Consolidated PBY Catalina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
PBY-5 Catalina pousando na Estação aeronaval de Jacksonville, na Flórida, EUA.

O Consolidated PBY Catalina é um hidroavião bimotor de uso militar durante a Segunda Guerra Mundial originalmente desenhado pela Consolidated para transporte e vigilância aérea das missões anti-submarino no Atlântico e Pacífico. Posteriormente versões para uso civil foram utilizadas em diversos países do mundo, principalmente como cargueiros.


No Brasil[editar | editar código-fonte]

A Força Aérea Brasileira operou o Catalina em missões de patrulha do litoral brasileiro durante a 2ª Guerra Mundial. Sete aeronaves foram entregues em 1943 e outras 15 em 1944. Estas aeronaves foram distribuídas pelo litoral brasileiro realizando buscas contra os submarinos do eixo. Um Catalina, pilotado por Alberto Martins Torres, afundou o submarino U-199. Depois da guerra, passaram a exercer a função de busca e salvamento.

PBY Catalina utilizado pelo exército da Austrália.

A partir de 1958, os Catalina passaram a ser utilizados como cargueiros, fazendo inestimáveis serviços na Amazônia. Esta região carecia de infraestrutura aeroportuária e somente um avião anfíbio poderia operar na maior parte das localidades da região amazônica, utilizando os próprios rios como pista. Mais de quarenta cidades da região amazônica foram atendidas por linhas regulares de hidroaviões Catalina, operados pela Pan Air do Brasil, que perdeu suas concessões e foi fechada, em 1965, pelo governo militar, provocando o isolamento relativo de diversas localidades da Amazônia pois nenhuma outra empresa brasileira operava tais aeronaves nos anos 1960 (SASAKI, 2005, p. 52-53). A Cruzeiro do Sul ainda utilizou esses aviões no transporte de cargas e passageiros na Amazônia, na década de 60.

Especificações[editar | editar código-fonte]

Modelo: PBY-5A

Tipo: Hidroavião (anfíbio) de reconhecimento, asa em párasol, bimotor

Um Catalina neerlandês

Envergadura: 31,7 m

Comprimento: 19,45 m

Altura: 6,15 m

Peso: 9.485 Kg (vazio) e 16.067 Kg (carregado)

Motor: 2 Pratt & Whitney R-1830-92 Twin Wasp, radial, 14 cilindros (1.200 hp)

Velocidade: 288 Km/h (máxima a 2.135 m)

Teto Máximo: 4.480 m

Alcance: 4.095 Km

Armamento Defensivo: 4 metralhadoras Browning de 12,7 mm (2 na torre de proa e 1 em cada bolha lateral)

Carga de Bombas: 1.814 Kg (bombas, torpedos, minas ou cargas de profundidade) Tripulação: 7 homens


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Consolidated PBY Catalina
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.