Haakon V da Noruega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Haakon V)
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde fevereiro de 2014).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Haakon V da Noruega
Rei da Noruega
Busto contemporâneo de Haakon (como duque) na Catedral de Stavanger, datado dos anos 1280.[1]
Rei da Noruega
Reinado 15 de julho de 12998 de maio de 1319
Antecessor Érico II
Sucessor Magno VII
Esposa Eufêmia de Rügen
Descendência
Eystein Meyla
Nome completo
Hákon Magnússon
Casa Sverre
Pai Magno VI da Noruega
Mãe Ingeborg da Dinamarca
Nascimento 10 de abril de 1270
Noruega
Morte 8 de maio de 1319 (49 anos)
Oslo
Enterro Mariakirken i Oslo
Religião cristão

Haakon V Magnusson (em nórdico antigo Hákon Magnússon; em norueguês Håkon Magnusson) (1270 - 1319) foi rei da Noruega entre 1299 e 1319. Filho de Magno VI da Noruega e Ingeborg Eriksdatter.

Por meio de sua ascendência materna, um de seus antepassados era o rei Olavo II

Foi nomeado duque pelo pai em 1273. Ante a falta de filhos varões de seu irmão mais velho, o rei Érico II, Haquino se converteu no herdeiro do trono, e finalmente em rei, em 1 de novembro de 1299.

Levou uma ativa política externa. Em 1299 se casou com Eufemia de Arnstein, uma nobre alemã. Através da rainha a corte a Noruega teve contato com a vida cultural do continente.

No início de seu reinado, deu prosseguimento à guerra contra a Dinamarca, empreendida por seu irmão, mas em 1309 concluiu um tratado de paz com esse país. Nesse tempo manteve boas relações com Magno I da Suécia, e comprometeu a sua filha Ingeborg Håkonsdotter com o filho daquele, o príncipe Érico Magnusson.

Envolveu-se na guerra civil sueca, na qual os filhos de Magno I, Brigério, Érico Magnusson de Södermanland e Valdemar Magnusson da Finlândia disputavam o poder. Haquino inicialmente apoiou a seu futuro genro Érico em 1304. Com o tempo, as relações com o Érico derivaram em inimizade e por conseguinte em uma guerra, que só terminou quando o príncipe sueco se casou com o Ingeborg em 1312.

Haquino tentou melhorar os sistemas de defesa do reino, e construiu as fortalezas do Akershus, Vardøhus e Bohus. Em seu tempo se deu a mudança da capital da Noruega do Bergen para a cidade de Oslo, lugar onde residiu o monarca a maior parte do tempo.

Era um cristão devoto que realizou várias ações a favor da religião. Ordenou a construção de albergues destinados a alojar peregrinos que se dirigiam a Nidaros, estimulou as missões, e outorgou generosas doações. diz-se que era justo e considerado com seus súditos, e que levava uma vida singela. A sua morte, acontecida em 1319, correram-se rumores a respeito de supostos milagres, o que provocou que fosse venerado como santo em Oslo. Foi sepultado na Igreja de Santa Maria de Oslo (construída sob suas ordens, hoje destruída), e nesse templo existiu um altar dedicado a sua memória e veneração. Seu culto se estendeu a outras regiões do país e inclusive a Dinamarca. Embora nunca tenha existido uma canonização, o Papa Leão X reconheceu seu culto em 1520, mas este terminaria abruptamente com a reforma protestante em 1537.

Sua morte representou o fim do ramo masculino da Dinastia Hårfagre, que reinava na Noruega desde 872. Foi sucedido pelo neto Magno II, que uniu sob si as coroas da Suécia e da Noruega.

No curso de umas escavações nas ruínas da Igreja da Santa Maria se encontraram os restos de um casal de pessoas, que conforme se presumiu, eram os reis Haakon e Eufêmia. Os restos foram transladados e então sepultados no Castelo do Akershus.

Precedido por
Érico II
Rei da Noruega
12991319
Sucedido por
Magno VII


Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Lillehammer, Grete, et al. (1995) Museoteket ved Arkeologisk museum i Stavanger: Rogalandsfunn fra istid til middelalder, p. 108