Nihonium

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Niônio)
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Niônio Stylised atom with three Bohr model orbits and stylised nucleus.svg
CopernícioNiônioFleróvio
Tl
   
 
113
Nh
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Nh
Tabela completaTabela estendida
Aparência
desconhecida
Informações gerais
Nome, símbolo, número Niônio, Nh, 113
Série química desconhecida
Grupo, período, bloco 13, 7, p
Densidade, dureza 18 000 (est.)[1] kg/m3,
Número CAS 54084-70-7
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica (286) u
Raio atómico (calculado) 170 (presumido)[1] pm
Raio covalente 136 (est.)[2] pm
Raio de Van der Waals pm
Configuração electrónica [Rn] 5f14 6d10 7s2 7p1
(previsto)[1]
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 32, 32, 18, 3 [1](ver imagem)
Estado(s) de oxidação 1, 2, 3, 5 [1]
Óxido
Estrutura cristalina
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido[1]
Ponto de fusão 700 (previsto)[1] K
Ponto de ebulição 1 400 (previsto)[1] K
Entalpia de fusão 130 (previsto) kJ/mol
Entalpia de vaporização kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor
Velocidade do som m/s a 20 °C
Classe magnética
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling)
Calor específico J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica W/(m·K)
Potencial de ionização 704,9 (est.)[1] kJ/mol
2º Potencial de ionização kJ/mol
3º Potencial de ionização kJ/mol
4º Potencial de ionização kJ/mol
5º Potencial de ionização kJ/mol
6º Potencial de ionização kJ/mol
7º Potencial de ionização kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
286Nh Sin. 20 s α 9,63 282Rg
285Nh Sin. 5,5 s α 9,74 9,48 281Rg
284Nh Sin. 0,48 s α 10,00 280Rg
283Nh Sin. 0,10 s α 10,12 279Rg
282Nh Sin. 70 ms α 10,63 278Rg
278Nh Sin. 0,24 ms α 11,68 274Rg
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O Nihonium (em inglês) cujas traduções são niônio, nihônio ou nipónio é um elemento químico sintético, de símbolo químico Nh, número atômico 113 (113 prótons e 113 elétrons), provavelmente de massa atómica 284 u[3]. Pertence ao grupo 13 da tabela periódica.

Descoberto no início de 2004 por uma equipe de cientistas russos e norte-americanos, é um transurânico, provavelmente um sólido de aspecto prateado. Em 2015, a IUPAC e a IUPAP confirmaram descoberta dos elementos niônio, moscóvio, tenesso e oganessônio.[4] No dia 8 de junho de 2016, a IUPAC sugeriu que o elemento 113 fosse batizado de Nihônio[5][6].

História[editar | editar código-fonte]

Em 1 de fevereiro de 2004 o nihônio e o moscóvio foram sintetizados, conforme relatado por uma equipe de cientistas russos de Dubna (em inglês, "Joint Institute for Nuclear Research") e do norte-americano Lawrence Livermore National Laboratory. Esta descoberta ainda está à espera de confirmação[7]

Em 28 de setembro de 2004 uma equipe de cientistas japoneses declarou que obteve êxito na obtenção deste elemento.[8][9]

Unúntrio, do latim "ununtrium" , foi um nome sistemático, temporário, indicado pela IUPAC para o elemento, enquanto ainda não havia sido oficialmente batizado. Não pode ser encontrado na natureza, pois para obtê-lo a sua estrutura tem de ser modificada para chegar a um resultado exato. O elemento atualmente não possui nenhum uso, por ser quase desconhecido.

Propriedades Químicas (extrapoladas)[editar | editar código-fonte]

Ainda não se conhecem compostos do Nihônio, pois o elemento foi obtido em quantidades muito pequenas e seu tempo de desintegração radioativa é curto demais para serem preparados seus compostos. Julgando por sua posição na tabela periódica, especula-se que suas propriedades sejam semelhantes às do tálio, elemento situado logo acima na tabela periódica. Por esse ângulo, supõe-se que o nihônio forme íons com NOX +1 e +3, semelhante ao Tl e, pelo efeito do par inerte, seu estado de oxidação +1 seja ainda mais estável que o do tálio. Especula-se que o Nh trivalente (Nh+3) seja um agente oxidante mais enérgico que Tl+3.

