PBS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Public Broadcasting Service)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Public Broadcasting Service
PBS text logo.png
Tipo Rede de televisão pública e comercial
País  Estados Unidos
Fundação 16 de maio de 1952 (67 anos)
por Hartford N. Gunn Jr.
Presidente Paula Kerger
Sede Condado de Arlington, Virgínia
Slogan Be more. (Seja Maís) primário
This is PBS. (Esta é a PBS) secundário
Formato de vídeo 1080i (HDTV)
Cobertura 99% do território nacional
Nome(s) anterior(es) National Educational Television (1952-1970)
Página oficial pbs.org

Public Broadcasting Service, mais conhecida como PBS, é uma rede de televisão americana de carácter educativo-cultural, sem publicidade, em contraponto às grandes redes comerciais que operam no país.

Antigamente ela se chamava NET (National Educational Television ou Televisão Nacional de Educação, em português), até que em 5 de outubro de 1970 mudou para o nome atual.

Possui em sua programação documentários, telejornais e programas educativos. A programação é ancorada de vários estados norte-americanos. Produz desde 1969 (como NET) a versão original do mundialmente famoso programa Sesame Street. A emissora também é famosa por colocar no ar seriados e filmes britânicos de emissoras como BBC (pública), ITV e Channel 4 (privadas), assim como produções originais.

Descrição[editar | editar código-fonte]

A PBS é uma organização sem fins lucrativos, constituída por mais de 350 emissoras, como organizações comunitárias, universidades, escolas ou autoridades estaduais ou locais, que possuem as ditas licenças educativas.[1] Funciona como uma rede distribuidora dos formatos que foram produzidos ou pedidos pelas emissoras afiliadas. A programação da PBS é composta por espaços educativos, informativos, documentais e de ficção. Os programas infantis são produzidos sobre a marca PBS Kids.

A PBS não conta com um centro de produção centralizado; todos os programas que emite são produzidos ou adquiridos pelas emissoras locais membros da rede. As emissoras mais importantes são a WGBH-TV de Boston, especializada em formatos educativos e infantis; a WETA-TV de Washington D.C., encarregada do telejornal PBS Newshour; WNET de Nova York, e WTTW de Chicago. De igual modo, há colaboração entre canais afiliados e inclusive com outras televisões, como a CNN International e a HBO.[2][3]

Na estrutura tradicional de uma televisão comercial, o canal afiliado têm horas livres para exibir conteúdo local e ceder os as franjas mais importantes da programação (o chamado horário nobre) à programação nacional. Por outro lado, os canais afiliados da PBS pagam para aceder ao conteúdo da rede, para além de se encarregar da exibição de espaços locais com os seus próprios meios, permitindo uma larga autonomia às emissoras afiliadas.[2] No entanto, também trás algumas limites sobre a transmissão, como o fuso horário de cada estado. A PBS dispõe de um código de práticas que, entre outras medidas, obriga a requer localizar as produções mais importantes em horário nobre e promovê-las com a marca nacional.[4]

Direção[editar | editar código-fonte]

O conselho de administração da PBS é formado por 27 membros: 14 eleitos pelas estações locais, 12 externos, eleitos pelas delegados das estações locais e um presidente nomeado pelo próprio conselho. Todos os membros servem durante três anos, não sendo remunerados.[5][6]

Programação[editar | editar código-fonte]

A programação da PBS apresenta uma gama diversificada de programas, incluindo programas artísticos (Great Performances); séries dramáticas (Masterpiece, Downton Abbey, American Family); música (Austin City Limits, Soundstage); jornalismo (Frontline, PBS NewsHour, Washington Week, Nightly Business Report); filmes independentes e documentários (POV, Independent Lens); e entrevistas (Amanpour & Company, Tavis Smiley, The Dick Cavett Show). Em 2012, a PBS começou a organizar grande parte de sua programação no horário nobre em torno de um cronograma baseado no género (por exemplo, as séries de drama abrangem a programação de domingo, enquanto os programas relacionados à ciência são apresentados às quartas-feiras).

