Guerra da Vendeia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guerra da Vendeia: Henri de La Rochejacquelein no combate de Cholet, 1793.

A guerra da Vendéia (em francês: guerre de Vendée, 1793-1796) foi uma guerra civil e contrarrevolução ocorrida na Vendeia, região costeira localizada no sul do vale do Loire, oeste da França. Aconteceu durante a Revolução Francesa e mais particularmente durante a Primeira República, quando houve enfrentamentos entre católicos e realistas, de um lado, e republicanos, de outro. A insurreição é intimamente ligada à chouannerie, que também opôs revolucionários republicanos e realistas da França e teve lugar na Bretanha, no norte do país. O conjunto desses dois conflitos é às vezes referido como Guerras do Oeste. A chouannerie se desenrolou na margem direta do Loire, enquanto a guerra da Vendeia teve lugar na margem esquerda.

Assim como toda a França, a Vendeia conheceu manifestações de camponeses entre 1789 e 1792. Inicialmente a guerra da Vendeia foi semelhante a uma jacquerie camponesa clássica (cujo exemplo mais notável é a Grande Jacquerie de 1358, que se espalhou por várias partes da França durante a Guerra dos Cem Anos). Mas no momento em que ocorre a sublevação de 1793, a sublevação vendeiana rapidamente perde o caráter de revolta camponesa e assume contornos de movimento contrarrevolucionário.

A natureza da insurreição dividiu as opiniões dos historiadores a partir do século XIX. Reynald Secher popularizou a tese de que a morte de católicos vendeianos pelo estado anticlerical francês, no fim da guerra, foi o primeiro genocídio moderno,[1] mas essa afirmação tem sido objeto de controvérsia.[2]

O conflito se desenvolveu entre as antigas províncias do Poitou, Anjou e Bretanha, ultrapassando amplamente, portanto, os limites do departamento da Vendeia. Alcançou também o sul do baixo Loire, o sudoeste de Maine-et-Loire e o noroeste de Deux-Sèvres, tendo sido contida pelos redutos republicanos de Nantes, Angers, Saumur, Thouars, Parthenay, Luçon, Fontenay-le-Comte e Les Sables-d'Olonne.

Ao longo de três anos, a guerra passou por várias fases, com um breve período de paz, na primavera de 1795. Terminou no início de 1796, resultando em cerca de 200.000 mortes e muita destruição.

Referências

  1. Secher, Reynald. Le genocide franco-francais: La Vendee-Venge. [S.l.]: Presses universitaires de France, 1986.
  2. Reynald Secher, A French Genocide: The Vendée. Resenha crítica de Peter McPhee, University of Melbourne. H-France Review. Vol. 4, março de 2004, n°. 26.
Ícone de esboço Este artigo sobre História da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.