O principal estado de oxidação apresentado pelo elemento seria o +1, formando íons Nh+ que se comportariam de forma semelhante aos cátions de metais alcalinos tais como o potássio, um comportamento similar ao seu congênere mais leve, o tálio. Alguns compostos incluiriam o óxido Nh2O, o hidróxido NhOH, uma base forte e solúvel em água; os haletos pouco solúveis em água e sensíveis à luz NhCl, NhBr e NhI, além de outros sais como NhNO3, Nh2SO4, Nh2S, entre outros. O fluoreto NhF seria estável e solúvel em água.

Compostos de niônio com nox +3 (na forma do íon Nh+3) também seriam possíveis, mas seriam raros e poderosos agentes oxidantes. Alguns compostos de nihônio trivalentes incluiriam o trifluoreto NhF3 e o óxido Nh2O3, ambos pouco estáveis e muito oxidantes.

O iodeto NhI3 não seria um composto de Nh trivalente, e sim seria formado pelos íons Nh+ e tri-iodeto, I3-, assim como o TlI3.

O nihônio seria possivelmente o elemento mais pesado a formar sais muito solúveis em água, teoricamente podendo-se obter soluções de altas densidades.

Espera-se que o nihônio seja muito mais denso que o tálio, tendo uma densidade prevista de cerca de 16 a 18 g/cm3 , devido à estabilização e contração relativística de seus orbitais 7s e 7p1/2. Isto porque os cálculos estimam-no ter um raio atômico de aproximadamente 170 pm, o mesmo que o tálio, embora as tendências periódicas o preveriam ter um raio atômico maior do que aquele do tálio devido a ele ser um período mais abaixo na tabela periódica. Os pontos de fusão e de ebulição do nihônio não são definitivamente conhecidos, mas foram calculados em 430 °C e 1100 °C respectivamente, excedendo os valores de gálio, índio e tálio, seguindo tendências periódicas. O nihônio também é previsto para ser menos reativo que o tálio e o elemento mais eletronegativo de toda a família do boro (grupo 13 ou 3A).

Referências

  1. a b c d e f g h i Hoffman, Darleane C.; Lee, Diana M.; Pershina, Valeria (2006). «Transactinides and the future elements». In: Morss; Edelstein, Norman M.; Fuger, Jean. The Chemistry of the Actinide and Transactinide Elements 3rd ed. Dordrecht, The Netherlands: Springer Science+Business Media. ISBN 1-4020-3555-1 
  2. Chemical Data. Ununtrium - Uut, Royal Chemical Society
  3. Discovery and Assignment of Elements with Atomic Numbers 113, 115, 117 and 118 publicado pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (2015)
  4. G1, ed. (4 de janeiro de 2015). «Quatro novos elementos completam sétima fila da Tabela Periódica». Consultado em 5 de janeiro de 2015 
  5. «IUPAC is naming the four new elements nihonium, moscovium, tennessine, and oganesson - IUPAC | International Union of Pure and Applied Chemistry». IUPAC | International Union of Pure and Applied Chemistry (em inglês). 8 de junho de 2016. Consultado em 11 de junho de 2016 
  6. «Escolhidos os nomes dos novos elementos da tabela periódica». Revista Pesquisa FAPESP. Consultado em 11 de julho de 2016 
  7. Uut and Uup Add Their Atomic Mass to Periodic Table (em inglês)
  8. http://news.xinhuanet.com/english/2004-09/28/content_2034889.htm
  9. Morita et al , Experiment on the Synthesis of Element 113 in the Reaction 209Bi(70Zn, n)278113, J. Phys. Soc. Jpn., Vol. 73, No.10. Também comunicado à imprensa, em japonês

Ligações externas[editar | editar código-fonte]