Arraial do Cabo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Arraial do Cabo
"Capital do Mergulho"
"Paraíso do Atlântico"
Arraial.rj.06.jpg

Bandeira de Arraial do Cabo
Brasão de Arraial do Cabo
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 13 de maio de 1985 (29 anos)
Gentílico cabista
Lema "Arraial, muito melhor agora".
Padroeiro(a) Nossa Senhora dos Remédios
Prefeito(a) Wanderson Cardoso de Brito (Andinho) (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Arraial do Cabo
Localização de Arraial do Cabo no Rio de Janeiro
Arraial do Cabo está localizado em: Brasil
Arraial do Cabo
Localização de Arraial do Cabo no Brasil
22° 57' 57" S 42° 01' 40" O22° 57' 57" S 42° 01' 40" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Baixadas IBGE/2008[1]
Microrregião Lagos IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Araruama , Cabo Frio, e lacustres: Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia e Saquarema.[2]
Distância até a capital 158 km
Características geográficas
Área 152,305 km² [3]
População 28 010 hab. Censo IBGE/2011[4]
Densidade 183,91 hab./km²
Altitude 8 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,733 (20º) – alto PNUD/2010 [5]
PIB R$ 328 840,250 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 12 345,71 IBGE/2008[6]
Página oficial

Arraial do Cabo é um município brasileiro na região dos Lagos do estado do Rio de Janeiro. A cidade é costeira, e tem uma altitude média de apenas oito metros. Fundado em 1503 pelo conquistador Américo Vespúcio, foi elevado a município apenas em 1985, após a emancipação de Cabo Frio. Tendo em 2010 uma população de apenas 28.010 habitantes segundo o IBGE. As rodovias que servem o município são a RJ-140/BR-120 e a RJ-102.

A cidade de Arraial do Cabo, como o nome indica é realmente um cabo, um pedaço de terra grande (superior ao pontal e ponta) adentrando ao mar, possui pequena diversidade de praias em enseadas, entre estas pode se considerar que estão algumas das praias mais belas do mundo. A cidade abriga o Porto do Forno que na verdade é uma marina de três píers por onde entram produtos para a cidade e saem as produções de sal. Ideal para a prática de mergulho, o ecoturismo é a base da economia cabista, não aproveitando-se a região para o desenvolvimento de aquacultura e maricultura.[7] Tendo ainda uma zona urbana bastante simples e conturbada, com construções de apenas dois andares em ruas sinuosas e estreitas além de um notório processo de favelização incomum entre as cidades vizinhas.[8]

História[editar | editar código-fonte]

Formação do cabo[editar | editar código-fonte]

Há cerca de um milhão de anos os ventos, as correntes marítimas e as marés começaram a depositar sedimentos entre três antigas ilhas – atualmente conhecidas como morro do Mirante, do Forno e Pontal do Atalaia –, incorporando-as ao continente e formando, assim, o cabo onde se situa a cidade de Arraial do cabo.

Primeiros habitantes[editar | editar código-fonte]

Eles eram nômades e chegaram à região há cerca de cinco mil anos. Viviam em pequenos grupos no alto dos morros e desciam apenas para buscar alimentos, basicamente peixes e moluscos.

Ocupação indígena[editar | editar código-fonte]

Os tamoios eram, na época da chegada dos portugueses, os habitantes mais comuns da região, embora existissem, também, tribos de outras vertentes tupinambás.

Essas tribos consumiam, basicamente, peixes e crustáceos, e complementavam a dieta com o consumo da "mandioca" e com os animais da caça. A produção de cerâmica se destacava nessas tribos, que também marcaram participação nos conflitos que viriam a ocorrer entre portugueses e corsários, principalmente franceses.

Chegada de europeus[editar | editar código-fonte]

Após decidir se separar do resto da frota da segunda expedição à costa brasileira, Américo Vespúcio navega rumo ao sul, chegando à praia atualmente conhecida como "Praia dos anjos" e ancorando, logo em seguida, na Praia da Rama (atual "Praia dos Anjos"). Ao lugar, deu-se o nome de Cabo Frio, devido a fatores que, de certa forma, fascinaram os navegantes. Dentre eles:

Marco histórico de Arraial do Cabo visto da "Praia dos Anjos".
  • As correntes marítimas locais possuíam uma temperatura substancialmente mais fria que as temperaturas normais das águas da costa brasileira (atualmente esse fenômeno é conhecido como ressurgência).[9]
  • Os ventos constantes eram, também, muito mais frios do que no resto do litoral, dando a impressão de que a temperatura local fosse mais baixa do que realmente era.
  • As condições do tempo mudavam rapidamente no local, passando subitamente de um dia ensolarado para um dia nublado, com alta possibilidade de formação de nevoeiro e, em alguns casos, agitando o mar.

