Denim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Julho de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Mergefrom 2.svg
O artigo ou secção Brim deverá ser fundido aqui. (desde julho de 2014)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Cheque ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).

Denim (ou brim) é um tipo de tecido de algodão em que somente os fios do urdume (longitudinal) são tingidos com corante anil, normalmente com ligamento sarja. É a matéria-prima para a fabricação de artigos ganga (português europeu) ou jeans (português brasileiro).

A palavra "denim" surgiu na França no século XVII a partir da expressão serge de Nîmes, em referência a um tecido produzido na cidade de Nîmes, mescla de seda e lã [1] . No século XIX passou a designar um tecido de algodão bastante rústico, produzido nos Estados Unidos, usado pelos trabalhadores da época.

Uma das classificações do denim é pelo peso, que é indicado em Onças/jarda² (1 Oz/jd² = 33,91 g/m²). Os pesos comerciais mais comuns são 14,5 Oz/jd² (mais pesado), 12 Oz/jd² e 9 Oz/jd² (mais leve).

Fio 100% algodão tingido com corante anil, mantendo núcleo branco.

Uma característica marcante desse tipo de tecido é o tingimento com anil (também conhecido como índigo). Este corante não tem muita afinidade com o algodão, por isso o tingimento fica apenas superficial nos fios de urdume, formando em cada fio um anel azul e deixando o núcleo branco. Com isso a solidez do tecido é muito baixa ao atrito, onde o tecido sofre atrito perde a sua camada superficial de fibras e com isso perde a sua cor.

Atualmente estima-se o consumo mundial desse tecido acima de 3 bilhões de metros lineares por ano. Sendo os principais consumidores os Estados Unidos, a Europa e o Japão, representando juntos mais de 65% do consumo mundial.

O Brasil é um dos principais produtores desse tipo de tecido do mundo, com uma capacidade instalada de produção acima de 600 milhões de metros lineares por ano.

Referências

  1. Denim, l'épopée illustrée d'un tissu de légende, Éditions du collectionneur, 2002, ISBN 2-909450-94-5

Ligações externas[editar | editar código-fonte]