Tarzan the Untamed

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tarzan the Untamed
Tarzan, O Indomável (PT)
Tarzan, O Destemido (BR)
Capa da primeira edição em livro. Arte de J. Allen St. John
Autor(es) Edgar Rice Burroughs
País  Estados Unidos
Género Aventura
Série Tarzan
Ilustrador J. Allen St. John
Arte de capa J. Allen St. John
Editora A.C. McClurg
Lançamento 1920
Edição portuguesa
Tradução Raúl Correia
Editora Portugal Press
Lançamento 1972
Formato 19 cm
Páginas 340
Edição brasileira
Tradução Basílio de Magalhães
Editora Companhia Editora Nacional
Lançamento 1935
Cronologia
Jungle Tales of Tarzan
Tarzan the Terrible

Tarzan the Untamed (Tarzan, O Destemido (título no Brasil) ou Tarzan, O Indomável (título em Portugal)) é um romance de autoria do escritor norte-americano Edgar Rice Burroughs. Publicado em 1920, é o sétimo de uma série de vinte e quatro livros sobre o personagem Tarzan e o mais longo de todos, com cento e dez mil palavras na edição original em Inglês.[1]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O alvorecer da Primeira Guerra Mundial encontra Tarzan retornando para casa, na África Oriental. Ao chegar, encontra a propriedade destruída, os guerreiros Waziri trucidados e um corpo queimado que, por um anel de casamento, ele identifica como sendo de Jane.

Consumido pela dor e pela fúria, o rei das selvas jura vingança e inicia uma campanha de guerrilha contra o exército alemão. Ajudado pelo faminto Numa, o leão, ele persegue e mata os responsáveis pela morte sua amada.

Em suas andanças, Tarzan tropeça em Bertha Kircher, uma bela espiã inimiga, a quem ele salva de vários perigos.

Quando os britânicos recuperam aquela vasta região, o homem-macaco se dirige ao outro lado da África, a África banhada pelo Atlântico, onde nasceu e foi criado. No caminho, descobre que seus serviços são necessários na cidade perdida de Xuja, governada por fanáticos embrutecidos que aprisionaram Bertha e um oficial britânico.[1]

História editorial[editar | editar código-fonte]

A novela Tarzan and the Huns foi escrita entre 9 de agosto de 1918 e 24 de janeiro de 1919. Tarzan and the Valley of Luna, de 7 de agosto a 10 de setembro de 1919.[1]

Tarzan and the Huns foi publicada pela revista pulp Red Book Magazine em seis números sucessivos, de março a agosto de 1919, com vinte e cinco ilustrações de Charles Livingston Bull.[1]

Tarzan and the Valley of Luna, por sua vez, apareceu em cinco edições da também revista pulp All-Story Weekly, de 20 de março a 17 de abril de 1920. A capa do primeiro número foi desenhada por P. J. Monahan.[1]

A primeira edição em livro foi publicada pela editora A.C. McClurg em 30 de abril de 1920, combinando as duas novelas. J. Allen St. John é o autor fc capa e das nove ilustrações em tom sépia.[1]

No Brasil, a narrativa foi lançada em 1935 pela Companhia Editora Nacional, com uma tiragem de quinze mil exemplares, em dois volumes. Sete outras edições seguiram-se, entre 1946 e 1968, com tiragens de cinco mil exemplares, exceto a sexta, com dez mil. Também a partir da sexta edição, o romance passou a ser editado em apenas um volume. A obra, como todas as outras do herói, faz parte da renomada coleção Terramarear, sob o número 34.[2]

Outra editora brasileira, CODIL - Cia. Distribuidora de Livros, publicou uma edição luxuosa em 1959, ilustrada por Manoel Victor Filho, com título idêntico ao utilizado pela Companhia Editora Nacional -- Tarzan, O Destemido.[2]

Em Portugal, o livro saiu pela Portugal Press, de Lisboa, assim como todos os outros vinte e três sobre o homem macaco.[2]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

A primeira quadrinização foi publicada como tiras diárias entre 20 de junho de 1932 e 25 de março de 1933, ilustrada por Rex Maxon e escrita por R. W. Palmer. Com quarenta semanas, é a mais longa deste formato, entre todas as outras baseadas nas aventuras de Tarzan.[1] Os vilões, originalmente alemães, foram substituídos por comunistas, os novos inimigos.[1]

A Gold Key publicou a primeira versão em revistas em quadrinhos, nos números 163 e 164 de "Tarzan of the Apes", em janeiro e fevereiro de 1967, com ilustrações de Russ Manning e roteiro de Gaylord Du Bois.[1]

No Brasil, essa adaptação foi lançada pela EBAL em fins da década de 1960, na coleção Lança de Prata, e reimpressa em dois números de "Tarzan", em 1986.[3][4]

De junho a dezembro de 1976, a DC Comics publicou sua adaptação, que contou com o concurso de vários ilustradores e roteiristas. Joe Kubert foi um dos artistas que trabalharam nas capas.[1]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Apesar do livro nunca ter recebido uma versão cinematográfica, no filme Tarzan Triumphs (1943), Tarzan aparece lutando contra alemães nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.[5]


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f g h i j GRIFFIN, Scott Tracy, Tarzan: The Centennial Celebration, Londres: Titan Books, 2012, ISBN 9781781161692 (em inglês)
  2. a b c SILVA, Diamantino da e LOSSO, Umberto, Tarzan, O Mito da Liberdade, edição especial de Mocinhos & Bandidos, São Paulo, 1986
  3. MANNING, Russ (ilustrador), Tarzan, O Destemido, in Tarzan no. 17 (12a. série), Rio de Janeiro: EBAL, junho de 1986
  4. MANNING, Russ (ilustrador), Os Leões de Xuja, in Tarzan no. 18 (12a. série), Rio de Janeiro: EBAL, julho de 1986
  5. Global Perspectives on Tarzan: From King of the Jungle to International Icon. [S.l.]: Routledge. 2012. pp. 31 a 33. 9781136447914 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]