Walter Scott

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde Junho de 2014).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Walter Scott
Retrato de sir Walter Scott de 1822, pintado por sir Henry Raeburn.
Nascimento 15 de agosto de 1771
Edimburgo, Escócia
Morte 21 de setembro de 1832 (61 anos)
Influenciados
Magnum opus Ivanhoe

Sir Walter Scott, PRSE (Edimburgo, 15 de agosto de 177121 de setembro de 1832) foi o criador do verdadeiro romance histórico. É certo que, pouco antes dele, alguns autores, entre os quais avultou Maria Edgeworth com o seu curioso «Castelo de Rackrent», tinham procurado dar uma feição definitiva a essa modalidade literária, mas o público e a crítica não compreenderam a intenção.

Walter Scott nasceu em Edimburgo e era filho de um advogado. Seu pai destinou-lhe a carreira de Direito, mas ele depressa a trocou pelos entusiasmos da literatura e pela adoração das antiguidades.

Aos vinte e dois anos, Walter Scott era já considerado o primeiro poeta nacional, famoso pela «Canção do Último Menestrel», onde se adivinhava ligeiramente o surto que o seu espírito estava conseguindo. Foi um nacionalista favorável à causa jacobita, mesmo ciente de que tratava de uma "causa morta", conservador na política, favorável aos Tories[1]. E, de fato, passados tempos, estreava-se como romancista, apresentando anonimamente um volume intitulado «Waverley», no qual relatava o levantamento jacobita de 1745 e dava largas aos conhecimentos que adquirira durante longas pesquisas. O livro foi coroado do mais absoluto sucesso.

Possuidor de uma energia inesgotável, ele escreveu sem descanso, oferecendo-nos obra sobre obra.

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Walter Scott nasceu em 15 de abril de 1771. Foi o nono filho de Walter Scott, um solicitador, membro da Sociedade de Escribas de Sua Mahestade, e de Anne Rutherford. O seu pai era descendente direto do Scotts Clan e a sua mãe era descendente da família Haliburton, cuja descendência deu a Scott direitos hereditários de sepultura na Abadia de Dryburgh.[2] Através da família Haliburton, Walter era primo do promotor imobiliário James Burton e do seu filho, o arquiteto Decimus Burton.[3] Scott viria a fazer parte do Clarence Club, também frequentado pelos Burtons.[4]

Cinco dos irmãos de Walter morreram na infância e um sexto morreu com cinco meses. Walter nasceu no terceiro andar de um apartamento em College Wynd, na Old Town de Edimburgo.[5] Durante a infância, em 1773, teve poliomielite, uma doença que influenciou bastante a sua vida e a sua obra, visto que o deixou coxo.[6] Para curar esta condição, Walter foi enviado para a quinta dos avós paternos em Sandyknowe, em Scottish Borders.[7] Lá, aprendeu a ler com a sua tia Jenny e também foi com ela que aprendeu muitos dos contos e lendas que caracterizam a sua obra. Em janeiro de 1775, regressou a Edimburgo e nesse verão foi fazer um tratamento nas termas de Bath, na Inglaterra, com a tia Jenny.[8] Em 1776, regressou a Sandyknowe para tentar mais um tratamento nas termas de Prestopans.[7]

Em 1778, Scott regressou a Edimburgo para se preparar com um tutor privado para a escola e juntou-se à sua família na casa recém-construída em George Square.[9] Em outubro de 1779, começou a estudar na Royal High School em Edimburgo. Agora podia caminhar livremente e explorar a cidade e o campo circundante. As suas leituras incluíam romances de cavaleiros, poemas, História e livros de viagens. Walter estudou aritmética e escrita com o tutor privado James Mitchell e aprendeu com ele a História da Igreja da Escócia. Após terminar os estudos, Walter foi viver com a sua tia Jenny em Kelso durante seis meses e frequentou a Grammar School local onde conheceu James e John Ballantyne, que mais tarde se tornaram nos seus sócios e publicaram os seus livros.[10]

Encontro com Blacklock e Burns[editar | editar código-fonte]

Scott começou a estudar Estudos Clássicos na Universidade de Edimburgo em novembro de 1783 com 12 anos de idade, sendo cerca de um ano mais novo do que os restantes colegas. Em março de 1786, começou a trabalhar como aprendiz no escritório de solicitadores do pai. Enquanto estudava na universidade, Scott tornou-se amigo de Adam Ferguson, o filho do Professor Adam Ferguson, que organizava encontros literários. Scott conheceu o poeta cego Thomas Blacklock, que lhe emprestou livros e lhe apresentou o ciclo de poemas ossianicos de James Macpherson. Durante o inverno de 1786-87, Scott, na altura com 15 anos, viu Robert Burns num dos encontros literários, naquele que seria o seu único encontro. Quando Burns reparou numa ilustração do poema "The Justice of the Peace" e perguntou quem tinha escrito o poema, apenas Scott sabia que tinha sido John Langhorne e recebeu o agradecimento de Burns.[11] Quando ficou decidido que Scott se deveria tornar num advogado, este regressou à universidade para estudar Direito.[10]

Depois de terminar os seus estudos de Direito, Scott tornou-se advogado em Edimburgo. Scott fez a sua primeira visita às Terras Altas escocesas quando estava a supervisionar um despejo. Foi admitido na Ordem dos Advogados em 1792 e teve um caso amoroso com Williamina Belsches de Fettercairn, que acabou por se casar com o amigo de Scott, Sir William Forbes.

