60. a b «ARIA Charts – Accreditations – 2003 Albums». Australian Recording Industry Association 
  61. «Offiziellecharts.de – Avril Lavigne – Let Go» (em inglês). Media Control Charts. Consultado em 30 de abril de 2016 
  62. «Avril Lavigne – Let Go (ARIA Charts)» (em inglês). ARIA Charts. Consultado em 4 de maio de 2016 
  63. «Avril Lavigne – Let Go (Ö3 Austria Top 40)» (em inglês). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 4 de maio de 2016 
  64. «Avril Lavigne – Let Go (Ultratop 50)» (em inglês). Ultratop 50. Consultado em 30 de abril de 2016 
  65. «Avril Lavigne – Let Go (Ultratop 40)» (em inglês). Ultratop 40. Consultado em 8 de junho de 2016 
  66. «Avril Lavigne – Let Go (Canadian Albums Chart)» (em inglês). Canadian Albums Chart. Consultado em 4 de maio de 2016 
  67. «Avril Lavigne – Let Go (The Official Charts Company)» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 30 de abril de 2016 
  68. «Avril Lavigne – Let Go (Billboard 200)». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 1º de maio de 2016. Consultado em 1º de maio de 2016 
  69. «Hits of the World». Billboard. p. 61. Consultado em 30 de abril de 2016 
  70. «Avril Lavigne – Let Go (IFPI Finlândia)» (em inglês). IFPI Finlândia. Consultado em 7 de maio de 2016 
  71. «Avril Lavigne – Let Go (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 7 de maio de 2016 
  72. «Top 50 Ελληνικών και Ξένων Άλμπουμ» (em Grega). IFPI Greece. Consultado em 30 de abril de 2016 
  73. «Top 40 album-, DVD- és válogatáslemez-lista». Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 7 de maio de 2016 
  74. «GFK Chart-Track Albums: Week 1, 2003». Chart-Track. IRMA. 
  75. «Avril Lavigne – Let Go (Federazione Industria Musicale Italiana)». Hung Medien. Consultado em 30 de abril de 2016 
  76. «ja:アヴリル・ラヴィーンのアルバム売り上げランキング» (em Japonesa). Oricon. Consultado em 30 de abril de 2016 
  77. «Avril Lavigne – Let Go (VG-lista)» (em inglês). VG-lista. Consultado em 30 de abril de 2016 
  78. «Avril Lavigne – Let Go (NZ Top 40 Albums)» (em inglês). NZ Top 40 Albums. Consultado em 8 de junho de 2016 
  79. «Avril Lavigne – Let Go (Związek Producentów Audio Video)» (em inglês). Związek Producentów Audio Video. Consultado em 8 de junho de 2016 
  80. «Avril Lavigne – Let Go (Hitlisten)» (em inglês). Hitlisten. Consultado em 30 de abril de 2016 
  81. «Avril Lavigne – Let Go (Dutchcharts)» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 30 de abril de 2016 
  82. «Avril Lavigne – Let Go (Associação Fonográfica Portuguesa)». Hung Medien. Consultado em 30 de abril de 2016 
  83. «Oficiální česká hitparáda IFPI ČR – 10. týden 2003». Marketing & Media (em Checa). Consultado em 30 de abril de 2016 
  84. «Official Albums Chart Top 100» (em inglês). UK Albums Chart. The Official Charts Company. 29 de abril de 2016. Consultado em 30 de abril de 2016 
  85. «Avril Lavigne – Let Go (Sverigetopplistan)» (em inglês). Sverigetopplistan. Consultado em 8 de junho de 2016 
  86. «Avril Lavigne – Let Go (Schweizer Hitparade)» (em inglês). Schweizer Hitparade. Consultado em 4 de maio de 2016 
  87. «Top 100 Album-Jahrescharts – 2002». GfK Entertainment. Consultado em 30 de abril de 2016 
  88. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 100 Albums 2002». Australian Recording Industry Association. Consultado em 30 de abril de 2016 
  89. «Jahreshitparade Alben 2002». austriancharts.at. Consultado em 30 de abril de 2016 
  90. «Jaaroverzichten 2002 – Albums». Ultratop. Consultado em 30 de abril de 2016 
  91. «Rapports Annuels 2002 – Albums». Ultratop. Consultado em 30 de abril de 2016 
  92. «Billboard 200 Albums – Year-End 2002». Billboard. Consultado em 30 de abril de 2016 
  93. A primeira lista é a lista dos álbuns nacionais mais vendidos de 2002 na Finlândia e a segunda é a dos álbuns estrangeiros mais vendidos:
  94. «Classement Albums – année 2002». Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 30 de abril de 2016 
  95. «Best of 2002 – Albums». Irish Recorded Music Association. Consultado em 30 de abril de 2016 
  96. «ja:2002年 アルバム年間TOP100». Oricon. Consultado em 30 de abril de 2016 – via GeoCities 
  97. «Top 50 Global Best Selling Albums for 2002» (PDF). International Federation of the Phonographic Industry. Consultado em 30 de abril de 2016 
  98. «Top Selling Albums of 2002». Recorded Music NZ. Consultado em 30 de abril de 2016 
  99. «Jaaroverzichten – Album 2002». dutchcharts.nl. Consultado em 30 de abril de 2016 
  100. «End of Year Album Chart Top 100 – 2002». Official Charts Company. Consultado em 30 de abril de 2016 
  101. «Årslista Album – År 2002». Sverigetopplistan. Consultado em 30 de abril de 2016 
  102. «Swiss Year-End Charts 2002». swisscharts.com. Consultado em 30 de abril de 2016 
  103. «Top 100 Album-Jahrescharts – 2003». GfK Entertainment. Consultado em 30 de abril de 2016 
  104. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 100 Albums 2003». Australian Recording Industry Association. Consultado em 30 de abril de 2016 
  105. «Jahreshitparade Alben 2003». austriancharts.at. Consultado em 30 de abril de 2016 
  106. «Jaaroverzichten 2003 – Albums». Ultratop. Consultado em 30 de abril de 2016 
  107. «Rapports Annuels 2003 – Albums». Ultratop. Consultado em 30 de abril de 2016 
