Jeremy (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Jeremy Wade Delle)
Ir para: navegação, pesquisa
"Jeremy"
Single de Pearl Jam
do álbum Ten
Lado B "Footsteps" / "Yellow Ledbetter"
Lançamento Agosto de 1992
Formato(s) CD single, Cassette, Vinil
Gravação 27 de Março – 26 de Abril, 1991 no London Bridge Studio, em Seattle, Washington
Gênero(s) Grunge
Duração 5:18
Gravadora(s) Epic
Composição Jeff Ament
Letrista(s) Eddie Vedder
Produção Rick Parashar, Pearl Jam
Certificação(ões) Ouro (RIAA)
Informações sobre o vídeo musical
Gravação 4 de outubro de 1991 em Pico Boulevard, Los Angeles, Califórnia (original)
Junho de 1992 em Kings Cross, Londres (oficial)
Lançamento 1 de agosto de 1992 (oficial)
Director(es) Chris Cuffaro (original)
Mark Pellington (oficial)
Duração 5:32 (oficial)
Cronologia de singles de Pearl Jam
Último
Último
"Even Flow"
(1992)
"Oceans"
(1992)
Próximo
Próximo
Lista de faixas de Ten
Último
Último
"Black"
(5)
"Oceans"
(7)
Próximo
Próximo

"Jeremy" é uma canção da banda estadunidense de rock Pearl Jam. A letra foi escrita pelo vocalista Eddie Vedder e a parte instrumental, pelo baixista Jeff Ament. "Jeremy" foi lançada em 1992 como o terceiro single do primeiro álbum do Pearl Jam, Ten, de 1991. Ela originalmente não entrou nas paradas da Billboard Hot 100, uma vez que não foi lançada como single comercial os EUA na época, mas um relançamento em julho de 1995 finalmente a trouxe até o número 79.[1] Em 2004, a canção foi incluída no álbum greatest hits da banda chamado Rearviewmirror: Greatest Hits 1991-2003. Uma versão remixada da canção foi incluída na reedição do álbum Ten em 2009.

A música ganhou notoriedade com o lançamento do videoclipe (dirigido por Mark Pellington e lançado em 1992), ao qual passou inúmeras vezes na MTV e se tornou um hit. Em 1993, o clipe de "Jeremy" ganhou quatro MTV Video Music Awards, incluindo o de "Melhor Vídeo do Ano".[2]

Origem e gravação[editar | editar código-fonte]

A letra de "Jeremy" foi escrita pelo vocalista Eddie Vedder e a parte instrumental, pelo baixista Jeff Ament. A música foi composta antes da banda sair em turnê com o Alice in Chains em Fevereiro de 1991.[3]

Ament sobre a música:[4]

Eu já tinha uns dois pedaços de música que eu havia composto num violão... já tendo em mente que iria tocá-los num baixo Hamer de 12 cordas que eu acabara de comprar. Quando o baixo chegou, um dos pedaços virou "Jeremy".... Eu tinha uma ideia para a conclusão da música quando nós estavamos gravando ela pela segunda vez... Eu adicionei à musica o baixo de 12 cordas, e um violoncelo. Aquilo era uma gravação de alto nível, para nós... o super talentoso engenheiro-músical Stone [Gossard, guitarrista da banda] de Rick [Parashar] estava doente um dia, então Ed, Rick e eu criamos as partes que iniciam e encerram a música. Aquilo foi muito divertido-Eu queria fazer um álbum inteiro daquele jeito.

Em outra entrevista, Ament comenta:[3]

Nós sabiamos que era uma música boa, mas foi difícil encaixar o refrão e a conclusão, sem fazer com que a coisa soasse ruim. A música quase não entrou no álbum e acabou se tornado uma das melhores. Eu não sei se é a melhor música do álbum, mas é muito boa. Em "Jeremy" eu sempre ouvia essa melodia nos refrões e no final, mas nunca soava bem com a guitarra ou baixo. Então nós trouxemos um violoncelista que acabou inspirando um back vocal, e essas coisas fizeram com que a música se encaixasse. Na maior partes das vezes em que as coisas não dão certo, eu simplesmente digo "que se foda"-mas naquele caso a perseverança valeu a pena.

