Rudá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Rudá é o deus do amor na mitologia tupi-guarani.[1] Anjo Cupido responsável por flechar e amolecer o coração duro das índias guerreiras e prepará-las para o amor. Segundo as lendas, ele vive nas nuvens e sua função é despertar o amor. É equivalente ao deus Eros da mitologia grega e ao Cupido da mitologia romana. As índias cantam canções para o deus, em busca de maridos. É uma das três grandes divindades tupis, junto com Guaraci e Jaci. Rudá é responsável pela Lua cheia (Cairê) e pela Lua nova (Catiti).[2]

O personagem Macunaíma, do romance homônimo de Mário de Andrade, cita Rudá em uma passagem do livro:

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Figuras da Mitologia Ameríndia Tupi-Guarani: Rudá. «MITOLOGIAS». Consultado em 16 de julho de 2011. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2012  |wayb= e |arquivodata= redundantes (ajuda); |wayb= e |arquivourl= redundantes (ajuda)
  2. «A Religião dos Índios Brasileiros». Consultado em 28 de Julho de 2016 
  3. Andrade, Mário de (1986). Macunaíma. Belo Horizonte: [s.n.] 
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.