Viviane Mosé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Viviane Mosé
Viviane Mosé num dos programas do Café Filosófico
Nascimento 16 de janeiro de 1964 (56 anos)
Nacionalidade brasileira
Ocupação Poetisa, filósofa, psicóloga e psicanalista
Página oficial
http://www.usinapensamento.com.br/

Viviane Mosé (Vitória, 16 de janeiro de 1964) é uma poetisa, filósofa, psicóloga, psicanalista e especialista em elaboração e implementação de políticas públicas. Mestre e doutora em filosofia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Publicou sua tese de doutorado Nietzsche e a grande política da linguagem em 2005 pela editora Civilização Brasileira.

Escreveu e apresentou, em 2005 e 2006, o quadro Ser ou não ser, no Fantástico, onde trazia temas de filosofia para uma linguagem cotidiana.[1] Participou como comentarista do programa Liberdade de Expressão, na Rádio CBN, com Carlos Heitor Cony e Artur Xexéo. Tem diversos livros de poesia, filosofia e psicanálise publicados. [2] Hoje é sócia e diretora de conteúdo da Usina Pensamento, além de ser colaboradora fixa do programa Encontro com Fátima Bernardes..

Viviane Mosé realiza palestras sobre educação, cultura, sociedade, sempre tendo em vista os desafios do contemporâneo. Com grande capacidade analítica, faz diagnósticos, analisa cenários e propõe formatos sobre temas como educação, filosofia, psicologia, gestão empresarial, gestão pública, governança, ética, cultura, sustentabilidade, diversidade e recursos humanos. Falando de improviso, articula seu vasto conteúdo com a vida diária, ilustrada com exemplos simples e divertidos, mas sempre muito precisos e pertinentes.

Obras[editar | editar código-fonte]

Poesia

  • Calor, (2017);
  • Frio, (2017);
  • Toda Palavra, (2008);
  • Pensamento chão, (2007);
  • Desato, (2006);
  • Receita para lavar palavra suja, (2004);
  • Escritos, (1990);
  • Imagem Escrita, (1999);
  • 7 + 1, Francisco Alves (1997).

Filosofia e Psicanálise

  • Nietzsche hoje. (2018);
  • A Escola e Os Desafios Contemporâneos, (2013);
  • O Homem que Sabe, (2011);
  • Nietzsche e a grande política da linguagem, (2005);
  • Beleza, feiura e psicanálise, (2004);
  • Stela do Patrocínio - Reino dos bichos e dos animais é o meu nome, (2002);
  • Assim Falou Nietzsche, (1999).

Política

  • Política – Nós também sabemos fazer, (2018);

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Fantástico.Globo - Ser ou não ser? É possível viver sem arte?
  2. Filosofia.Uol Arquivado em 31 de outubro de 2012, no Wayback Machine. - "Minha meta é a educação."

Ligações externas[editar | editar código-fonte]