Composição[editar | editar código-fonte]

"Jeremy" está na tonalidade A, e frequentemente alterna o modo paralelo de maiores e menores. Ela apresenta um uso proeminente do baixo Hamer de 12 cordas de Ament, que é a peça central da parte introdutória e final da música. A canção começa com um solo de baixo, e continua numa melodia calma até o segundo refrão, quando os vocais e guitarras gradualmente começam. No final, os instrumentos começam a ficar gradualmente mais baixos, até o ponto em que só se consegue ouvir a guitarra e o baixo de 12 cordas, como no começo da música. Ambos os instrumentos tocam em uma tonalidade decrescente, terminando com uma única nota.

Letra[editar | editar código-fonte]

"Jeremy" é baseada em duas histórias reais. A inspiração principal veio de uma matéria de jornal sobre um garoto de 15 anos, Jeremy Wade Delle, nascido em 10 de Fevereiro de 1975, de Richardson, Texas, EUA, que cometeu suicídio com uma arma de fogo na frente de sua turma de Inglês, na Richardson High School, no dia 8 de Janeiro de 1991, pelas 9:45 horas. Em uma entrevista concedida em 2009, Vedder disse que ele sentiu que "precisava pegar aquela pequena notícia de jornal e transformá-la em algo que causasse uma reação, transformar em algo maior."[5]

Delle foi descrito pelos seus colegas de aula como "muito tímido" e era conhecido por sempre aparentar que estava triste.[6] Após chegar atrasado na escola aquela manhã, foi dito a Delle que pegasse uma autorização na direção. Ele saiu da sala e voltou com um revolver .357 Magnum. Delle foi até a frente da classe, anunciou "Senhorita, eu peguei o que tinha ido buscar", colocou o cano da arma na boca, e puxou o gatilho antes que a professora ou alguém de sua turma pudessem fazer alguma coisa.[6] Uma menina chamada Lisa Moore conhecia Jeremy da sala de suspensão: "A gente ficava trocando bilhetes, e ele falava da vida e coisas assim", ela disse. "Ele assinava todo os bilhete com, "Responda". Mas na segunda-feira, ele escreveu, 'Até mais tarde.' Eu não sabia o que pensar daquilo. Mas nunca imaginei que isso fosse acontecer".[6]

Revolver .357 Magnum, similar ao que o verdadeiro Jeremy usou para se suicidar.

Quando perguntado sobre a música, Vedder explicou:[7]

Veio de um pequeno parágrafo em um papel, significando que você se mata e faz um sacrifício como forma de vingança. É só o que você vai conseguir, um parágrafo no jornal. Dezessete graus e nublado numa vizinhança suburbana. Esse é o começo do clipe, que é igual ao final do clipe, nada acontece … nada muda. O mundo continua e você se foi. A melhor vingança é viver e provar que você consegue. Seja mais forte que aquelas pessoas. E aí você poderá voltar.

A outra história na qual a música é baseada, envolve um estudante que Vedder conheceu no ginásio em San Diego, Califórnia. Ele contou mais detalhes em uma entrevista concedida em 1991:[8]

Quando eu estava no ginásio, em San Diego, Califórnia, eu conheci uma pessoa que fez a mesma coisa, só que ele não se matou, mas acabou dando uns tiros numa turma de oceanografia. Eu me lembro de estar nos corredores e ouvir a respeito, e eu realmente havia implicado com o rapaz no passado. Eu era um quinto-anista bem rebelde e acho que brigamos ou algo assim. Então é um pouco sobre um garoto chamado Jeremy e é também um pouco sobre um garoto chamado Brian que eu conhecia mas não sabia quem era...a música, eu acho que diz muito. Eu acho que chega a algum lugar...e muitas pessoas interpretam de forma diferente e foi só recentemente que comecei a falar a respeito do verdadeiro significado e espero que ninguém se ofenda e acredite em mim, eu penso em Jeremy quando canto.