Povoamento europeu[editar | editar código-fonte]

Américo Vespúcio decidiu, então, construir um forte no local (cujas ruínas permanecem no local, acessível por trilha entre a Praia do Forno e a Prainha), onde ele deixou 24 homens com armas e mantimentos.

Fachada da "Casa da Piedra".

Posteriormente, foi construída feitoria em local próximo. Mas o local exato ainda não foi definido. Para alguns, ela está localizada no próprio Arraial do Cabo, para outros, em Cabo Frio. Mas é certo que essa foi, de fato, a primeira feitoria no Brasil.

Provavelmente como consequência do estabelecimento dessa feitoria, começou a se desenvolver em arraial um modesto povoamento, sendo esse um dos primeiros (possivelmente o primeiro) em território brasileiro. Ainda é possível ver, na cidade, a primeira construção de alvenaria da terra recém-descoberta, a "Casa da Piedra".

Existe na cidade um marco histórico que lembra a visita de Américo Vespúcio nesta época. Composto de um obelisco, um poço, existente desde então e uma placa resumindo parte da história local.

História recente[editar | editar código-fonte]

Durante séculos, a cidade seguiu sua vocação natural como vila de pescadores. E foi na primeira metade do século XX, em 1943, com a implantação da Companhia Nacional de Álcalis, que a economia local foi impulsionada. A fábrica produzia barrilha, matéria-prima para fabricação de vidros. A oferta de emprego aumentou. Mão-de-obra qualificada da unidade da Álcalis no Rio Grande do Norte foi trazida para a cidade e as ofertas de empregos acabaram trazendo trabalhadores de outras regiões. Isso contribuiu para a consolidação e para o crescimento da cidade.

Durante anos, Arraial do Cabo pertenceu a Cabo Frio, sendo seu principal distrito. Em 13 de maio de 1985, a cidade teve sua emancipação assinada por Leonel de Moura Brizola, governador do Estado do Rio de Janeiro na época. No dia 15 de novembro de 1985, foi eleito o primeiro prefeito, Renato Vianna, que assumiria o cargo no dia 1º de janeiro de 1986. Hoje, o município de Arraial do Cabo compreende os distritos: Monte Alto, Figueira, Parque das Garças, Sabiá, Pernanbuca, Novo Arraial e Caiçara.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Arraial do Cabo limita-se a norte com o município de Cabo Frio, a leste e a sul, com o Oceano Atlântico e a oeste, com o município de Araruama.

O clima de Arraial do Cabo é tropical litorâneo, com muito vento que estabiliza as temperaturas, o município praticamente desconhece temperaturas muito elevadas ou muito baixas. No ano de 2007 a máxima absoluta foi de apenas 31,7 °C (a menor de todo o estado) e a mínima de 12,9 °C. Historicamente, o município tem máxima absoluta de 34 °C e mínima de 10 °C. Também chove bem pouco, com média pluviométrica anual de cerca de 800mm. A insolação (horas de sol) é uma das maiores do estado.

O município é conhecido como a "capital do mergulho". As praias de águas transparente e areia muito branca tornam sua costa num dos locais brasileiros mais propícios para a pesca submarina e mergulho. A abundante fauna marinha é decorrente da ressurgência, um fenômeno oceanográfico que consiste na subida de águas profundas e ricas em nutrientes, para regiões menos profundas do oceano. As principais praias são: Praia dos Anjos (onde se localiza o Porto do Forno), Praia do Forno, Praia Grande, Prainha, As Prainhas do Atalaia, Praia da Ilha do Farol (eleita em 2000 a praia mais perfeita do Brasil pela Revista Veja), Praia grande, Praia do Monte Alto, entre outras.

O município também conta com uma área preservada pelo IBAMA, a restinga de Massambaba (estreito pedaço de terra, banhado a sul pelo Oceano Atlântico e a Norte pela Lagoa de Araruama) onde são encontradas as mais exóticas orquídeas do mundo.

