Tarzan and the Ant Men

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tarzan and the Ant Men
Tarzan e os Homens Formiga (PT)
Tarzan e os Homens-Formigas (BR)
Autor(es) Edgar Rice Burroughs
País  Estados Unidos
Género Aventura
Série Tarzan
Ilustrador J. Allen St. John
Arte de capa J. Allen St. John
Editora A.C. McClurg
Lançamento 1924
Edição portuguesa
Editora Portugal Press
Edição brasileira
Tradução Paulo de Freitas
Editora Companhia Editora Nacional
Lançamento 1935
Cronologia
Tarzan and the Golden Lion
Tarzan, Lord of the Jungle

Tarzan and the Ant Men (Tarzan e os Homens-Formigas (título no Brasil) ou Tarzan e os Homens Formiga (título em Portugal)) é um romance de autoria do escritor norte-americano Edgar Rice Burroughs. Publicado em 1924, é o décimo de uma série de vinte e quatro livros sobre o personagem Tarzan.[1]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Para seu primeiro voo solo, Tarzan decide sobrevoar a Grande Floresta de Espinhos e conhecer sua terra misteriosa. Contudo, o avião cai e Tarzan, inconsciente, é capturado por uma enorme e primitiva mulher das cavernas, que o leva para ser seu marido.

O homem-macaco consegue se libertar e fica atônito quando descobre uma raça guerreira composta por "homens-formigas", de menos de cinquenta centímetros de altura. Eles cavalgam minúsculos antílopes e moram em colmeias extensas, como formigueiros gigantescos. Tarzan fica amigo da tribo dos Trohanadalmakus, que fazem guerra a seus rivais, os Veltopismakus.

Tarzan acaba prisioneiro dos Veltopismakus, cuja estranha ciência o reduz ao tamanho de um homem formiga. Nessa condição, o senhor da selva é levado para trabalhar numa pedreira, onde encontra alguns companheiros da tribo amiga. O herói precisa cavar sua liberdade antes de voltar ao tamanho normal e morrer soterrado nas catacumbas sob a cidade dos Veltopismakus.

Enquanto isso, Esteban Miranda,o criminoso sósia de Tarzan, é aprisionado pelo canibal Obebe. Ele traz consigo um punhado de diamantes que roubou do homem macaco -- e planeja fugir, o que causará novos problemas a Jane e Korak.[1]

História editorial[editar | editar código-fonte]

A narrativa foi escrita de 20 de junho a 22 de novembro de 1923.[1]

Apareceu inicialmente em sete números da revista pulp Argosy All-Story Weekly, de 22 de fevereiro a 15 de março de 1924, com capa do primeiro número assinada por Stockton Mulford e decorações no alto das páginas de cada edição por Roger B. Morrison.[1]

Em 30 de setembro de 1924, saiu a primeira edição em livro pela A.C. McClurg, com ilustração de capa e contracapa de autoria de J. Allen St. John.[1]

No Brasil, a obra foi publicada primeiramente pela Companhia Editora Nacional em 1935, dentro da destacada coleção Terramarear, onde recebeu o número 38, com uma tiragem de dezessete mil exemplares. Quatro outras edições se seguiram, entre 1947 e 1958, com tiragens de dez mil unidades, exceto a quarta, que teve cinco mil e foi publicada em dois volumes. A tradução ficou a cargo de Paulo de Freitas.[2]

Em 1971, com o título de Tarzan e os Homens-Formiga, foi a vez da Editora Record publicar o romance no Brasil, com tradução de Ruy Jungmann e capa de Burne Hogarth. Ao todo, a editora lançou oito narrativas de Tarzan.[2]

Em Portugal, o livro foi lançado pela Portugal Press, de Lisboa.[2]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

A primeira quadrinização foi na forma de tiras diárias, ilustradas por Rex Maxon, publicadas nos periódicos de 25 de janeiro a 18 de junho de 1932, com roteiro de R. W. Palmer.[1]

A primeira adaptação para revistas em quadrinhos, bastante reduzida, foi lançada pela Gold Key Comics (selo da Western Publishing) no início de 1968. As ilustrações são de Russ Manning e o roteiro, de Gaylord Du Bois.[1]

Essa versão ilustrada pelo respeitado Russ Manning foi editada no Brasil pela EBAL, ainda no final da década de 1960, e reeditada na revista "Tarzan", em 1986.[3]

Manning estreou nas páginas de domingo dos jornais com outra adaptação do romance, publicada entre 14 de janeiro e 16 de junho de 1968. Tanto as ilustrações quanto o roteiro são de sua autoria.[1]

Em "Tarzan Annual #3", de 1979, a Marvel Comics apresentou a história Ant Men and She-Devils, roteirizada por Bill Mantlo e ilustrada por Sal Buscema, Richard Villamonte e Joe Sinnott.[1]


Em 1945, a Withman, selo da Western Publishing publicou uma adaptação para a série de livros ilustrados Better Little Books, com capa de John Coleman Burroughs, filho do escritor.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f g h i GRIFFIN, Scott Tracy, Tarzan: The Centennial Celebration, Londres: Titan Books, 2012, ISBN 9781781161692 (em inglês)
  2. a b c SILVA, Diamantino da e LOSSO, Umberto, Tarzan, O Mito da Liberdade, edição especial de Mocinhos & Bandidos, São Paulo, 1986
  3. MANNING, Russ (ilustrador), Tarzan e os Homens-Formiga e O Gigante Reduzido a Pigmeu, in Tarzan no. 21 (12a. série), Rio de Janeiro: EBAL, outubro de 1986
  4. Robert B. Zeuschner (1997). Edgar Rice Burroughs: The Exhaustive Scholar's and Collector's Descriptive Bibliography of American Periodical, Hardcover, Paperback, and Reprint Editions. [S.l.]: McFarland. 230 páginas. ISBN 9780786401833 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Fanzim, Edição de Natal, editado por Anibal Barros Cassal, Porto Alegre, 1993