Lançamento e recepção[editar | editar código-fonte]

Enquanto o single de "Jeremy" foi lançado comercialmente nos mercados internacionais em 1992, o single só foi lançado nos Estados Unidos em 27 de Junho de 1995, antes disso só estava disponível nos EUA como versão importada e, por tanto, muito mais cara. "Jeremy" foi lançada como single em 1992, juntamente com as músicas, até então inéditas, "Footsteps" e "Yellow Ledbetter", as quais foram incluídas nas coletâneas Lost Dogs, de 2003, e Rearviewmirror: Greatest Hits 1991-2003. "Jeremy" se tornou o maior sucesso de Ten nas paradas americanas. A música alcançou a quinta posição na parada de rock da Billboard. O single de "Jeremy" recebeu o disco de ouro da RIAA,[9] significando mais de 500.000 cópias vendidas. No Grammy Awards, "Jeremy" foi indicada para o prêmio de "Melhor Música de Rock" e "Melhor Performance de Hard Rock".[10]

Fora dos EUA, o single foi lançado comercialmente na Austrália, Áustria, Brasil, Alemanha, Indonésia, Países Baixos e Reino Unido. No Canadá, a música figurou no top 40. "Jeremy" alcançou o Top 20 no Reino Unido. Ficou na 93º posição na Alemanha, entrou no top 40 da Nova Zelândia, e ficou entre as dez mais na Irlanda.

Segundo Chris True do Allmusic: "Jeremy foi quando a Pearl Jam mania se concretizou e fez com que a banda deixasse de ser uma das "bandas de Seattle" para entrar na realeza do rock". Ele a descreveu como uma "canção clássica" e afirmou que "sem dúvidas é o trabalho mais sincero da banda e o seu maior sucesso".[11] Para Stephen M. Deusner da Pitchfork Media: "'Jeremy' é a maior patada psicodramática Freudiana em um álbum cheio de músicas assim."[12]

Desde março de 2009, é possível baixar "Jeremy" na série de jogos Rock Band, como master track do álbum Ten.[13]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Informações referentes aos reconhecimentos foram adaptadas, em parte, do AcclaimedMusic.net.[14]

Publicação País Reconhecimento Ano Posição Ref.
Rolling Stone Estados Unidos "Os 100 Melhores Videoclipes" 1993 36 [15]
MTV Estados Unidos "100 Melhores Vídeos Já Feitos" 1999 19 [16]
Rolling Stone Estados Unidos "As 100 Melhores Canções Pop Desde os Beatles" 2000 48 [17]
Kerrang! Reino Unido "100 Maiores Singles de Todos os Tempos" 2002 85 [18]
VH1 Estados Unidos "100 Melhores Canções dos Últimos 25 Anos" 2003 32 [19]
VH1 Estados Unidos "100 Maiores Canções dos Anos 90" 2007 11 [20]

Videoclipe[editar | editar código-fonte]

Clipe original[editar | editar código-fonte]

Em julho de 1991, Vedder conheceu o fotográfo Chris Cuffaro. Vedder sugeriu à Cuffaro que dirigisse um videoclipe para a banda. Depois de muita insistência de Vedder, a Gravadora Epic autorizou Cuffaro a usar qualquer música do álbum Ten. Ele escolheu "Jeremy", que não era cogitada para ser lançada como single na época.[21] A gravadora acabou se recusando a financiar o clipe, forçando Cuffaro a financiá-lo sozinho.[22]

Cuffaro levantou o dinheiro pegando um empréstimo, vendendo toda a sua mobilia e vendendo metade de sua coleção de guitarras. Primeiro ele filmou várias cenas de um jovem ator, Eric Schubert, interpretando Jeremy. Cuffaro e sua equipe passaram um dia inteiro filmando Schubert fazendo o papel de Jeremy. As cenas com o Pearl Jam foram filmadas em um galpão em Pico Boulevard, na cidade americana de Los Angeles, Califórnia, no dia 4 de outubro de 1991. Uma plataforma giratória foi colocada no centro do set, na qual os membros da banda subiam individualmente para dar a ilusão de que a música estava sendo tocada, enquanto a plataforma era girada manualmente por um dos membros da equipe de Cuffaro. Vedder apareceu com uma fita preta ao redor do braço, em sinal de luto pelo verdadeiro Jeremy.

Para economizar dinheiro, Cuffaro cuidou de toda a pós-produção sozinho. Ele demorou 6 meses para terminar o clipe que, no fim, foi rejeitado pela gravadora. A versão de Cuffaro nunca apareceu na televisão e só sobreviveu em fitas piratas. Atualmente, pode-se vê-la na sua página na internet.