Culturalmente, Arraial do Cabo se distingue das outras cidades da Região dos Lagos. É visível o modo de vida e as práticas culturais específicas dos "cabistas". Há um modo de pronunciar algumas palavras, e, sobretudo, a construção de novas palavras, que confunde o passado e o presente. Assim, é comum nas ruas os gritos, berros e vaias, que mostram o caráter cultural interativo do povo de Arraial do Cabo, e, também o "atchesa", "rodia", entre outros verbetes. A cidade também é a única do estado a comemorar o feriado do Dia de Ação de Graças; na data oficial de 23 de novembro.[10]

Atividades[editar | editar código-fonte]

  • Casa de Piedra: actualmente propriedade particular, ocupa o lugar da feitoria que deu origem à cidade de Arraial do Cabo.[11]
  • Casa da Poesia: casa do poeta Victorino Carriço, hoje é centro cultural onde há encontros de poetas e sarais.
  • Centro Cultural Manoel Camargo: uma das três instituições de museologia da cidade conta a história cabista com painéis e peças, além da menção dos homens que foram importante para a cidade.
  • Farol Velho: inaugurado em 1833, suas ruínas estão localizadas no topo da ilha do Farol. Para visitá-lo, é necessário obter autorização da Marinha para realizar a trilha que leva até o farol e alugar uma embarcação que leve os visitantes até a ilha.[12]
  • Igreja de Nossa Senhora dos Remédios: erguida em 1506 pelos portugueses, a igreja está entre as primeiras edificações do país. Singela, fica em uma elevação debruçada sobre a praia dos Anjos.
  • Mergulho: Arraial do Cabo abriga uma diversificada vida marinha - são tartarugas, meros, lulas, lagostas, arraias e até golfinhos que vivem em harmonia nas ilhas do Farol e dos Porcos, nos sacos do Cherne e do Cordeiro, na praia do Forno, na Ponta d'Água e na Gruta Azul. Quem agradece são os mergulhadores, que lá encontram os melhores pontos do país para praticar o esporte além das águas transparentes.
  • Museu Oceanográfico Almirante Paulo Moreira: Possui esqueletos de animais marinhos, peças de naufrágios que ocorreram na região e aquários com animais vivos.
  • Passeio de Barco: Os passeios duram quatro horas e descortinam as mais belas paisagens de Arraial do Cabo. O roteiro inclui paradas no Pontal do Atalaia (Prainhas) e Ilha do Farol, passando pela Gruta Azul, uma salão de 30 metros de extensão e 15 de altura - o nome vem dos efeitos causados pelas paredes internas, que têm tons dourado e prateado e que se tornam azuis de acordo com a incidência de luz. As embarcações partem da praia dos Anjos.
  • Pontal do Atalaia: Programa preferido dos casais, assistir ao pôr-do-sol no Pontal do Atalaia é imperdível, um dos poucos lugares do Brasil onde o Sol põe-se no mar. As pedras ficam a 180 metros de altitude, descortinando vista panorâmica.
  • Ruínas da Bataria e do Telégrafo: fundações da Bataria da Paia dos Anjos no cume do Morro da Fortaleza e vista panorâmica da cidade.

Praias[editar | editar código-fonte]

  • Atalaia (As Prainhas)
  • Anjos
  • Brava
  • Farol
  • Forno
  • Grande
  • Prainha
  • Pontal

Filhos Ilustres[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. [1]
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2011. Censo Populacional 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2011). Página visitada em 1 de julho de 2011.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 29 de Julho de 2013..
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. http://pib.socioambiental.org/en/noticias?id=49784
  8. http://extra.globo.com/noticias/rio/ocupacoes-ilegais-favelas-avancam-beira-mar-em-arraial-do-cabo-726702.html
  9. “Projeto DEPROAS – Dinâmica do Ecossistema de Plataforma da Região Oeste do Atlântico Sul” no site do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (Brasil) acessado a 2 de julho de 2009
  10. http://g1.globo.com/rj/serra-lagos-norte/noticia/2012/10/arraial-do-cabo-rj-comemora-dia-de-acao-de-gracas-nesta-terca.html
  11. http://viagem.uol.com.br/guia/cidade/arraial-do-cabo---lugares-historicos.jhtm
  12. http://www.arraialdocabo-rj.com.br/cidade/monumento.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]