Tarzan e a Cidade de Ouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tarzan and the City of Gold
Tarzan e a Cidade de Ouro
Autor(es) Edgar Rice Burroughs
País  Estados Unidos
Gênero Aventura
Série Tarzan
Ilustrador J. Allen St. John
Arte de capa J. Allen St. John
Editora Edgar Rice Burroughs, Inc.
Lançamento 1933
Edição portuguesa
Editora Portugal Press
Edição brasileira
Tradução Azevedo Amaral
Editora Companhia Editora Nacional
Lançamento 1940
Páginas 216
Cronologia
Tarzan Triumphant
Tarzan and the Lion Man

Tarzan e a Cidade de Ouro (Tarzan and the City of Gold no original em inglês) é um romance de autoria do escritor norte-americano Edgar Rice Burroughs. Publicado em 1933, é o décimo-sexto de uma série de vinte e quatro livros sobre o personagem Tarzan. [1]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Enquanto perambula pela Abissínia, Tarzan livra um guerreiro das garras de um bando de shiftas. Ohomem é Valthor, das fileiras de Athne, a Cidade de Marfim. Os dois se dirigem para lá, mas primeiro têm de passar por Cathne, a Cidade de Ouro, inimiga de Athne. Enquanto Athne cria elefantes para a guerra, Cathne cria leões.

O senhor das selvas é capturado e aprisionado junto com Phobeg, o homem mais poderoso de Cathne, caído em desgraça por "pisar na cauda de deus". Ao ser interrogado, conhece a Rainha Nemone, bela e temperamental, cujo comportamento sinaliza loucura. Nemone é acompanhada por Belthar, um enorme e raivoso leão, o que a transforma numa adversária mortal.

Nemone se apaixona por Tarzan, que fica fascinado por ela. Logo, Tarzan trava amizade com seu próprio guarda, um nobre cathniano, e ganha o respeito dos guerreiros e cidadãos da cidade.

Contudo, outros nobres temem que Nemone os substitua pelo homem-macaco e passam a tramar a queda dele. Cabe a Tarzan, então, desmantelar a intriga palaciana e conquistar sua liberdade.[1]

História editorial[editar | editar código-fonte]

O livro foi escrito entre 1 de novembro de 1931 e 7 de janeiro de 1932.[1]

Publicado primeiramente na revista pulp Argosy, em seis edições consecutivas, de 12 de março a 16 de abril de 1932, com ilustração da capa assinada por Paul Stahr e uma ilustração interna em cada número desenhada por Samuel Cahan.[1]

A Edgar Rice Burroughs, Inc. publicou a primeira edição em livro (capa dura), em 1 de setembro de 1933, data em que o escritor completava cinquenta e oito anos de idade. A sobrecapa, o frontispício, e as cinco ilustrações internas são de autoria de J. Allen St. John.[1]

O romance foi lançado no Brasil pela Companhia Editora Nacional, em 1940, sob o número 67 da lendária coleção Terramarear, com tiragem de cinco mil exemplares. Entre 1948 e 1956, foram colocadas no mercado outras quatro edições de dez mil unidade cada.[2]

Em 1971, a Distribuidora Record lançou a obra, com o título levemente modificado para Tarzan e a Cidade do Ouro e tradução de Ruy Jungmann. Assim como as outras sete aventuras do herói publicadas por aquela editora, o desenho da capa é de Burne Hogarth.[2]

Em Portugal, o livro saiu pela lisboeta Portugal Press.[2]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

A primeira quadrinização foi na forma de tiras diárias, ilustradas por Rex Maxon e roteirizadas por R. W. Palmer, foi publicada nos jornais de 26 de março a 15 de setembro de 1934.[1]

A primeira adaptação para revista em quadrinhos saiu pela Gold Key nas edições de agosto e setembro de 1969 de "Tarzan of the Apes", ilustrada por Doug Wildey e escrita por Gaylord Du Bois.[1]

As cidades de Athne e Cathne apareceram em diversas histórias ilustradas por Jesse Marsh para a Dell Comics.[1]

Televisão[editar | editar código-fonte]

O romance foi adaptado para o primeiro episódio da telessérie animada Tarzan, Lord of the Jungle, levada ao ar por quatro temporadas, entre 1976 e 1978.[1]

Outras[editar | editar código-fonte]

  • A editora Whitman Publishing, subsidiária da Western Publishing, publicou uma versão da narrativa especial para crianças.[1]

Continuação[editar | editar código-fonte]

Ao entregar à revista Argosy a primeira metade do manuscrito da obra, Burroughs deu a entender que escreveria uma continuação, com o título de Tarzan and the City of Ivory.[1] Essa continuação nunca se concretizou, porém as cidades de Athne e Cathne foram palco de novas aventuras de Tarzan em Tarzan the Magnificent, publicado em livro em 1939.

Referências

  1. a b c d e f g h i j k GRIFFIN, Scott Tracy (2012). Tarzan: The Centennial Celebration. [S.l.]: Titan Books. 320 páginas. ISBN 9781781161692 
  2. a b c da Silva, Diamantino; Losso, Umberto (1986). «Tarzan, O Mito da Liberdade». São Paulo: edição de autor. Mocinhos & Bandidos Especial 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]