Vídeo oficial[editar | editar código-fonte]

Quando Cuffaro havia terminado seu videoclipe, a gravadora Epic começou a pensar em lançar "Jeremy" como um single. O direitor Mark Pellington foi colocado a frente do projeto.[23] Pellington afirmou "não sou um grande fã da banda, mas aquela letra me intrigou-Falei com Vedder e realmente saquei a paixão dele".[15] Pellington e Pearl Jam decidiram em Kings Cross, Londres, na Inglaterra, em junho de 1992, que filmariam uma nova versão do clipe de "Jeremy".[24]

Trabalhando com o editor veterano Bruce Ashley, o super-produzido videoclipe de Pellington incorporou novas tecnlogias de edição e sobreposição de sons, imagens paradas, animação e elementos de texto com ação ao vivo para criar um efeito de colagem. O ator Trevor Wilson interpretou o papel de Jeremy. As tomadas de sala-de-aula foram feitas no Bayonne High School, na cidade americana de Nova Jersey.[25] O vídeo também possui vários close-ups de Vedder cantando a música, enquanto os outros membros da banda quase não aparecem. Algumas cenas eram similares as do clipe original, mas em se tratando de tomadas da banda, Pellington se focou em Vedder. Vedder é algo como o narrador do clipe. Ament afirmou:[4]

Era praticamente uma versão de Mark [Pellington] e Ed [Vedder]. Na verdade, eu acho que o clipe teria sido melhor se a banda nem aparecesse. Foi meio díficil para alguns de nós fazer aquele tipo de vídeoclipe, pois nossos clipes anteriores foram gravados em apresentações ao vivo.

O vídeo estreou em 1 de agosto de 1992,[23] e rapidamente se tornou um dos vídeo mais tocados na MTV. Michele Romero da Entertainment Weekly descreveu o clipe como um "Afterschool Special do inferno". Segundo ela, "quando Vedder canta "Jeremy falou na aula de hoje", um calafrio congela o seu crânio".[26] O sucesso de "Jeremy" saltou o Pearl Jam para a fama. Pellington afirmou:[27]

Acho que aquele vídeo aborda algo que sempre esteve por ai e sempre estará. Você sempre vai ter peer pressure (pressão exercida pelos colegas), você sempre vai ter fúria adolescente, você sempre vai ter famílias disfuncionais.

O vídeo ganhou quatro MTV Video Music Awards em 1993, incluindo o de "Melhor Clipe do Ano", "Melhor Clipe de Banda", "Melhor Clipe de Rock" e o de "Melhor Direção".[2]

Resumo do clipe[editar | editar código-fonte]

No vídeo de Pellington, Jeremy é mostrado sendo atormentado pelos colegas na escola, correndo por uma floresta, e gritando com seus pais na mesa de jantar. Jeremy é o único personagem que se move durante o vídeo. A maioria dos outros personagens na vida de Jeremy estão parados. Palavras como "problema", "colega", "inofensivo" e "entediado" frequentemente aparecem na tela. Igualmente, a frase de Genesis 3:6 aparece, a qual se refere à criação do pecado, especificamente quando Eva come da Árvore do Conhecimento e reparte com Adão. Conforme a canção se torna mais densa e frenética, o comportamento de Jeremy se torna mais agitado. Luz Luzes estroboscópicas aumentam a atmosfera de ansiosidade. Jeremy é mostrado parado, braços levantados em V (como descrito no começo da música), em frente a uma parede em chamas. Posteriormente, Jeremy é mostrado embrulhado numa bandeira dos Estados Unidos encarando a câmera cercado de fogo.

A cena final mostra Jeremy entrando ruidosamente na sala de aula, jogando uma maçã na professora e se colocando na frente da classe. Ele tira do bolso uma arma. A arma só aparece na versão não editada do clipe. A versão editada corta a cena para um close-up do rosto de Jeremy enquanto ele bota o cano da arma na boca, fecha os olhos e puxa o gatilho. Depois de flashes de luz, a tela fica preta. A próxima cena mostra a sala-de-aula, os colegas de Jeremy estão cobertos de sangue, absolutamente parados com olhar de terror. Um quadro negro, onde todas as palavras e frases foram riscadas, é mostrado onde Vedder estava cantando.

