Populorum Progressio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Populorum Progressio
(latim: Desenvolvimento dos Povos)
Carta encíclica do papa Paulo VI
Paul 6 coa.svg
Christi Matri Cercle jaune 50%.svg Sacerdotalis Caelibatus
Data 26 de março de 1967
Assunto A necessidade de promover o desenvolvimento dos povos
Encíclica número 5 de 7 do pontífice
Texto em latim
em português

Populorum progressio ('Do Progresso dos povos')[1] é uma famosa encíclica escrita pelo Papa Paulo VI e publicada em 26 de março de 1967.

A encíclica é dedicada à cooperação entre os povos e ao problema dos países em desenvolvimento. O texto denuncia o agravamento do desequilíbrio entre países ricos e pobres, critica o neocolonialismo e afirma o direito de todos os povos ao bem-estar. Propõe a criação um grande Fundo mundial, sustentado por uma parte da verba das despesas militares, para vir em auxílio dos mais deserdados.

O texto critica tanto o "liberalismo sem freio" que conduziu ao "imperialismo internacional do dinheiro", como a "coletivização integral e a planificação arbitrária, que priva os homens da liberdade e dos direitos fundamentais da pessoa humana."

Populorum progressio é uma das encíclicas mais importantes da historia da Igreja Católica, ainda que tenha suscitado críticas ferozes nos meios mais conservadores, particularmente quando admite o direito dos povos à insurreição revolucionária, nos casos de tirania evidente e prolongada que ofendesse gravemente os direitos fundamentais da pessoa humana e prejudicasse o bem comum do país

Referências