  108. «Billboard 200 Albums – Year-End 2003». Billboard. Consultado em 30 de abril de 2016 
  109. «Europe's Top Albums of 2003». Billboard. 115. p. 65. Consultado em 30 de abril de 2016 – via Google Books 
  110. «Classement Albums – année 2002». Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 30 de abril de 2016 
  111. «Összesített album- és válogatáslemez-lista – eladási darabszám alapján – 2003». MAHASZ. Consultado em 30 de abril de 2016 
  112. «Best of 2003 – Albums». Irish Recorded Music Association. Consultado em 30 de abril de 2016 
  113. «年 アルバム年間TOP100». Oricon. Consultado em 30 de abril de 2016 – via GeoCities 
  114. «Top 50 Global Best Selling Albums for 2003» (PDF). International Federation of the Phonographic Industry. Consultado em 30 de abril de 2016 
  115. «Top Selling Albums of 2003». Recorded Music NZ. Consultado em 30 de abril de 2016 
  116. «Jaaroverzichten – Album 2003». dutchcharts.nl. Consultado em 30 de abril de 2016 
  117. «End of Year Album Chart Top 100 - 2003». Official Charts Company. Consultado em 30 de abril de 2016 
  118. «Årslista Album – År 2003». Sverigetopplistan. Consultado em 30 de abril de 2016 
  119. «Swiss Year-End Charts 2003». swisscharts.com. Consultado em 30 de abril de 2016 
  120. «ARIA Chart Sales – ARIA End of Decade Albums/Top 100» (PDF). Australian Recording Industry Association. Consultado em 30 de abril de 2016 
  121. «Decade End Charts – Billboard 200 Albums». Billboard. 2009. Consultado em 30 de abril de 2016 
  122. «The Noughties' Official UK Albums Chart Top 100». Music Week. p. 19. ISSN 0265-1548 
  123. «Greatest of All Time: Billboard 200 Albums». Billboard. Consultado em 30 de abril de 2016 
  124. «Discos de oro y platino» (em espanhol). Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. Arquivado do original em 26 de maio de 2010 
  125. «Gold-/Platin-Datenbank (Avril Lavigne; 'Let Go')» (em alemão). Bundesverband Musikindustrie 
  126. «Certificações (Áustria) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em alemão). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Áustria)  Introduza Avril Lavigne no campo Interpret. Introduza Let Go no campo Titel. Seleccione álbum no campo Format. Clique Suchen.
  127. «Ultratop − Goud en Platina - 2002» (em inglês). Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch 
  128. «Certificações (Brasil) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go». Associação Brasileira dos Produtores de Discos 
  129. «Certificações (Canadá) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em inglês). Music Canada 
  130. «Certificações (Dinamarca) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em dinamarquês). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Dinamarca) 
  131. «Certificações (Espanha) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (PDF) (em espanhol). Productores de Música de España 
  132. «Certificações (Estados Unidos) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em inglês). Recording Industry Association of America  Se necessário, clique em Advanced, depois clique em Format, e seleccione Album, e clique em SEARCH.
  133. «Certificações (Finlândia) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em finlandês). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Finlândia) 
  134. «Certificações (França) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 29 de junho de 2014 
  135. «Certificações (Grécia) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em grego). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Grécia) 
  136. «香港唱片銷量大獎 2003». IFPI Hong Kong. Consultado em 9 de janeiro de 2010 
  137. «Adatbázis – Arany- és platinalemezek – 2003» (em húngaro). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége 
  138. «Certificações (Japão) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em japonês). Recording Industry Association of Japan 
  139. «Certificações (México) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em espanhol). Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas 
  140. «Certificações (Noruega) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em noruguês). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Noruega) 
  141. «Certificações (Nova Zelândia) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em inglês). Recorded Music NZ 
  142. «Certificações (Países Baixos) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em neerlandês). Nederlandse Vereniging van Producenten en Importeurs van beeld- en geluidsdragers 
  143. «Certificações (Polônia) (álbum) – Avril Lavigne – Let Go» (em polaco). Związek Producentów Audio Video 
  144. Jones, Alan. «Charts analysis: Ariana Grande secures second week at album summit». Music Week. Consultado em 8 de março de 2011 
  145. «Guld- och Platinacertifikat − År 2003» (PDF) (em sueco). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Suécia) 
  146. «The Official Swiss Charts and Music Community: Awards (Beyoncé; 'Dangerously in Love')» (em inglês). Hung Medien 
  147. «IFPI Platinum Europe Awards – 2003» (em inglês). Federação Internacional da Indústria Fonográfica 
  148. Rick Fulton. «Avril Lavigne: Madonna is my idol». Daily Record. Consultado em 8 de março de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]