Paulo Lutero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo Lutero
Paul Luther
Paulo Lutero, gravura contemporânea em madeira
Nascimento 28 de janeiro de 1533
Wittenberg
Morte 8 de agosto de 1593 (60 anos)
Leipzig
Parentesco Martinho Lutero
Catarina de Bora
Cônjuge Anna Warbeck
Filho(s) Paulo Lutero
Margarethe Gottsteig
Johannes Ernst Lutero
Johannes Friedrich Lutero
Anna, Freifrau Marschall von Bieberstein
Johannes Joachim Lutero
Ocupação Médico, médico químico e alquimista
Religião Luteranismo

Paulo Lutero (28 de janeiro de 1533 – 8 de Março de 1593) foi um médico alemão, químico e alquimista. Ele foi o terceiro filho do reformador protestante Martinho Lutero e foi, sucessivamente, o médico de João Frederico II, Duque da Saxônia; Joaquim II Heitor, Príncipe-Eleitor de Brandemburgo; Augusto I, Eleitor da Saxônia, e o seu sucessor, Cristiano I. Ele ensinou alquimia para Ana da Dinamarca.

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Nascido em Wittenberg, o terceiro filho de Martinho Lutero pelo seu casamento com Catarina de Bora, Lutero recebeu o nome de São Paulo o Apóstolo e provou uma criança tão enérgica que seu pai falou dele, "Ele está destinado a lutar contra os turcos". A educação do menino começou com o estudo do grego e do latim através de Filipe Melâncton e Veit Winsheim.[1]

Em 1546, quando Lutero tinha treze anos, seu pai morreu, deixando a família em circunstâncias financeiras difíceis. Com a eclosão da Guerra de Esmalcalda, eles fugiram para Magdeburg e em 1547 para Brunswick. Em julho, ao final da guerra, foi possível voltar a Wittenberg, embora em relativa pobreza. Aconselhado por Melâncton, Lutero frequentou a Universidade de Wittenberg para estudar medicina.

Em setembro de 1552, um surto de peste bubônica obrigou a família de Lutero a deixar sua casa mais uma vez. Eles fugiram para Torgau, viajando em um carro que capotou perto de portões da cidade, ferindo seriamente a mãe de Lutero. Ela morreu em 20 de dezembro de 1552. Enquanto estava em Torgau, em 5 de fevereiro de 1553, com vinte anos de idade, Lutero casou-se com Anna, filha do tradutor Veit Warbeck (c. 1490-1534).

Carreira[editar | editar código-fonte]

Quando voltou a Wittenburg, Lutero completou seus estudos médicos e em 29 de julho de 1557, obteve o grau de Doutor em Medicina.

Ele rejeitou uma proposta para lecionar na Universidade de Jena por causa de sua oposição à teologia de Victorin Strigel, um dos principais acadêmicos de lá. Na religião, Lutero foi um entusiasta luterano e com zelo defendeu os ensinamento do seu pai.

Lutero teve uma carreira como um médico. Ele se tornou o médico pessoal de João Frederico II, Duque da Saxônia, mantendo-se em Gota até a rendição da cidade em 13 de abril de 1567. Ele praticou na corte de Joaquim II Heitor, Príncipe-Eleitor de Brandemburgo até sua morte, em 3 de janeiro de 1571, e foi subsequentemente, o médico de Augusto I, Eleitor da Saxônia, e de seu sucessor, o Cristian I, em Dresden. Em 1590 ele se aposentou e passou a residir em Leipzig.

Lutero também se distinguiu como um químico e desenvolveu várias drogas, como Unguentum ex nitro, Magistrum perlarum, Magistrum collorum, e Aurum potabile, que foram produzidos pelas farmácias da Saxônia. Ele estava interessado em alquimia, cujo o objetivo final que era a produção de ouro, e tem sido proclamado como o instrutor mais importante da alquimista amadora Ana da Dinamarca.[2]

Lutero morreu em Leipzig, em 8 de Março de 1593. Sua oração fúnebre foi dada por seu amigo Matthias Dresser.[3]

Família[editar | editar código-fonte]

Mãe de Lutero Catarina de Bora, por Lucas Cranach, o Velho, 1526

Enquanto ainda estudante de medicina na Universidade de Wittenberg, Lutero casou-se com Anna Warbeck.[4] Eles foram casados por trinta e três anos, até a morte de Anna, em Dresden do dia 15 de Maio de 1586.[5] A partir deste casamento, teve seis filhos:

  • Paulo Lutero (1553-1558)
  • Margarethe Lutero (1555-1597), que se casou com Simon Gottsteig
  • Johannes Ernst Lutero (1560-1637), que se tornou canon de Zeitz. Por meio dele, a linhagem masculina da família de Lutero continuou até 1759.
  • Johannes Friedrich Lutero (1562-1599)
  • Anna Lutero (1564-1596), que se casou em Oberschaar Nicolaus Freiherr Marschall von Bieberstein
  • Johannes Joachim Lutero (1569-1600)

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Oratio de arte medica et cura tuendae valetudinis (publicado postumamente em Breslavia, 1598)[6]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. John G. Morris, Catharine de Bora, or Social and Domestic Scenes in the Home of Luther, p. 112
  2. Jan Apotheker, Livia Simon Sarkadi, European Women in Chemistry (2011), p. 35: "Dr. Paulo Lutero (1533-1593) um médico e alquimista, pode ter sido seu professor mais significativo."
  3. John Warwick Montgomery, In Defense of Martin Luther: Essays (Northwestern Publishing House, 1970), p. 104
  4. Henry Worsley, The life of Martin Luther, vol. 2 (1856), p. 419
  5. Martina Voigt, Ernst Schubert, Die Inschriften der Stadt Zeitz (2001), p. 198
  6. Journal of Medieval and Renaissance Studies, vols. 9-10 (Duke University Press, 1979), p. 34

Fontes primárias[editar | editar código-fonte]

  • Matthias Dresser, De vita et morte D. Pauli Lutheri medici (Leipzig, 1593)

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • 'Luther, Paul', in Allgemeine Deutsche Biographie, vol. 19 (Leipzig: Duncker & Humblot, 1884), pp. 692–694: online text from Wikisource (Alemão)
  • Christoph Werner: Paulus Luther. Sein Leben von ihm selbst aufgeschrieben; Wahrhaftiger Roman. Bertuch, Weimar 2015, ISBN 978-3-86397-051-2.