The Return of Tarzan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Return of Tarzan
O Regresso de Tarzan (PT)
A Volta de Tarzan (BR)
Autor(es) Edgar Rice Burroughs
País  Estados Unidos
Género Aventura
Série Tarzan
Ilustrador J. Allen St. John
Arte de capa N. C. Wyeth
Editora A.C. McClurg
Lançamento 1915
Edição portuguesa
Tradução Raúl Correia
Editora Portugal Press
Lançamento 1972
Formato 19 cm
Páginas 344
Edição brasileira
Tradução Murilla Torres
Editora Companhia Editora Nacional
Lançamento 1933
Cronologia
Tarzan of the Apes
The Beasts of Tarzan

The Return of Tarzan (A Volta de Tarzan (título no Brasil) ou O Regresso de Tarzan (título em Portugal)) é um romance de autoria do escritor norte-americano Edgar Rice Burroughs. Publicado em 1915, é o segundo de uma série de vinte e quatro livros sobre o personagem Tarzan.

Resumo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Após renunciar ao título de Greystoke em Londres, um triste Tarzan retorna a Paris. Seu amigo Paul D'Arnot, convencido de que o herói não vai conseguir assimilar as leis e regras dos homens, arranja para ele um emprego no serviço secreto francês.

Em missão na Argélia, Tarzan desbarata uma rede de espiões russos e faz amizade com uma tribo de beduínos. Mas trava conhecimento, também, com Nicholas Rokoff, um feroz inimigo. Rokoff acaba por atirá-lo ao mar, na mesma costa ocidental da África onde fora criado.

O homem macaco, então, junta-se à tribo Waziri em uma viagem à procura da cidade perdida de Opar, onde são capturados pelos seus habitantes, brutamontes semelhantes a feras. A Grã-Sacerdotisa de Opar, no entanto, é uma beldade cruel e lasciva chamada La, que se apaixona por ele e, em decorrência disso, recusa-se a entregá-lo em sacrifício ao deus sol.

Tarzan consegue fugir, mas o que ele não sabe é que sua adorada Jane, seu primo -- e noivo de Jane -- William Cecil Clayton, e o arqui-inimigo Nicholas Rokoff -- disfarçado como o gentil Monsieur Thuran -- também naufragaram na costa africana. Jane e William deixam um doente Rokoff numa palhoça e partem à procura de ajuda. Contudo, voltam a correr perigo, pois são caçados pelos selvagens de Opar, que procuram novas vítimas para seus rituais pagãos.[1]

História editorial[editar | editar código-fonte]

Escrita de dezembro de 1912 a 8 de janeiro de 1913, com o título de Monsieur Tarzan, a obra foi submetida à revista pulp norte-americana New Story como The Ape Man e publicada por esta em sete números, entre junho e dezembro de 1913, já com o título definitivo.[1]

A primeira edição em livro saiu em 10 de março de 1915, pela editora A.C. McClurg.[1]

No Brasil, o romance foi lançado pela Companhia Editora Nacional em 1933, como o número 7 da afamada coleção Terramarear, com quinze mil exemplares.[2] Houve reedições em 1946, 1948, 1954, 1956, 1959 e 1968, em quantidades que variaram entre quinze mil, dez mil e cinco mil exemplares.[2]

Ainda no Brasil, romance saiu em 1959 pela CODIL - Companhia Distribuidora de Livros, dentro de um lote de doze volumes com as aventuras do homem macaco. O artista Manoel Victor Filho ilustrou a edição.[2]

Em Portugal, o romance foi editado pela Portugal Press, de Lisboa, assim como todos os outros da série.[2]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

A primeira quadrinização foi na forma de tiras diárias, entre 3 de junho e 17 de agosto de 1929, com desenhos de Rex Maxon e roteiro de R. W. Palmer.[1]

A primeira edição para revistas em quadrinhos é de autoria do ilustrador Russ Manning e do roteirista Gaylord Du Bois, tendo sido publicada nos Estados Unidos pela Gold Key (selo da Western Publishing) em fevereiro de 1966. A adaptação, bastante condensada, omite as aventuras na Europa e tem início com Tarzan já na costa africana.[1] No Brasil, a história foi publicada pela EBAL em 1968, na coleção Lança de Prata, e reeditada em 1986 na revista Tarzan.[3]

Entre abril e setembro de 1973, a DC Comics publicou sua adaptação, ilustrada e roteirizada por Joe Kubert.[1] No Brasil, a EBAL editou a história no ano seguinte,[4] enquanto a Devir relançou-a em março de 2011, com o título alterado para A Volta do Rei das Selvas.[5] Mais fiel ao original, a aventura começa em Paris.

Outras[editar | editar código-fonte]

Em 1936, a Withman, selo da Western Publishing publicou uma adaptação para a série de livros ilustrados Big Little Books com desenhos de Rex Maxon.[6]

Cinema e TV[editar | editar código-fonte]

Cartaz promocional do filme The Revenge of Tarzan quando o título ainda era o mais apropriado The Return of Tarzan. A mudança ocorreu por motivos puramente comerciais.[7]

O romance foi vagamente adaptado para o cinema em The Revenge of Tarzan, de 1920, estrelado por Gene Pollar e Karla Schramm. Segundo os produtores, o novo título, decidido às portas da estreia, "é mais forte. É mais dramático. É como um soco".[7]

O enredo do livro foi utilizado, em parte, no seriado em quinze episódios The Adventures of Tarzan, de 1921, com Elmo Lincoln e Louise Lorraine. O roteiro era composto ainda por elementos de Tarzan and the Jewels of Opar e "muita invenção".[7] Lincoln tornou-se o primeiro Tarzan do cinema ao estrelar Tarzan of the Apes e The Romance of Tarzan, ambos em 1918.

O livro também teve serventia esporádica para o roteiro de Tarzan's Return, o piloto da telessérie Tarzan: The Epic Adventures, produzida entre 1996 e 1997.[1] Estrelada por Joe Lara e sem Jane, a série teve vinte e dois episódios em sua temporada única.

Referências

  1. a b c d e f g GRIFFIN, Scott Tracy, Tarzan: The Centennial Celebration, Londres: Titan Books, 2012, ISBN 9781781161692 (em inglês)
  2. a b c d SILVA, Diamantino da e LOSSO, Umberto, Tarzan, O Mito da Liberdade, in Mocinhos & Bandidos Especial, São Paulo, 1986
  3. MANNING, Russ, A Volta de Tarzan, in Tarzan no. 14 (12a. série), Rio de Janeiro: EBAL, 1986
  4. KUBERT, Joe, A Volta de Tarzan, Rio de Janeiro: EBAL, 1974
  5. KUBERT, Joe, Tarzan -- A Volta do Rei das Selvas e Outras Histórias, tradução de Marquito Maia, São Paulo: Devir, 2011, ISBN 9788575324684
  6. Lawrence F. Lowery (2007). The Golden Age of Big Little Books. [S.l.]: Educational Research and Applications LLC. 229 páginas. ISBN 9780976272489 
  7. a b c ESSOE, Gabe, Tarzan of the Movies, sexta impressão, Secaucus, EUA: The Citadel Press, 1968, ISBN 0-8065-0295-9 (em inglês)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Fanzim, Edição de Natal, editado por Anibal Barros Cassal, Porto Alegre, 1993

Ligações externas[editar | editar código-fonte]