Domingo (Titãs)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Domingo
Álbum de estúdio de Titãs
Lançamento Novembro de 1995
Gravação 1995, no Be Bop Sound Studios
Gênero(s) Punk Rock
Grunge
Pop Rock
Rock Alternativo
Duração 01:03:58
Idioma(s) Português
Formato(s) CD/LP
Gravadora(s) WEA
Produção Jack Endino
Cronologia de Titãs
Último
Último
Titanomaquia
(1993)
Volume Dois
(1998)
Próximo
Próximo

Domingo é o oitavo álbum de estúdio da banda brasileira de rock Titãs, lançado em 1995. O disco conta com participações especiais de Herbert Vianna, Andreas Kisser, Igor Cavalera, João Barone entre outros.

História[editar | editar código-fonte]

Após permanecerem de férias por todo o segundo semestre de 1994 até março de 1995 para darem vazão aos projetos pessoais, tais como lançamentos de trabalhos solo (Nando Reis com o CD 12 de Janeiro e Paulo Miklos com um álbum honônimo) e o desenvolvimento de carreira literária (Tony Bellotto), os Titãs se reuniram em abril daquele ano para dar início aos trabalhos que resultariam no seu nono disco de carreira e afastar de uma vez por todas os rumores de que o grupo havia se separado, e novamente contariam com Jack Endino para a produção do material inédito. Sentindo que sua popularidade regredira bastante na primeira metade dos anos 1990, com os lançamentos de Tudo Ao Mesmo Tempo Agora e de Titanomaquia, a banda estava disposta a criar um repertório mais pop e menos agressivo do que aqueles gravados nesses dois álbuns, ainda que o grupo apostasse em algumas canções de sonoridade rock "pauleira" (como nas faixas "Uns Iguais aos Outros" e "Brasileiro", este última gravada com membros do Sepultura e possuindo uma sonoridade estilo heavy metal). O público, que nos últimos anos era majoritariamente masculino e raivoso, voltaria a se tornar mais abrangente com o lançamento de Domingo, que, obviamente, foi mais bem sucedido comercialmente que seus antecessores.

Composições[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez os Titãs experimentaram gravar canções de outros artistas em um disco, caso de "Eu Não Aguento", da extinta banda Tiroteio, e de "Rock Americano", do casal de repentistas Mauro & Quitéria, conhecidos de longa data dos integrantes. O grupo também registrou composições cantadas inteiramente em outros idiomas ("Vámonos", cantada por Sérgio Britto em espanhol e "Ridi Pagliaccio", interpretada por Branco Mello em italiano), fato até então inédito em sua discografia. E houve espaço ainda para uma adaptação de um poema bem-humorado de domínio público, intitulado "Um Copo de Pinga", que Britto musicou como um chorinho. Os temas abordados nas letras se estendiam entre a monotonia dominical, relatada na faixa-título, até o relato da cansativa rotina da banda de "pegar a estrada" para realizar uma cansativa série de shows, em "Turnê". Esta música foi gravada justamente quando os Titãs voltaram a ser empresariados por Manoel Poladian, que nos anos 1980 marcava tantas apresentações da banda pelo Brasil inteiro que os músicos sequer podiam desfrutar de férias - e a exaustão era inevitável. A política de agendar apresentações de Poladian seria a mesma pelos quatro anos seguintes, com a banda e o empresário encerrando sua segunda parceria no ano de 2000.