Início da carreira literária, casamento e família[editar | editar código-fonte]

Na infância, Scott tinha um fascínio pelas tradições orais das Scottish Borders. Era um colecionador obsessivo de histórias e desenvolveu um método inovador para registar o que tinha ouvido através de gravuras feitas com paus de modo a evitar a censura daqueles que acreditavam que estas histórias não deviam ser escritas, nem publicadas. Com 25 anos, Scott começou a escrever profissionalmente, ao fazer traduções de obras alemãs. O seu primeiro trabalho publicado foram as rimas de Gottfried August Bürger em 1796.[12] De seguida, publicou um conjunto em três volumes de rimas que colecionou na sua terra natal adotada: The Minstrelsy of the Scottish Border. Este foi o primeiro sinal do seu interesse literário pela História da Escócia.

Em consequência da poliomielite que o afetou em criança, Scott coxeava. Em 1820, Scott foi descrito como alto e bem constituído (com a exceção de um tornozelo e pé que o faziam coxear), não era gordo nem magro, tinha uma testa muito alta, o nariz pequeno, o lábio superior grande, um rosto longo e cheio, uma cor fresca e clara, olhos muito azuis, perspicazes e penetrantes, com cabelo agora cinzento e branco. Apesar de caminhar com confiança, Scott conseguia mais liberdade de movimento a cavalo. Visto que não podia considerar uma carreira militar, Scott alistou-se como voluntário no 1st Lothian and Border yeomanry (um grupo de homens que possuía e defendia terrenos).[13]

Numa viagem ao Lake District com amigos da universidade, Scott conheceu Charlotte Genevieve Charpentier, filha de Jean Charpentier de Lyon, França e administrador de Lord Downshire em Cumberland. Após três semanas de corte, Scott pediu Charlotte em casamento e os dois casaram na véspera de Natal de 1797 na igreja de St Mary's em Carlisle. Depois de alugarem uma casa em George Street, o casal mudou-se para South Castle Street em Edimburgo. Eles tiveram cinco filhos, dos quais apenas quatro eram vivos quando Scott morreu. Em 1799, Scott foi nomeado vice-xerife da região de Selkirk. Nos primeiros anos de casamento, Scott tinha um bom nível de vida graças aos rendimentos que conseguia como advogado, ao salário de vice-xerife, aos rendimentos da esposa, a alguns lucros da sua escrita e à parte de rendimentos a que tinha direito da propriedade do seu pai.

Após o nascimento do terceiro filho do casal em 1801, a família mudou-se para uma casa espaçosa de três andares construída para Scott em 39 North Castle Street. Esta tornou-se na casa principal de Scott em Edimburgo até 1826, quando ele deixou de conseguir pagar duas casas. Desde 1798, Scott passara os verões numa casa de campo em Lasswade, onde recebia vários convidados do mundo da literatura e foi lá que a sua carreira como autor começou. O seu cargo de vice-xerife obrigava-o a viver na zona durante um certo período de tempo. Em 1804, ele deixou de utilizar a casa de campo de Lasswade e alugou uma casa maior em Ashestiel, a 9,7 km de Selkirk. Ela ficava na margem sul do rio Tweed e o edifício estava incorporado numa velha torre.

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • The Minstrelsy of the Scottish Border (1802-1803)
  • The Lay of the Last Minstrel (1805)
  • Marmion (1808)
  • The Lady of the Lake (1810)
  • Waverley (1814)
  • The Antiquary (1816)
  • The Heart of Midlothian (1818)
  • Rob Roy (1818)
  • Ivanhoe (1819)
  • The Abbot (1820)
  • The Fortunes of Nigel (1822)
  • Peveril of the Peak (1822)
  • The Pirate (1822)
  • Quentin Durward (1823)
  • Redgauntlet (1824)
  • St. Ronan's Well (1824)
  • Woodstock (1826)
  • The Life of Napoleon Buonaparte (1827)
  • Anne of Geierstein (1829)
  • History of Scotland, 2 vols. (1829-1830)
  • The Bishop of Tyre

Referências

  1. Língua, Literatura e Poder, por Ana Lucia de Souza Henriques, (UERJ e UVA)
  2. «Family Background». www.walterscott.lib.ed.ac.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  3. «history - the burtons». www.burtonsstleonardssociety.co.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  4. Beattie, William (1849). Life and Letters of Thomas Campbell, In Three Volumes, Volume II. Edward Moxon, Dover Street, London. p. 55
  5. «Homes of Sir Walter Scott». www.walterscott.lib.ed.ac.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  6. «Otranto». www.otranto.co.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  7. a b «Sandyknowe and Early Childhood». www.walterscott.lib.ed.ac.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  8. «Detailed Record». www.imagesofengland.org.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  9. «Homes of Sir Walter Scott». www.walterscott.lib.ed.ac.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  10. a b «School and College». www.walterscott.lib.ed.ac.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  11. «Literary Beginnings». www.walterscott.lib.ed.ac.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  12. «Writing Scotland - Walter Scott - BBC Two». BBC. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  13. «1st Lothians and Border Yeomanry». www.1stlothiansandborderyeomanry.co.uk. Consultado em 13 de outubro de 2017 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote


Precedido por
Sir James Hall
Presidentes da Sociedade Real de Edimburgo
18201832
Sucedido por
Sir Thomas Makdougall Brisbane