Diana (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diana
 Reino Unido
2013 • cor • 113[1] min 
Direção Oliver Hirschbiegel
Produção Robert Bernstein
Douglas Rae
Roteiro Stephen Jeffreys
Baseado em Diana: Her Last Love de Kate Snell
Elenco Naomi Watts
Naveen Andrews
Gênero drama biográfico
Idioma inglês
Música Keefus Ciancia
David Holmes
Cinematografia Rainer Klausmann
Edição Hans Funck
Estúdio Ecosse Films
Film i Väst
Filmgate Films
Le Pacte
Mahla Filmes
Scope Pictures
Distribuição Entertainment One
Lançamento Reino Unido 5 de setembro de 2013 (Londres, premiere)
Brasil 26 de setembro de 2013 (Festival do Rio)
Portugal 26 de setembro de 2013
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Diana é um filme de drama biográfico de 2013, dirigido por Oliver Hirschbiegel, sobre os últimos dois anos da vida de Diana, Princesa de Gales.[2] Mais especificamente no suposto romance secreto com o cirurgião paquistanês Hasnat Khan, interpretado por Naveen Andrews (da série Lost) bem como o polêmico "affaire" com o egípcio Dodi Al-Fayed (interpretado por Cas Anvar) mostrado como pouco sério.[3]

O roteiro é baseado em livro de Kate Snell de 2001, Diana: Her Last Love, e foi escrito por Stephen Jeffreys. Robert Bernstein e Douglas Rae são os produtores do filme para Ecosse Films. Atriz anglo-australiana Naomi Watts interpreta o papel-título de Diana.

A estréia mundial do filme foi realizada em Londres, em 5 de setembro de 2013.[4] [5] Foi lançado no Reino Unido em 20 de setembro de 2013,[6] e foi extremamente criticado pela imprensa.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O filme biográfico foca nos dois últimos anos de sua vida depois que ela se divorciou do príncipe Charles.[7] Suas relações com o cirurgião cardíaco Hasnat Khan e Dodi Fayed Também são narrados.[8] [9]

Ele também fornece os detalhes sobre como a princesa e Khan se conheceram.[10] [11]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

O roteiro que é baseado no livro de Kate Snell de 2001, Diana: Her Last Love[12] foi escrito por Stephen Jeffreys. Robert Bernstein e Douglas Rae são os produtores do filme para Ecosse Films.[13] Atriz anglo-australiana Naomi Watts interpreta o papel-título.[14]

Cenas-chave que envolvem Diana e Dodi Fayed em seu iate familiar, Jonikal, foram filmados no 45m iate de luxo Princesa Iolanthe.[15] As cenas de abertura e encerramento no Suíte Imperial no Ritz Paris foram filmados em Fetcham Park House em Fetcham, Surrey.[16]

As gravações foram feitas no segundo semestre de 2012, na Inglaterra.[3]

Jessica Chastain iria inicialmente ficar com o papel de Lady Di, mas foi substituida por Naomi Watts.[3]

Para interpretar Diana, Naomi Watts usou perucas, nariz falso, vestidos de Diana copiados e emprestados, a atriz buscou estudar a sua forma de falar, a postura e o olhar da princesa.[3]

Promoção[editar | editar código-fonte]

Em um dos pôsteres promocionais do filme pode se ver Naomi Watts sentada em um trampolim de um iate no meio do oceano vestindo um traje de banho celeste, recriando a icônica fotografia que um paparazzo tirou de Diana Spencer uma semana antes de sua morte, quando contemplava o mar de Portofino, Itália, a bordo do iate Jonikal (propriedade de Mohamed Al-Fayed).[17]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Festival de Berlim de 2012 negociou os direitos de distribuição de Diana.[3]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu críticas extremamente negativa por parte da imprensa britânica.[5] No Rotten Tomatoes, o filme tem uma pontuação de 5%, com base em opiniões de 42 críticos.[18]