O sistema de créditos coletivos para as canções da banda, que ficou em voga nos dois álbuns anteriores, deixou de ser usado em Domingo, onde cada faixa seria assinada pelos seus reais autores. Percebe-se, por este ponto, que houve um grande desequilíbrio no tocante ao envolvimento dos integrantes no processo de criação das novas músicas. Sérgio Britto, talvez ressentido pelo fato de não lhe darem o crédito por algumas músicas dos Titãs que ele havia feito ou contribuído (sentimento que ele e outros integrantes tinham desde a época em que Arnaldo Antunes integrava a banda), foi o co-autor de quase todas as canções da safra própria, e queria deixar isso implícito no encarte do novo álbum. Já Nando Reis, ainda estremecido com o choque estético que sofreu durante as gravações de Titanomaquia, pouco se envolveu com o grupo durante a fase de criação do repertório, aparecendo como co-autor de apenas três músicas (sendo "O Caroço da Cabeça" - a única canção do álbum em que ele assumiu o vocal principal - uma delas). Ainda que os Titãs não mais soassem escatológicos como dois anos antes, as disparidades musicais dos tempos mais recentes afetaram seriamente o entrosamento que o baixista, ainda muito influenciado pelo estilo MPB, tinha com seu grupo. Nando tornou-se mais arredio perante os colegas, a tal ponto de ele manter contato somente com Marcelo Fromer, o membro mais próximo a ele, durante a fase de pré-produção de Domingo. Este foi o último disco em que Nando dividiu os créditos de músicas com seus parceiros de banda. A partir do Acústico MTV até seu último disco com o grupo, A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana, o músico passou a compor sozinho todas as canções que apresentava para o preenchimento do repertório de cada trabalho.

Sucessos[editar | editar código-fonte]

Primeiro single do disco, a faixa-título também foi seu maior hit, ainda que nem toda a mídia divulgasse a canção. A Rede Globo de Televisão vetou a música por fazer referência ao presidente e apresentador de sua concorrente SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), Sílvio Santos (É dia de descanso/Nem precisava tanto/É dia de descanso/Programa Sílvio Santos). O lançamento da nova canção se deu ao vivo, na primeira edição do Video Music Brasil da filial nacional da MTV, no dia 31 de agosto de 1995.

"Eu Não Aguento" (cujo vídeo alude à capa do primeiro álbum dos Secos & Molhados em suas cenas iniciais), "Eu Não Vou Dizer Nada (Além Do Que Estou Dizendo)" e "Tudo o Que Você Quiser" foram as demais faixas de trabalho do disco, todas com desempenho mais discreto nas execuções em rádios.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Eu Não Aguento" (Tiroteio); Introdução: "Sangue Latino" (João Ricardo, Paulinho Mendonça) – 4:25
  2. "Domingo" (Sérgio Britto, Tony Bellotto) – 4:05
  3. "Tudo o que Você Quiser" (Branco Mello, Charles Gavin, Sérgio Britto) – 2:30
  4. "Rock Americano" (Mauro, Quitéria) – 4:06
  5. "Tudo em Dia" (Arnaldo Antunes, Branco Mello, Sérgio Britto) – 2:50
  6. "Vámonos" (Sérgio Britto) – 2:30
  7. "Eu Não Vou Dizer Nada (Além do que Estou Dizendo)" (Charles Gavin, Marcelo Fromer, Nando Reis, Paulo Miklos, Sérgio Britto, Tony Bellotto) – 3:52
  8. "O Caroço da Cabeça" (Herbert Vianna, Marcelo Fromer, Nando Reis) – 3:55
  9. "Ridi Pagliaccio" (Branco Mello, Sérgio Britto, Tony Bellotto) – 2:50
  10. "Qualquer Negócio" (Branco Mello, Charles Gavin, Marcelo Fromer, Paulo Miklos, Sérgio Britto, Tony Bellotto) – 3:43
  11. "Brasileiro" (Branco Mello, Charles Gavin, Sérgio Britto, Tony Bellotto) – 4:20
  12. "Um Copo de Pinga" (Folclore, Sérgio Britto) – 1:21
  13. "Turnê" (Branco Mello, Charles Gavin, Nando Reis, Sérgio Britto) – 2:40
  14. "Uns Iguais aos Outros" (Charles Gavin, Sérgio Britto) – 5:10
Bônus da versão em CD de 1996
  1. "Pela Paz" (Branco Mello, Charles Gavin, Nando Reis, Paulo Miklos, Sérgio Britto) – 3:45
  2. "Eu Não Vou Dizer Nada (Além do que Estou Dizendo)" (2ª Versão, Remix: Liminha) – 4:12
  3. "Tudo o que Você Quiser" (2ª Versão, Remix: Paul Ralphes) – 3:59
  4. "Tudo o que Você Quiser" (3ª Versão, Remix: DJ Cuca) – 3:45

Formação[editar | editar código-fonte]

Participações Especiais[editar | editar código-fonte]

Créditos[editar | editar código-fonte]