Alcatrão de hulha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde Maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Alcatrão de Hulha

Alcatrão de hulha é um líquido escuro e viscoso que cheira a naftalina. É formado pela união de hidrocarbonetos aromáticos, bases nitrogenadas e fenóis.


Definição[editar | editar código-fonte]

Constituído essencialmente de hidrocarbonetos aromáticos, tais como benzeno, fenóis, naftaleno, cresóis, antraceno e piche. Trata-se da mais importante fonte natural de compostos aromáticos de grande importância para a indústria (mais de duzentos compostos podem ser obtidos). De uma tonelada de hulha pode ser obtido em torno de 30 a 50 kg de alcatrão.

Processo de fabricação[editar | editar código-fonte]

O produto é obtido pelo processo de coqueificação ou pirólise do carvão em coquerias, geralmente instaladas em indústrias siderúrgicas. Neste processo, o carvão é enfornado e a matéria volátil nele contido é separada durante o aquecimento da massa de 850 a 1100ºC. O material separado, na forma de gases, é resfriado e os seus condensáveis se transformam em licor amoniacal e alcatrão. A partir deste momento, o produto é purificado através de sucessivas decantações, visando remover a água e os sólidos residuais. O alcatrão, em geral, possui um teor até 5% em umidade e 1% em sólidos suspensos.

Usos[editar | editar código-fonte]

Por se tratar de uma mistura complexa de hidrocarbonetos, o alcatrão é separado em suas frações, o que lhe permite fornecer matéria-prima para inúmeros produtos químicos. tais como desinfetantes, impermeabilizantes, farmacêuticos, plásticos, entre outros. O principal derivado do alcatrão e carro-chefe do desenvolvimento da indústria carboquímica é o piche, cuja principal aplicação é a fabricação de eletrodo para alumínio.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Schweitzer, P. A. Paint and Coatings. Boca Raton, Taylor & Francis, 2006.

Ver também[editar | editar código-fonte]