Passeio Ernesto Nazareth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Passeio Ernesto Nazareth é um calçadão situado no bairro do Santo Cristo, na Zona Central da cidade do Rio de Janeiro. Com uma área de 6 mil m², localiza-se no quarteirão formado pelas avenidas Professor Pereira Reis e Cidade de Lima, pela Rua Cordeiro da Graça e pela Via Binário do Porto, onde antes era um terreno baldio.

O calçadão, que conta com plantas nativas da Mata Atlântica, foi inaugurado em 3 de dezembro de 2016. Seu projeto de arquitetura e paisagismo foi assinado pelo arquiteto Sérgio Santana. Futuramente, alguns objetos encontrados nas escavações da Zona Portuária do Rio de Janeiro serão expostos no local.[1][2]

No dia 9 de dezembro de 2017, o espaço público passou a contar com mobiliário urbano feito com plástico reciclado. O conjunto, composto por um banco com duas mesas, um lounge com mesinhas e cadeiras e uma cobertura, foi projetado por cerca de 20 estudantes de design, desenho industrial e arquitetura das seguintes universidades fluminenses: PUC-Rio, UERJ, UFF e UFRJ.[3]

A escolha do nome do passeio foi feita através de uma votação online, promovida pelo espaço multiuso Rua City Lab em parceria com o empreendimento Novocais do Porto, o escritório Arca Urbana/Impact Hub e a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (CDURP), onde o nome Passeio Ernesto Nazareth foi escolhido por 64,63% dos internautas.[4] Ernesto Nazareth, nascido em uma casa no Morro do Pinto no dia 20 de março de 1863, é considerado um dos grandes nomes do maxixe, sendo hoje um dos compositores brasileiros mais estudados, gravados e interpretados internacionalmente.[1] Os outros nomes finalistas da votação foram: Passeio do Cais, Parque Gentileza, Parque do Reencontro e Parque do Cais.[2]

Festival de Ativação Urbana[editar | editar código-fonte]

No dia 9 de dezembro de 2017, o Passeio Ernesto Nazareth recebeu a primeira edição do Festival de Ativação Urbana (FAU). O evento reuniu diversas atrações relacionadas à música, gastronomia, moda, artesanato, robótica e empreendedorismo. Também houve performances de artistas dos morros do Pinto e da Providência, como do grafiteiro Kaleb e do grupo de street dance Efeito Urbano. O festival foi realizado em parceria com o empreendimento Novocais do Porto, pertencente ao Grupo Odebrecht.[3]

Outras edições do Festival de Ativação Urbana ocorreram posteriormente no Passeio Ernesto Nazareth.[5] O objetivo do festival, segundo um dos idealizadores do FAU, é de atrair pessoas de diversas regiões do Rio de Janeiro para o calçadão, integrando-os também com os moradores do Santo Cristo.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Porcidonio, Gilberto (3 de dezembro de 2016). «Passeio Ernesto Nazareth é inaugurado em Santo Cristo». O Globo. Consultado em 6 de julho de 2019 
  2. a b «Novo parque será inaugurado sábado (3), no Santo Cristo». Veja. 1 de dezembro de 2016. Consultado em 26 de outubro de 2017 
  3. a b c Boere, Natália (8 de dezembro de 2017). «Bancos, lounges e coberturas idealizados por alunos de Design e Arquitetura são instalados em praça». O Globo. Consultado em 9 de dezembro de 2017 
  4. «Parque no Santo Cristo é batizado de Ernesto Nazareth». Rio Oportunidades de Negócios. 8 de dezembro de 2016. Consultado em 26 de outubro de 2017 
  5. «Festival de Ativação Urbana: roda de samba, festas e até ensaio de bloco». O Globo. 26 de janeiro de 2019. Consultado em 6 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]