Tarzan Triumphant

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tarzan Triumphant
Tarzan, O Triunfante (PT)
Tarzan Triunfante (BR)
Autor(es) Edgar Rice Burroughs
País  Estados Unidos
Gênero Aventura
Série Tarzan
Ilustrador Studley Burroughs
Arte de capa Studley Burroughs
Editora Edgar Rice Burroughs, Inc.
Lançamento 1932
Edição portuguesa
Editora Portugal Press
Edição brasileira
Tradução Azevedo Amaral
Editora Companhia Editora Nacional
Lançamento 1937
Cronologia
Tarzan the Invincible
Tarzan and the City of Gold

Tarzan Triumphant (Tarzan Triunfante BRA ou Tarzan, O Triunfante PRT) é um romance de autoria do escritor norte-americano Edgar Rice Burroughs. Publicado em 1932, é o décimo-quinto de uma série de vinte e quatro livros sobre o personagem Tarzan.[1]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Há dois mil anos atrás, após a morte do apóstolo Paulo, um seu seguidor, Augustus, o Efésio, compra ou converte uma bela e jovem escrava de uma tribo bárbara. Em seguida, ambos desaparecem África adentro.

Nos dias atuais, o destino leva diversos forasteiros até a selva de Tarzan:

  • Lady Barbara Collis, aviadora, fica sem combustível e se perde nas Montanhas Ghenzi. Dentro de uma cratera vulcânica, ela se depara com os Midianitas, um povo descendente de Augustus que pratica uma paródia do Cristianismo. Eles são ignorantes, supersticiosos e adeptos de sacrifícios humanos.
  • Em um barco que navega pelo Oceano Atlântico, o geólogo Lafayette Smith fica amigo de Danny "Gunner" Patrick, um criminoso em fuga. Eles se juntam a um safári, porém Smith perde-se na mata.
  • Em Moscou, Josef Stalin encarrega Leon Stabuch de assassinar Tarzan, que frustrara o plano comunista de dominar o mundo.

Ao desembarcar na África, Stabuch fica apaixonado pela também comunista Dominic Capietro, desertora do exército italiano, que lidera um sanguinário bando de shiftas. Essa corja ataca tribos que pediram ajuda a Tarzan para livrar suas terras de tais indesejáveis intrusos.

  • Lord Passmore, um enigmático caçador inglês, é o último personagem da aventura que vai se desenrolar nos domínios do homem-macaco.[1]

História editorial[editar | editar código-fonte]

A obra foi escrita de 27 de fevereiro a 20 de maio de 1931, com o título de "Tarzan and the Raiders".[1]

Apareceu inicialmente na revista pulp Blue Book Magazine, em seis edições consecutivas, de outubro de 1931 a março de 1932, intitulada "The Triumph of Tarzan". Laurence Herndon desenhou as capas do primeiro e terceiro números, enquanto Frank Hoban se encarregou das ilustrações internas.[1]

A primeira edição em livro (capa dura) foi publicada pela Edgar Rice Burroughs, Inc., em 1 de setembro de 1932, data em que Burroughs completava cinquenta e sete anos de idade. Studley Burroughs, seu sobrinho, é o autor da sobrecapa, do frontispício e de quatro ilustrações internas.[1]

No Brasil, o romance saiu primeiramente pela Companhia Editora Nacional em 1937, com tiragem de doze mil exemplares, dentro da apreciada coleção Terramarear, onde recebeu o número 53. Quatro outras reimpressões foram lançadas no mercado, entre 1947 e 1959, com tiragens de dez mil unidades cada, com exceção da última, com cinco mil.[2]

Em 1959, a CODIL - Cia. Distribuidora de Livros lançou um pacote com doze aventuras de Tarzan, ilustradas por Manoel Victor Filho. Tarzan Triumphs era uma delas, com o título levemente alterado para Tarzan, O Triunfante.[2]

Ainda no Brasil, a Editora Record publicou a história em 1971, com tradução de Paulo Nasser e capa de Burne Hogarth, juntamente com sete outras. A tiragem foi de cinco mil exemplares.[2]

Em Portugal, o romance foi editado pela Portugal Press, de Lisboa, que publicou todas as vinte e quatro obras que Burroughs escreveu sobre o rei da jângal.[2]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

A primeira quadrinização foi na forma de tiras diárias, como era costumeiro. Com o título de "Tarzan and the Fire Gods", ilustrações de Rex Maxon e roteiro de Don Garden, as tiras saíram nos jornais no período de 25 de fevereiro a 1 de setembro de 1935.[1]

A Gold Key lançou a versão para quadrinhos nas edições de junho e julho de 1969 de "Tarzan of the Apes". Doug Wildey ilustrou e Gaylord Du Bois escreveu o roteiro.[1]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Apesar do título, o filme Tarzan Triumphs, produção de 1943 da RKO, não é baseado neste livro.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h GRIFFIN, Scott Tracy (2012). Tarzan: The Centennial Celebration. [S.l.]: Titan Books. 320 páginas. ISBN 9781781161692 
  2. a b c d da Silva, Diamantino; Losso, Umberto (1986). «Tarzan, O Mito da Liberdade». São Paulo: edição de autor. Mocinhos & Bandidos Especial 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]