David Edwards de Daily Mirror disse que era um "esforço barato e triste que parece um Channel 5 no meio da semana matinê" e que "Wesley Snipes em uma peruca loira seria mais convincente", e termina dizendo que "o filme não é ordinário nem sensacionalista, como alguém poderia temer. Nunca chega a ser emocionante, nem desperta o menor interesse. Não é nem sequer agradavelmente ruim", premiando o filme uma estrela de cinco.[19] Peter Bradshaw do The Guardian também concedeu-lhe uma estrela de cinco e comentou que "a verdade é que 16 anos depois daquele dia terrível de 1997, ela voltou a ter outra morte espantosa. Será que este filme faz parte de um complô do MI5 para manchar seu nome e fazê-la parecer de plástico e absurda?".[20]

Marcelo Hessel do Omelete comenta que "Então se o filme soa insatisfatório na hora de reconstruir essa personagem de carne e osso (porque Diana Spencer, no fim, parece uma pessoa bastante desinteressante), talvez seja porque Diana na verdade está mais interessado no espectro, na elegia, na princesa Diana inventada por todos que, fatidicamente, terminou substituindo a "real". E enquanto estudo da celebridade - e, por extensão, enquanto estudo do olhar - o filme questiona: existe diferença entre o real e o mediado?".[21]

Na opinião de Darlano Didimo do Cinema Rapadura define que o "filme transforma princesa em plebeia desinteressante".[22]

Precisão histórica[editar | editar código-fonte]

Hasnat Khan, que hoje tem 54 anos, nunca confirmou o relacionamento com Diana e declarou à imprensa britânica que o filme era baseado em "boatos" e parecia "totalmente falso". Os produtores admitiram que nunca o consultaram.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. DIANA (12A) E1 Films. British Board of Film Classification (10 de setembro de 2013). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  2. Dibdin, Emma (4 de julho de 2012). Naomi Watts Princess Diana biopic renamed 'Diana' – first picture Digital Spy. Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  3. a b c d e f "Diana" mostra princesa apaixonada, mas não convence crítica britânica Correio do Povo, 18 de setembro de 2013
  4. a b c Naomi Watts prepares to rock as Princess Diana (26 de junho de 2013). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  5. a b Diana film slammed by British press BBC News (6 de setembro de 2013). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  6. Peter Bradshaw (1 de setembro de 2013). Film highlights of autumn 2013: from Diana to The Selfish Giant. Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  7. Eby, Margaret (12 de junho de 2013). 'Diana' teaser: Naomi Watts reigns as the Princess of Wales. Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  8. a b New Princess Diana movie features iconic Sunday Mirror front page (15 de junho de 2013). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  9. Diana 2013 Movie Review. Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  10. Naomi Watts wows as Lady Diana on set of biopic Caught in Flight (3 de julho de 2012). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  11. Watts reveals Princess Di makeover (3 de julho 2012). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  12. Andrew Pulver (26 de agosto de 2013). Princess Diana film 'got it completely wrong' says former lover Hasnat Khan. Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  13. Rachel Portman Scoring Oliver Hirschbiegel's 'Diana' Film Music Reporter (17 de junho de 2013). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  14. Bamigboye, Baz (28 de maio de 2013). Naomi Watts' Diana biopic to open on September 5th. Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  15. Yacht Charter, Fleet (6 de setembro de 2013). Princess Diana Movie – Yacht Chartered during filming with Naomi Watts YachtCharterFleet..
  16. Fetcham Park Stars As The Ritz, Paris In ‘Diana’ Film, Yareah, 30 de setembro de 2013
  17. Magrath, Andrea (9 de julho de 2012). Bathing beauty: Naomi Watts recreates the iconic image of Princess Diana on holiday a week before her death Daily Mail.. Página visitada em 27 de outubro de 2013.
  18. Diana Rotten Tomatoes. Flixster. Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  19. Diana film review The Mirror (6 de setembro de 2013). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  20. Diana – review The Guardian. (6 de setembro de 2013). Página visitada em 21 de outubro de 2013.
  21. Diana Omelete (17 de outubro de 2013). Página visitada em 27 de outubro de 2013.
  22. Diana (2013): filme transforma princesa em plebeia desinteressante Cinema com Rapadura (21 de outubro de 2013). Página visitada em 27 de outubro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]