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

As restrições da MTV com relação a imagens violentas, impediu que Pellington mostrasse Jeremy colocando a arma na boca e puxando o gatilho no climax do clipe.[27] Ironicamente, os closes ambíguos de Jeremy no final do vídeo, combinados com as expressões dos alunos da sala de aula e a grande quantidade de sangue, fez com que muita gente acreditasse que o Jeremy teria atirado nos colegas, e não em si mesmo.[27]

Pellington pessoalmente refutou essa interpretação do vídeo.[27] Ele afirmou: "Provavelmente a maior frustração que eu já tive foi que, ao final [do clipe "Jeremy"], as pessoas às vezes acham que ele atirou no colegas. Na verdade, aquele é o sangue dele, e, por causa disso, os colegas estão paralisados".[27] Ele havia filmado a cena com Jeremy colocando a arma na boca, mas a filmagem foi editada com um efeito de zoom para a versão da MTV, de forma que a arma não aparecesse.[27] Na cena em que os alunos estão fazendo um juramento, Pellington também havia filmado de forma um pouco diferente. Na versão da MTV, há uma breve cena dos colegas de Jeremy fazendo um gesto que poderia ser Saudação de Bellamy ou uma Saudação Nazista; no vídeo original, essa cena é mais longa.

Depois de "Jeremy", Pearl Jam parou de fazer clipes. "Daqui dez anos", segundo Ament: "Eu não quero que as pessoas se lembrem das nossas canções como vídeos".[28] A banda só lançou outro vídeo em 1998, "Do the Evolution", que é uma animação.

Em 1996, um tiroteio ocorreu no Frontier Junior High School, em Moses Lake, em Washington, que deixou três mortos e quatro feridos. Os advogados de defesa do atirador Barry Loukaitis, alegaram que ele havia sido influenciado pelo vídeo.[4]

Depois do Massacre de Columbine em 1999, os canais MTV e VH1 raramente passam o clipe, e o clipe nunca é mencionado em documentário como I Love the '90s. O vídeo está disponível na internet, em páginas como o YouTube. Ocasionalmente, pode ser visto nos restaurates da rede Hard Rock Cafe. Às vezes o clipe passa nos canais VH1 Classic e MTV Hits, bem como nas madrugadas do canal britânico de música Scuzz. O vídeo foi incluído na lista de 12 clipes mais controvertidos da MuchMusic. A razão se deu graças aos frequentes suicídios e tiroteios em escolas americanas. A cena de Jeremy com a arma na boca não é mostrada. O vídeo também foi incluído na lista da VH1 das "100 Maiores Canções dos Anos 90" na 11ª posição,[20] com várias partes do clipe sendo mostradas, incluindo parte final. A versão não censurada foi mostrada na retrospectiva "Pearl Jam Ten Revisited" na VH1 Classic em 2009 antes do relançamento do álbum, inclusive a cena de Jeremy colocando a arma na boca.

Performances ao vivo[editar | editar código-fonte]

Jeff Ament e Eddie Vedder, em apresentação ao vivo da banda.

"Jeremy" foi tocada ao vivo, pela primeira vez, em um show no Off Ramp Café, na cidade de Seattle, Washington, EUA, em 17 de Maio de 1991.[29] Pearl Jam tocou a canção quando se apresentou no seu Acústico MTV em 1992. Pearl Jam também tocou a canção em sua apresentação no MTV Video Music Awards em 1992. A banda queria tocar a canção "Sonic Reducer" da banda Dead Boys, mas a MTV insistiu que tocassem "Jeremy", tendo em vista que a canção estava fazendo um sucesso estrondoso na época (a música foi lançada após o prazo final para a premição daquele ano). Quase no final da apresentação, Vedder canta o primeiro verso da canção dos Dead Boys, "Eu não preciso... Eu não preciso de papai e mamãe".[30] Performances ao vivo de "Jeremy" podem ser encontradas no single de "Animal", na coletânea "Dissident"/Live in Atlanta, em vários bootlegs oficiais da banda, na coletânea Live at the Gorge 05/06, e no LP Drop in the Park, incluído na versão Super Deluxe da reedição do álbum Ten. Performances também podem ser vistas nos DVDs Touring Band 2000 e MTV Unplugged, este também incluído na reedição de Ten.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Posição nas paradas[editar | editar código-fonte]

Ano Parada Posição Ref.
1992 US Mainstream Rock Tracks 5 [31]
US Modern Rock Tracks 5 [31]
UK Singles Chart 15 [32]
Irish Singles Chart 10 [33]
Canadian Singles Chart 32 [34]
New Zealand Singles Chart 34 [35]
Dutch Singles Chart 59 [36]
German Singles Chart 93 [37]
1995 US Billboard Hot 100 79 [31]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Versões cover[editar | editar código-fonte]

