Tarzan and the Madman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tarzan and the Madman
Tarzan e o Louco (PT)
Autor(es) Edgar Rice Burroughs
País  Estados Unidos
Gênero Aventura
Série Tarzan
Ilustrador Reed Crandall
Arte de capa Reed Crandall
Editora Canaveral Press
Lançamento 1964
Edição portuguesa
Tradução Raúl Correia
Editora Portugal Press
Lançamento 1975
Formato 19 cm
Edição brasileira
Editora -
Cronologia
Tarzan and the Foreign Legion
Tarzan and the Castaways

Tarzan and the Madman (Tarzan e o LoucoPOR ) é um romance de autoria do escritor norte-americano Edgar Rice Burroughs. Publicado em 1964, é o vigésimo-terceiro de uma série de vinte e quatro livros sobre o personagem Tarzan.

Rejeitada pelas seis revistas para as quais foi oferecida à época de sua composição,[1] a narrativa é a primeira das duas obras sobre Tarzan publicadas postumamente. A outra é Tarzan and the Castaways.

O livro permanece inédito no Brasil.

Resumo[editar | editar código-fonte]

Ao investigar um safári que abriga um antigo inimigo, Tarzan descobre que outra pessoa que se faz passar por ele vem aprisionando mulheres e crianças. Seu último crime foi raptar Sandra Pickerall, filha de um rico escocês que oferece fornida recompensa pela cabeça do sequestrador.

Tarzan tenta limpar seu nome, mas é sabotado por dois elementos do safári, Tom Crump e Ivan Minsky, caçadores de marfim que desejam matá-lo e ficar com a recompensa. Além disso, eles estão excitados pelos rumores sobre a existência de uma mina de ouro nas cercanias.

As pegadas do impostor levam o homem-macaco até Alemtejo, um perdido posto avançado habitado por descendentes de uma expedição portuguesa do século XV. Enquanto o[rei e o alto sacerdote desse povo esquecido decidem o destino de Sandra Pickerall, os guerreiros de uma tribo rival preparam-se para atacar.

O homem que acredita ser Tarzan ou o próprio Deus precisa resolver o mistério de sua verdadeira identidade, antes que o implacável senhor dos macacos lhe aplique a justiça da selva.[1]

História editorial[editar | editar código-fonte]

O romance foi ditado para um dictaphone, a partir de um esboço manuscrito de cinquenta páginas, de 16 de janeiro a 22 de março de 1940.[1]

A primeira edição em livro (capa dura) foi publicada pela Canaveral Press em 9 de junho de 1964, com sobrecapa e oito ilustrações internas de autoria de Reed Crandall.[1]

Em fevereiro de 1965, a editora Ballantine publicou a primeira edição em brochura, a preços populares.

O livro saiu em Portugal pela lisboeta Portugal Press, que lançou toda a obra sobre Tarzan naquele país.[2]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e GRIFFIN, Scott Tracy (2012). Tarzan: The Centennial Celebration. [S.l.]: Titan Books. 320 páginas. ISBN 9781781161692 
  2. da Silva, Diamantino; Losso, Umberto (1986). «Tarzan, O Mito da Liberdade». São Paulo: edição de autor. Mocinhos & Bandidos Especial 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]