Financiamento[editar | editar código-fonte]

A PBS é financiada através de contribuições da Corporation for Public Broadcasting (Corporação para a Radiodifusão Pública), através de taxas das emissoras afiliadas e com doações de telespetadores. Embora as contribuições federais sejam importantes para manter o serviço, a maior parte do dinheiro vem de doações privadas.[7] Por essa razão, a PBS possui um código de financiamento que estabelece limites antes de aceitar doações e que busca garantir sua independência do poder público e político.[8]

Os canais públicos costumam obter recursos por meio de captação de recursos, campanhas publicitárias, merchandising e teletons nos seus respectivos mercados. Às vezes, a programação usual é interrompida com blocos especiais nos quais o dinheiro é solicitado ao público. A PBS não pode anunciar, mas os patrocinadores são permitidos em alguns programas. A maioria dos espaços destaca a sua fonte de financiamento no início e no final de cada programa, sem a possibilidade de interrompê-lo. Para destacar o apoio do público, o slogan "Viewers Like You" (em português, "espetadores como você") é destacado.

Emissoras afiliadas[editar | editar código-fonte]

Segundo dados de março de 2015, a PBS tinha 354 estações afiliadas em todos os 50 estados dos Estados Unidos, no distrito de Colúmbia e em quatro territórios não incorporados : Guam, Ilhas Virgens, Porto Rico e Samoa Americana . Isso faz dela a rede de televisão com o maior número de acordos de afiliação no país. Estima-se que 94% dos americanos tenham acesso ao serviço, e mais de 80% da população já o viu pelo menos uma vez por ano.[9]

A PBS possui um sistema bastante descentralizado que a diferencia de outras emissoras públicas. Os canais afiliados à PBS são de propriedade de organizações sem fins lucrativos, universidades, emissoras comunitárias, autoridades estaduais ou locais. Portanto, o PBS não pode ter nenhum canal de propriedade. Em alguns estados o conjunto de televisões locais é organizado em torno de uma emissora regional, como no Alabama (Alabama Public Television) ou Oregon (Oregon Public Broadcasting), para que o grupo adquira o conteúdo e distribua-o de forma centralizada, exceto para desconexões regionais. No entanto, em outros estados, cada estação atua de forma autónoma.

Ao contrário do que acontece no modelo de transmissão regional, em que um mercado exclusivo é atribuído a cada estação, em alguns territórios - como Los Angeles - pode haver mais de um canal afiliado à PBS. Nesses casos, a organização distribui os percentuais de programação que cada canal pode distribuir, com uma estação designada como a primeira opção.

A maioria das estações da PBS produzem pelo menos um programa distribuído nacionalmente. A programação atual da rede nacional é produzida por um grupo menor de estações, incluindo:

Canais temáticos[editar | editar código-fonte]

Emissoras independentes[editar | editar código-fonte]

Embora não sejam operados ou controlados pela própria PBS, outras redes públicas de radiodifusão estão disponíveis e carregadas pelas estações-membro da PBS.

Logótipo Canal Descrição Fundação
Create TV network logo.svg Create Programação artistica, cultural e virada para o lifestyle.[10] 10 de janeiro de 2006 (13 anos)
World Canal educativo sobre ciência, notícias, e documentários.[11] 2007 (12 anos)
MHz Networks Programação étnica[12] 2001 (18 anos)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Network Profile: PBS». Station Index. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  2. a b Such, Marina (5 de janeiro de 2012). «Cómo funciona la televisión americana: el modelo de la PBS» (em espanhol). Consultado em 20 de junho de 2018 
  3. «Por qué 'Barrio Sésamo' se muda a HBO». El Mundo. 20 de agosto de 2015. Consultado em 20 de junho de 2018 
  4. «Check Local Listings». PBS Public Editor. Consultado em 20 de junho de 2018 
  5. PBS. «Board of Directors». Consultado em 27 de outubro de 2015 
  6. PBS. «Donald A. Baer Elected Chair of PBS Board of Directors». Consultado em 27 de outubro de 2015 
  7. «Trump proposes end to funding for NPR and PBS». The Independent (em inglês). 12 de fevereiro de 2018. Consultado em 29 de junho de 2018 
  8. «PBS Funding Standards | Producing for PBS | PBS About». PBS Funding Standards | Producing for PBS | PBS About. Consultado em 29 de junho de 2018 
  9. «Overview | About PBS». PBS.org (em inglês). Consultado em 17 de junho de 2018 
  10. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 
  11. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 
  12. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 
Ícone de esboço Este artigo sobre televisão nos Estados Unidos é um esboço relacionado ao projeto televisão. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.