Banda Álbum Nota
MiG Ayesa MiG
Smashing Pumpkins Live Smashing Pumpkins

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Pearl Jam Artist Chart History Billboard. Página visitada em 24-06-2010.
  2. a b 1993 MTV Video Music Awards Rockonthenet. Página visitada em 5-9-2007.
  3. a b Coryat, Karl. "Godfather of the "G" Word". Bass Player Magazine. Abril de 1994.
  4. a b c Black, Johnny. "The Greatest Songs Ever! Jeremy". Blender. Setembro de 2002.
  5. Brownlee, Clint. "Still Alive". Seattle Sound Magazine. Março de 2009.
  6. a b c Miller, Bobbi (08-010-1991). Richardson Teen-ager Kills Himself in Front of Classmates The Dallas Morning News. Página visitada em 27-06-2007.
  7. Vedder, Eddie. "Rockline Interview". KISW-FM, Seattle, Washington. 18 de Outubro de 1993.
  8. Vedder, Eddie. "Interview with David Sadoff." KLOL FM, Houston, Texas. Dezembro de 1991.
  9. Gold and Platinum Database Search. Página visitada em 2007-02-12.
  10. 35º Grammy Awards Rockonthenet. Página visitada em 05-09-2007.
  11. True, Chris. "Jeremy > Review". Allmusic. Acessado em 16 de Maio de 2008.
  12. Deusner, Stephen M. "Pearl Jam: Ten". Pitchfork Media. 3 de Abril de 2009.
  13. Faylor, Chris (14-12-2008). Rock Band Getting Full Pearl Jam Album Shacknews. Página visitada em 14-12-2008.
  14. "Jeremy" accolades Acclaimed Music. Página visitada em 06-05-2008.
  15. a b "The 100 Top Music Videos". Rolling Stone. 14 de Outubro de 1993.
  16. MTV: 100 Greatest Music Videos Ever Made Rock on the Net. Página visitada em 31-07-2008.
  17. Greatest Pop Songs The 100 Greatest Pop Songs Since the Beatles Rolling Stone. Página visitada em 06-05-2008.
  18. 100 Greatest Singles of All Time Kerrang!. Página visitada em 2008-05-06.
  19. VH1: 100 Best Songs of the Past 25 Years Rock on the Net. Página visitada em 31-07-2008.
  20. a b VH1: 100 Greatest Songs of the '90s VH1. Página visitada em 09-08-2008.
  21. Neely, Kim. Five Against One. Diane Publishing Company, 1999. ISBN 0-7567-7409-8
  22. "Pearl Jam Chronology: October 1991". PearlJam10YearsAgo.no.sapo.pt. 19 de Setembro de 2001.
  23. a b Pearl Jam: Timeline Pearljam.com. Página visitada em 27-06-2007.
  24. "The Unofficial Pearl Jam FAQ". vitalogy.de.
  25. Paul, Mary. "Time after time Jersey produces talent in entertainment". Bayonne Journal. 5 de Julho de 2007.
  26. Romero, Michele. "Jeremy". Entertainment Weekly. 25 de Setembro de 1992.
  27. a b c d e f Weisbard, Eric, et al. "Ten Past Ten" Spin. Agosto de 2001.
  28. Crowe, Cameron (28-19-1993). Five Against the World Rolling Stone.. Página visitada em 2007-06-23.
  29. "Pearl Jam Songs: "Jeremy"". pearljam.com.
  30. Bruns, Jean and Caryn Rose. "Jeremy: 64 Degrees and Cloudy". fivehorizons.com. Agosto de 1999.
  31. a b c Pearl Jam Artist Chart History Billboard. Página visitada em 28-04-2007.
  32. EveryHit.com. Página visitada em 16-02-2007.
  33. The Irish Charts - All there is to know Irishcharts.ie. Página visitada em 29-04-2007.
  34. Canadian Charts - "Jeremy" RPM. Página visitada em 07-03-2008.
  35. Scapolo, Dean. (2007) The Complete New Zealand Music Charts. ISBN 978-1-877443-00-8.
  36. Dutch Single/Album Chart / Pearl Jam / Longplay dutchcharts.nl. Página visitada em 2008-02-19.
  37. Chartverfolgung / Pearl Jam / Single musicline.de. Página visitada em 11-06-2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]